• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 coisas que Draco Malfoy fez depois dos livros

POR Gabi Noronha    EM Séries e Sagas      01/10/18 às 17h52

O mundo mágico criado por J.K. Rowling é bem rico e, embora leve o nome de Harry Potter, o bruxo não é o único personagem interessante na história. Além do trio principal, existem vários outros nomes que cativaram e chamaram a atenção dos fãs ao longo da saga. Desde o incrível diretor de Hogwarts, Alvo Dumbledore, ao simples Dobby, o elfo doméstico. Em meio a tantas personalidades, Draco Malfoy foi uma dessas outras pessoas que conseguiu destaque.

A princípio, o bruxo foi detestado por todos. Cheio de arrogância, preconceito e más intenções, ninguém gostava do menino rico mimado. Com o tempo, porém, percebemos que sua história não era tão simples como aparentava. Draco também foi uma vítima e seu comportamento grotesco era reflexo da opressão que sofria. O personagem evoluiu e foi capaz de conquistar o carinho do público. A seguir, confira algumas curiosidades sobre o que aconteceu com Draco Malfoy depois do término de As Relíquias da Morte.

1 - Evitou ser preso em Azkaban

Quando a Segunda Guerra Bruxa chegou ao fim, o Ministério da Magia e a Ordem da Fênix uniram forças para capturar os Comensais da Morte sobreviventes para levá-los até Azkaban. Draco e seus pais, como bem sabido, serviram Voldemort por anos. O garoto, inclusive, foi escalado para matar Dumbledore, mas não conseguiu cumprir a missão. De última hora, a família Malfoy mudou de lado. Narcisa mentiu sobre a morte de Harry para o Senhor das Trevas e rompeu os laços que tinha com ele. Apenas assim, eles puderam evitar ir para Azkaban.

2 - Manteve-se parte do Sagrado Vinte e Oito

Certos hábitos levam tempo para mudar. A família de Malfoy sempre defendeu a pureza da linhagem, algo claramente retratado no comportamento preconceituoso de Draco durante seus anos em Hogwarts. Por isso, mesmo que tenha mudado de lado no final, a ideia de manter o sangue puro da família gritou no seu interior. Assim, ele se casou com Astoria Greengrass, pelo bem da permanência no grupo dos Sagrado Vinte e Oito.

3 - Enfrentou os pais para se casar

Draco é um exemplo de como a pessoa pode ser corrompida pelo meio. Ele não nasceu cheio de maldade, mas não teve outro exemplo durante sua infância e nem em boa parte de sua adolescência. O que viveu em Hogwarts o mudou por completo, e ele aproveitou a chance de poder ser uma pessoa diferente. Embora Astoria Greengrass fizesse parte do Sagrado Vinte Oito, seus pais não aprovavam a garota. Adquirindo mais autoconfiança com os anos, Draco não se importou com a opinião de Lucius e Narcisa Malfoy e casou com a pessoa que queria.

4 - Foi morar na mansão da família

Com exceção da escola, a mansão da família Malfoy foi o único lar que Draco conheceu. Por mais lembranças ruins que tivesse do lugar, ele optou por tentar recomeçar a vida ali. Dessa forma, depois de casado, Draco levou Astoria para morar na mansão. Foi lá também que ele ficou para criar o filho, Escórpio. Com o estilo de vida bem diferente do que conhecia, ele passou a encarar o local de outra forma.

5 - Cuidou de Astoria

Anos e anos antes de Astoria Greengrass nascer, uma de suas ancestrais teve seu sangue amaldiçoado. Dessa forma, ela se tornou uma maledictus, isto é, uma pessoa portadora de tal maldição. Um infortúnio que atinge apenas as mulheres e é passado de geração a geração. Por muito tempo, a condenação ficou adormecida nas mulheres da família Greengrass, mas foi despertada em Astoria. Ela ficou muito doente e sua saúde piorou depois de dar à luz. Por incrível que pareça, Draco ficou ao seu lado e fez de tudo para cuidar da esposa. Astoria sobreviveu o suficiente para ver seu filho entrar em Hogwarts, mas, infelizmente, não resistiu até sua formatura.

6 - Educou Escórpio de forma diferente

Tanto Draco quanto Astoria cresceram em ambientes tóxicos, cercados por pessoas intolerantes a qualquer coisa que fugisse do seu confortável círculo de vida. Foi assim que desenvolveram preconceitos por bruxos de "sangue ruim". Com sorte, eles conseguiram mudar, em particular Draco. Com a nova percepção de mundo, o casal educou o filho para ser diferente. Desde cedo, ensinaram Escórpio a ser tolerante com todos os tipos de pessoas, os mestiços e os trouxas. Eles também incentivaram o filho a dar valor na bondade e na generosidade. Astoria até mesmo deu uma dica a ele, ao revelar que doces sempre ajudam você a fazer amigos.

7 - Manteve uma vida reclusa

Draco não teve uma infância da qual pudesse se orgulhar. Embora tenha sido capaz de mudar suas ideologias e comportamentos, ele machucou muitas pessoas no passado. Junto com a esposa e o filho, ele se manteve recluso na mansão Malfoy. Com dinheiro suficiente para não precisar trabalhar, Draco levou uma vida recolhida, sem grandes festas ou comemorações. Sua decisão foi intensificada depois que a doença de Astoria se manifestou. O comportamento mais retido gerou diversos tipos de boatos e, para tentar proteger o filho de comentários maldosos, Draco se fechou ainda mais. Se manteve longe da sociedade e do status que um dia teve.

Próxima Matéria
Via   SR  
Gabi Noronha
Resumindo, é basicamente isso! Mais aventuras em Instagram: @gabinoronhaf
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+