• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


4 pacientes tiveram alta com o uso da hidroxicloriquina

POR Erik Ely    EM Ciência e Tecnologia      26/03/20 às 20h22

Recentemente, pelo menos quatro pacientes, que estavam na UTI em estado grave no Hospital Igesp, em São Paulo, receberam alta, após sete dias de uso da hidroxicloriquina. Contudo, também é válido lembrar que seu uso estava associado com outras medicações. Desse modo, o medicamento também é usado na prevenção e tratamento de malária, sensível à cloroquina.

De acordo com Dante Senra, médico cardiologista e coordenador das UTI's do hospital, foram "avaliados criteriosamente os protocolos internacionais". Assim, 12 altas hospitalares de pacientes, confirmados com coronavírus, e altamente suspeitos também foram dadas. Entre outras aplicações, a hidroxicloriquina pode ser usada no tratamento de artrite reumatoide, lúpus eritematoso, porfiria cutânea tarda, febre Q e doenças fotossensíveis.

Opiniões controversas sobre a utilização do medicamento

Segundo Senra, apesar de esperançosos, os resultados ainda são iniciais. "Até onde sabemos, fomos o primeiro hospital no Brasil, a utilizar o medicamento", afirmou. "A impressão é muito favorável. Mas como se trata de um número ainda pequeno, não há como estabelecer uma relação de causa e efeito. Até porque não há estudos multicêntricos ainda".

Em seguida, Senra explicou que os resultados não fazem parte da coalizão Covid-19, feita pelo Hospital Israelita Albert Einstein, HCor, Sírio Libanês e BRICNet, uma rede que realiza estudos clínicos na área de medicina extensiva. Por isso, o especialista fez questão de ressaltar que não há comprovação de causa e efeito do uso da hidroxicloriquina. Ou seja, não é possível garantir que os pacientes foram curados com o uso exclusivo do medicamento.

Apesar dos resultados promissores com a hidroxicloriquina, os especialistas pedem cautela para seu uso. Isso porque, são necessárias pesquisas de maior relevância para comprovar que o medicamento é seguro e eficaz. Dessa forma, até o momento, tudo ainda é muito controverso. Enquanto alguns estudos trazem bons resultados, outros não veem a situação da mesma forma. Em uma pesquisa, feita em Xangai, na China, o primeiro estudo controlado sobre a hidroxicloriquina, o medicamento não teve os efeitos diferentes dos cuidados usuais. Apenas 30 pessoas participaram da pesquisa. Desse modo, metade recebeu 400 mg/dia de hidroxicloriquina, durante dias. Alémde, é claro, os cuidados usuais. Enquanto isso, outros pacientes apenas receberam cuidados usuais.

Depois de sete dias, o teste para o vírus foi negativo em 86,7% dos casos que tomaram o medicamento e em 93,3% dos casos no grupo controle. Depois disso, os cientistas concluíram que são necessários estudos com mais pessoas, para investigar os reais efeitos do medicamento no tratamento da Covid-19.

Não teste o medicamento por conta própria

Em um coletiva de imprensa, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que a hidroxicloriquina não deve ser utilizada de forma irresponsável ou por conta própria. "Usar esse medicamento fora do ambiente hospitalar não é seguro. Dessa forma, o tratamento deve ser feito em condições de segurança e acompanhamento médico, porque pode ter alterações no ritmo do coração", afirmou o ministro da Saúde.

Além disso, também precisamos lembrar que o medicamento é muito importante para tratar pacientes com artrite reumatoide. Caso pessoas, que não possuam a doença, comecem a usar a hidroxicloriquina sem indicação médica, vai faltar medicação para quem realmente precisa.

Próxima Matéria
Via   UOL  
Erik Ely
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+