4 pacientes tiveram alta com o uso da hidroxicloriquina

POR Erik Ely    EM Ciência e Tecnologia      26/03/20 às 20h22
foto de destaque

Recentemente, pelo menos quatro pacientes, que estavam na UTI em estado grave no Hospital Igesp, em São Paulo, receberam alta, após sete dias de uso da hidroxicloriquina. Contudo, também é válido lembrar que seu uso estava associado com outras medicações. Desse modo, o medicamento também é usado na prevenção e tratamento de malária, sensível à cloroquina.

De acordo com Dante Senra, médico cardiologista e coordenador das UTI's do hospital, foram "avaliados criteriosamente os protocolos internacionais". Assim, 12 altas hospitalares de pacientes, confirmados com coronavírus, e altamente suspeitos também foram dadas. Entre outras aplicações, a hidroxicloriquina pode ser usada no tratamento de artrite reumatoide, lúpus eritematoso, porfiria cutânea tarda, febre Q e doenças fotossensíveis.

Opiniões controversas sobre a utilização do medicamento

Segundo Senra, apesar de esperançosos, os resultados ainda são iniciais. "Até onde sabemos, fomos o primeiro hospital no Brasil, a utilizar o medicamento", afirmou. "A impressão é muito favorável. Mas como se trata de um número ainda pequeno, não há como estabelecer uma relação de causa e efeito. Até porque não há estudos multicêntricos ainda".

Em seguida, Senra explicou que os resultados não fazem parte da coalizão Covid-19, feita pelo Hospital Israelita Albert Einstein, HCor, Sírio Libanês e BRICNet, uma rede que realiza estudos clínicos na área de medicina extensiva. Por isso, o especialista fez questão de ressaltar que não há comprovação de causa e efeito do uso da hidroxicloriquina. Ou seja, não é possível garantir que os pacientes foram curados com o uso exclusivo do medicamento.

Apesar dos resultados promissores com a hidroxicloriquina, os especialistas pedem cautela para seu uso. Isso porque, são necessárias pesquisas de maior relevância para comprovar que o medicamento é seguro e eficaz. Dessa forma, até o momento, tudo ainda é muito controverso. Enquanto alguns estudos trazem bons resultados, outros não veem a situação da mesma forma. Em uma pesquisa, feita em Xangai, na China, o primeiro estudo controlado sobre a hidroxicloriquina, o medicamento não teve os efeitos diferentes dos cuidados usuais. Apenas 30 pessoas participaram da pesquisa. Desse modo, metade recebeu 400 mg/dia de hidroxicloriquina, durante dias. Alémde, é claro, os cuidados usuais. Enquanto isso, outros pacientes apenas receberam cuidados usuais.

Depois de sete dias, o teste para o vírus foi negativo em 86,7% dos casos que tomaram o medicamento e em 93,3% dos casos no grupo controle. Depois disso, os cientistas concluíram que são necessários estudos com mais pessoas, para investigar os reais efeitos do medicamento no tratamento da Covid-19.

Não teste o medicamento por conta própria

Em um coletiva de imprensa, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que a hidroxicloriquina não deve ser utilizada de forma irresponsável ou por conta própria. "Usar esse medicamento fora do ambiente hospitalar não é seguro. Dessa forma, o tratamento deve ser feito em condições de segurança e acompanhamento médico, porque pode ter alterações no ritmo do coração", afirmou o ministro da Saúde.

Além disso, também precisamos lembrar que o medicamento é muito importante para tratar pacientes com artrite reumatoide. Caso pessoas, que não possuam a doença, comecem a usar a hidroxicloriquina sem indicação médica, vai faltar medicação para quem realmente precisa.


Ei Fatos, não deixe de conferir:

2 SINAIS QUE FALTAM PARA JESUS VOLTAR - E SE FOR VERDADE

Próxima Matéria
Via   UOL  
avatar Erik Ely
Erik Ely
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.

Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+