• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


5 versões bizarras de monstros da ficção no mundo real

POR Cristyele Oliveira    EM Curiosidades      03/12/19 às 11h48

O que torna a ficção tão interessante e atrativa é o fato de que tudo parecer possível. Já que a nossa realidade é limitada, na ficção, nada pode nos parar. Então, o que poderia ser mais incrível do que isso? Tornar a ficção uma realidade. Mas na verdade, é a ficção que é fruto da realidade, obviamente, com umas pitadas de imaginação. Tudo o que vemos na ficção, só foi pensado graças a nossa realidade limitada. Então, por tudo ser tão incrível e maravilhoso, todos nós já desejamos que personagens ou acontecimentos fictícios, se tornassem uma realidade. Atire a primeira pedra, quem nunca sonhou com um personagem de um filme.

E algumas pessoas estão mesmo querendo transformar a realidade, baseada na ficção. Mas não espere um filme de romance ou comédia comum. A ideia é transformar a realidade em uma versão sombria de um filme de terror. Confira a seguir, 5 versões bizarras do mundo real de monstros da ficção.

1 - Vampiros

O mundo dos vampiros parece uma orgia melodramática e extravagante, que parece interessar muitas pessoas. Não é por acaso que a temática faz tanto sucesso, na literatura e no cinema. E se isso fosse real? Pelo visto, um número considerável de pessoas deseja mesmo isso: ser um vampiro. E algumas pessoas anseiam tanto isso, que acreditam mesmo serem vampiros de verdade.

É plausível até discutir se algumas dessas pessoas, que afirmam ser vampiros, realmente sofrem da síndrome de Renfield. Um distúrbio mental caracterizado pelo desejo obsessivo de beber sangue. Mas o fato é que o sanguinarius.org é um fórum sobre vampiros, feito especificamente para vampiros reais. Ou seja, não basta gostar de vampiros, precisa ser um bebedor de sangue real. Inclusive, algumas pessoas no site afirmam ser "vampiros de energia" e dizem que podem se alimentar de multidões.

2 - Lobisomens

Na contramão dos vampiros, existem pessoas que preferem algo mais básico e primitivo, como um homem lobo. Afinal de contas, os lobisomens correm nus e comem presas vivas, algo bem básico. Em Allentown, no estado da Pensilvânia, um homem de 19 anos convenceu uma garota de 16 anos, que transou com ele, afirmando que ele era um lobisomem de verdade. Para provar a sua "verdadeira" identidade, o rapaz mostrou os seus dentes caninos aos policiais. E os policiais logo o desmascararam dizendo que dentes caninos não faziam dele um lobisomem. Não, ele não era um lobisomem porque lobisomens não existem, mas ele deu todos os sinais de como ser um louco fanático.

3 - Zumbis

Com o pretexto de tentar salvar vidas, pesquisadores do Centro Safar de Pesquisa em Reanimação se dedicaram a um projeto ambicioso, para descobrir quanto tempo, após a morte, eles poderiam trazer uma pessoa de volta à vida. Durante a pesquisa, eles conseguiram drenar todo o sangue de alguns cachorros, e mantê-los congelados por três horas. Para só depois devolvê-los à vida. Um dos planos do Centro Safar é poder tratar os soldados feridos em campo de batalha, onde eles não poderiam receber tratamento médico adequado. Ou seja, um soldado, que morrer em campo de batalha, pode ser trazido de volta à vida algumas horas depois. Seria esse o plano para formar um exército de zumbis de verdade?

4 - Frankenstein

Embora o final de Frankenstein não seja muito interessante para o seu criador, alguns cientistas da vida real já quiseram e tentaram reproduzir algo parecido na vida real. Um deles foi o cientista Johann Dippel. Toda essa ficção, inclusive, acredita-se ter sido a inspiração para o médico, que agiu depois de ler o livro de Mary Shelley. Outro caso notável de criações, feitas a partir de um corpo com a junção de órgãos de cadáveres, foi o do médico Vladimir Demikhov, que decidiu costurar uma cabeça extra, em um cachorro para ver o que aconteceria. Sim, um cachorro com duas cabeças.

Nos Estados Unidos, Robert White foi além e transformou um macaco, em um monstro de duas cabeças. E pelo visto, funcionou por um período de tempo, já que ambas as cabeças podiam comer, olhar em volta e gritar. Os transplantes foram tão bem sucedidos, que acreditava-se que o macaco de duas cabeças poderia ter vivido indefinidamente, o que de fato não aconteceu.

5 - Bruxas

As definições de bruxas variam muito, de acordo com a época, o autor ou a autoridade. Na ficção, uma bruxa poderia ser aquela velha, com cabelo bagunçado, quase sempre com uma verruga no nariz, que voa em uma vassoura e que faz feitiços. No passado, qualquer mulher que fazia algo que ia contra os costumes, mesmo sem nenhuma evidência real, poderia ser acusada de feitiçaria e quase sempre acabava na fogueira, no mar, ou exilada. Essas eram as bruxas da Idade Média. Hoje em dia, não funciona mais assim, mas as bruxas continuam existindo e agora se autodenominando Wicca. Pelo menos, desde 1954, quando o termo foi inventado para se referir a esse personagem.

A grande parte dos adeptos modernos da Wicca são, na verdade, apenas hippies e estudantes de arte, que realmente gostaram de Buffy, a Caça Vampiro. Eles aplicam o nome a qualquer pessoa, que se interesse pelas crenças neopagãs. Existem até grupos que traçam suas raízes de volta a vários canais de Hogwarts ou qualquer lugar onde bruxas poderiam ser chamadas de bruxas de verdade.

Enfim, o que você achou desses personagens monstruosos da vida real? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com os seus amigos.

Próxima Matéria
Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+