• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


6 animais que tiveram o corpo alterado pela ciência

POR PH Mota    EM Mundo Animal      22/11/16 às 17h50

Cada espécie de animal nasce com características físicas e instintos naturais que garantem sua sobrevivência. Às vezes, algumas mudanças são provocadas por cientistas e pesquisadores, na intenção de produzir criaturas diferenciadas, singulares e com habilidades novas

Quando a ciência manipula algumas criaturas, os efeitos podem ser extremamente positivos para a saúde ou utilidades dos animais, mas também podem provocar danos e problemas de saúde à própria espécie. Em outros casos, a manipulação pode ser feita só mesmo por curiosidade, para entender o que acontece com o encontro de algumas criaturas.

Conheça alguns dos casos em que os cientistas e biólogos manipularam as criaturas e provocaram efeitos na espécie.

1 - Abelha africanizada

1

Nos anos 50, as chamadas abelhas africanizadas foram criadas em laboratório com uma boa intenção. Biólogos cruzaram espécies de abelhas africanas com outras naturais da Europa para melhorar a produção de mel no Brasil, onde eram mantidas em quarentena. Eventualmente, as abelhas conseguiram escapar e passaram a fazer parte do ambiente. Nos anos 70, a proliferação da espécie deixou populações em estado de alerta, quando enxames gigantes atacaram pessoas. O terror era tanto que até mesmo Hollywood se inspirou nisso e criou roteiros aterrorizantes com abelhas. Isso porque a espécie apresentam um grau de agressividade alto, reduzindo a capacidade de humanos de manejar as criaturas.

2 - Pugs

2

De acordo com documentos antigos, os primeiros pugs foram criados na China, por volta de 700 AC como animais de estimação do Império. Isso foi feito por meio da criação seletiva e manipulação genética, cruzando espécies com os traços desejados para gerar descendentes com as características escolhidas. A raça ficou tão popular que acabou sendo levada para a Europa, mantendo o status de altas classes. Hoje em dia, os pugs não são mais exclusivos das altas classes, mas depois de tanta manipulação a raça apresenta vários problemas. Entre as condições estão a incapacidade de reconhecer cheiros ou respirar com qualidade, geralmente sofrendo com surdez ou cegueira.

3 - Ligre

3

O cruzamento de um leão macho com uma tigresa produz um felino conhecido por ligre (caso a leoa cruze com um tigre, o resultado é um tigreão). Enquanto as criaturas não costumam se encontrar no mundo selvagem, 30 dessas criaturas foram geradas em cativeiro. O resultado do cruzamento produziu o maior felino do mundo, sendo que o maior desses chega a pesar 418 kg e medir 3,3 metros. Por conta do cruzamento manipulado em cativeiro, a espécie é basicamente utilizada para demonstração em zoológicos.

4 - Besouros robôs

4

Em um experimento realizado em insetos, Hirotaka Sato, da Nanyang Technological University em Cingapura, transformou insetos em ciborgues instalando eletrônicos e transmissores de rádio nas costas deles. Por meio da instalação, Sato descobriu que podia controlar seus movimentos, decidindo para qual direção eles iriam. A ideia do pesquisador é estender a pesquisa para criar uma espécie de biodrones.

5 - Dachshund

5

No passado, os dachshund costumavam ter pernas funcionais e pescoços condizentes com o seu tamanho. Com o passar do tempo, as costas e pescoços da raça ficaram mais longos e as pernas encolheram em relação à proporção corporal. Por causa disso, os dachshund possuem o maior risco de problemas nas vértebras de todas as raças de cachorro, o que pode provocar a paralisia em alguns cães. Além disso eles estão sujeitos a vários problemas em suas pernas por conta do estranho formato do corpo.

6 - Cabra aranha

6

A empresa Nexia Biotechnologies conduziu um experimentando comandado pelo professor Randy Lewis que gerou cabras capazes de gerar teias de aranha. Como é muito difícil manter aranhas como animais domésticos, o experimento inseriu genes de aranhas em algumas cabras. O resultado foi uma série de bebês híbridos que produzem leite e teias de aranha. A intenção dos criadores é utilizar essa teia como produto na indústria e no comércio, por meio da criação de cabras, bem mais simples que a criação de aranhas.

Qual dessas criaturas mais te impressionou? Responda nos comentários abaixo.

Próxima Matéria
Via   Grunge     Dog Behavior Science  
PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+