icone menu logo logo-fatos-historicos.png


5 mentiras ridículas que te contam nas aulas de história

POR A redação    EM História      23/09/15 às 15h57
capa do post 5 mentiras ridículas que te contam nas aulas de história

A história é um mar de distorções. Muitas coisas que falam, não são realmente como aconteceram. Talvez você já tenha passado por essa situação antes e até hoje não sabe a verdadeira história.

Por exemplo, quando Helena, esposa de Menelau, rei de Esparta, foi raptada, os gregos decidiram travar uma guerra contra Troia. Os combates duraram dez anos e parecia que Troia, protegida por suas altas muralhas, sairia vencedora. Mas os gregos tiveram uma ideia ardilosa: construíram um enorme cavalo de madeira que escondia soldados em seu interior oco. Então, comunicaram ao inimigo que o cavalo era uma oferta de paz. Assim, os troianos aceitaram o presente e o levaram para o interior das muralhas.

Naquela noite, enquanto Troia dormia, os gregos saíram do cavalo e abriram os portões da cidade para seu exército, o que foi decisivo para derrotar os troianos. O que muitos não sabem é que essa pode ter sido uma das maiores mentiras da história e um dos melhores truques de guerra se, claro, for verdade. Até hoje não se sabe se o episódio realmente aconteceu ou se é apenas uma lenda.

Veja as 5 mentiras ridículas que você já ouviu nas aulas de histórias!

1. Pedro Álvares Cabral não descobriu o Brasil


Apesar de tudo o que é dito nas escolas, mais de 90% dos historiadores especializados no descobrimento do Brasil concordam e atestam que quem descobriu o Brasil foi o português Duarte Pacheco, em 1498, isso claro, sem considerar a chegada de outros povos que desembarcaram no Brasil muito antes dos portugueses.

No documento intitulado Esmeraldo de Situ Orbis que passou vários séculos escondido e que começou a ser estudado no século 19 afirma que o descobridor do Brasil foi Duarte Pacheco. Segundo os historiadores, Cabral teria apenas tomado posse, 2 anos depois, das terras descoberta por Pacheco.

2. Nos anos 60, os grupos armados não lutavam pela democracia

Nos anos 60, existiam vários grupos armados que lutavam na época da ditadura. Nessa época qualquer adversário ou pessoas que eram contra o governo eram presas, torturadas, muitas vezes mortas pelo governo autoritário. As pessoas não podiam se expressar e dar suas opiniões. Na verdade, o que essas brigas queriam era colocar no poder o povo, invés da burguesia. Na verdade buscam um estado de governo que se encaixasse entre o capitalismo e o socialismo, sem colocar no meio disso a democracia.

3. Colombo não descobriu a América


Oficialmente, o título de "descobridor da América" pertence ao navegante genovês Cristóvão Colombo, mas ele não foi o primeiro estrangeiro a chegar ao chamado Novo Mundo. Além disso, o próprio Colombo nunca se deu conta de que a terra que encontrou era um continente até então desconhecido. A arqueologia já revelou vestígios da passagem dos vikings pelo continente por volta do ano 1000. Polêmicas à parte, Cristóvão Colombo jamais se deu conta de que havia descoberto um novo continente.

4. Newton e a maçã


"Um belo dia, Newton estava sentado embaixo de uma macieira quando, ploft!, eis que uma maçã lhe cai sobre a cabeça. No susto, disse o físico: "Eis aqui a Teoria da Gravidade!". É mais ou menos assim que a fábula da maçã newtoniana encontra-se gravada no imaginário das pessoas. Ocorre que, em verdade, a história não é bem essa. Para começo de conversa, Newton nunca escreveu sobre o incidente com a maçã, e pode ser que ele nunca tenha ocorrido de fato. Isso mesmo!

Segundo alguns físicos, a verdadeira história é: "Ele estava em estado contemplativo, e uma maçã caiu. Ele questionou por que a maçã sempre desce perpendicularmente ao chão. Por que não vai para os lados, para cima? Por que sempre em direção ao centro da Terra? Seguramente, a razão é que a Terra a atrai. Deve existir um poder de atração na matéria". Este fato teria ocorrido por volta de 1660, o que é improvável que a história tenha ocorrido desta maneira.

5. Os Estados Unidos viveram dezenas de crises no século XIX

Durante todo o século XIX - mais precisamente 1819-1820, 1839-1843, 1857-1860, 1873-1878, 1893-1897 e 1920-1921 - os Estados Unidos sofreram com seguidas expansões monetárias, depois de recessões e recuperações. Os professores não falam muito dessas recessões porque o mercado conseguiu se recuperar rapidamente delas e o governo em cada ocasião não fez, simplesmente, nada.

A crise de 1920-21 começou com um desemprego maior que a de 29, porém o presidente Warren G. Harding se recusou a dar ouvidos a um de seus secretários, Herbert Hoover, e intervir na economia. Pelo contrário, Harding confiou no mercado e em menos de um ano a crise já não existia. A crise de 29 tinha tudo para ser mais um ciclo econômico, porém a brisa se transformou em um furacão. O culpado? O governo.

Fonte: cracked


Próxima Matéria
avatar A redação
A redação
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest