icone menu logo logo-fatos-curiosos.png


10 fatos sobre afogamento que você não sabia

POR Rafael Miranda EM Curiosidades 18/03/15 às 19h38

capa do post 10 fatos sobre afogamento que você não sabia

Os afogamentos estão entre as maiores causas de mortes entre crianças e jovens. Estima-se que aproximadamente 370 mil pessoas morram todos os anos vítimas desse tipo de tragédia. A dificuldade respiratória durante um afogamento se inicia quando o líquido entra em contato com as vias aéreas da pessoa por imersão ou por submersão.

Afogamento é a principal causa de morte no mundo entre crianças de cinco a 14 anos de idade. Nos Estados Unidos, afogamento é a segunda causa de morte por trauma entre crianças de um a quatro anos de idade. São 3 mortes por 100.000 habitantes. Alguns países como a Tailândia, o índice de morte na faixa de dois anos de idade chega a 107 crianças para cada 100.000 habitantes.

Em muitos países na África e na América Central, a incidência de afogamentos é 10 a 20 vezes maior do que a incidência nos Estados Unidos. No Brasil, 6.500 pessoas morrem afogadas anualmente e o afogamento é a segunda causa de mortes na faixa de 5 a 9 anos, sendo mais de 70% do sexo masculino.

Conheça agora alguns fatos sobre afogamentos:

Lago onde as vítimas nunca são encontradas

Esse grande lago de água doce fica nas montanhas da Serra Nevada dos Estados Unidos. O lago Tahoe fica na fronteira entre os estados de Califórnia e Nevada, a oeste de Carson City. O lago é uma das principais atrações turísticas dos estados da Califórnia e Nevada. Nele se encontram inúmeros estações de esqui, atrações turísticas e locais para recreação ao ar livre durante o verão. A neve e o esqui são dois dos principais atrativos para a economia e a reputação local.

O lago é muito profundo alcançando 501 metros de profundidade. Como o lago é muito frio, ele acaba inibindo a ação de bactérias nos corpos de vítimas de afogamento que acabam ficando no fundo do lago até serem totalmente decompostos. Mergulhadores também não conseguem chegar no fundo do lago devido suas condições estruturais.

Água doce x Água salgada

Cerca de 90% dos afogamentos acontecem em água doce. Apesar de parecer que o mar é um ambiente mais perigoso devido suas marés e ondas fortes, você teria mais chances de sobreviver em um afogamento em água salgada do que em água doce. Na água salgada o corpo pode resistir entre 8 e 10 minutos mas em água doce o nosso corpo resiste apenas 3 minutos após o início do afogamento.

Afogamento atrasado

Crianças são as principais afetadas em afogamentos atrasados. O caso de Johnny Jackson de 10 anos é o que melhor exemplifica esse fenômeno. Enquanto ele nadava sob a supervisão da sua mãe, o garoto engoliu um pouco de água e tossiu. Nada demais até aí. Chegando em casa, a mãe lhe deu um banho e o colocou para dormir.

Quando sua mãe voltou para verificar o garoto ela o encontrou espumando pela boca, com a face pálida e os lábios azuis. A água que havia inalado vagarosamente sugou o oxigênio de seus pulmões.

Mar morto

Beber poucos goles da água do Mar Morto é o suficiente para desequilibrar completamente o nosso organismo. A água extremamente salgada pode causar queimaduras internas e pneumonia química. Os sobreviventes de afogamento no Mar Morto em geral levam um bom e doloroso tempo para se recuperar dos danos no seu corpo. Apesar disso tudo, é bastante difícil acontecer um afogamento convencional no Mar Morto por causa da densidade de sua água.

Tortura

Afogamento foi amplamente (e ainda é) utilizado como forma de tortura. Esse método era especialmente popular durante a caça às bruxas, na Idade Média. Durante a Revolução Francesa um evento chamado de "a banheira nacional", consistia em afogamentos em massa para punir pessoas que tivessem ligação com a monarquia derrubada.

Não é como nos filmes

O afogamento não tem todo aquele cenário dramático que é exibido em filmes ou na TV. Na vida real, existe um comportamento biológico chamado de "resposta instintiva", que é como o corpo reage ao perceber que está se afogando. Os movimentos voluntários se tornam impossíveis, braços e pernas ficam rígidos e retos no formato de uma cruz; o corpo, na vertical, fica no nível da água e a boca é aberta numa última tentativa de boiar.

Reflexo de mergulho nos mamíferos

Quando nosso rosto toca a água, uma série reflexos involuntários acontecem. Nossas vias respiratórias se fecham, há uma diminuição dos batimentos cardíacos e a contração dos vasos sanguíneos com objetivo de levar o sangue para nossos órgãos mais vitais. Um detalhe interessante é que quanto mais fria a água, melhor, pois ela vai ajudar a diminuir o metabolismo. É por causa desse reflexo que muitas vítimas de afogamento conseguem se recuperar plenamente.

Animais que afogam outros

Muitos animais que achamos que são inofensivos podem guardar grandes segredos. O guaxinim por exemplo, quando encurralado, pode afogar facilmente um animal que o perseguir na água. No vídeo acima é possível ver o que o cão sofre ao tentar atacar um guaxinim. a mesma coisa acontece com outros animais aquáticos que se sentem ameaçados em seu habitat.

Fator de risco

Os principais fatores de risco para o afogamento são: sexo masculino, idade inferior a 14 anos, uso de álcool, baixa renda familiar, baixo nível educacional, residência rural, maior exposição ao meio aquático, comportamento de risco e falta de supervisão.

Ironia

Em 1985 a cidade de New Orleans, na Louisiana comemorava que nenhuma pessoa havia se afogado no verão. Uma festa organizada por salva-vidas da cidade acabou em tragédia. Um homem de 31 anos morreu afogado o que causou grande comoção na cidade.

 

 

 

 

 


Próxima Matéria
avatar Rafael Miranda
Rafael Miranda
Criando forças para segurar o forninho de cada dia. Instagram: @rafaelmiranda17
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest