• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 coisas surreais que aconteceram na Mesopotâmia

POR Cristyele Oliveira    EM Curiosidades      26/08/19 às 13h01

A Mesopotâmia é um dos berços da civilização, situada no sistema fluvial Tigre e Eufrates onde atualmente é a região de Kuwait, Turquia, Síria e Iraque. Não há como negar ou diminuir a importância da Mesopotâmia na história da humanidade. Essa região foi crucial, deixou grandes maravilhas arquitetônicas e uma filosofia jurídica indispensável nos dias de hoje. Mas nem tudo eram flores, a Mesopotâmia também deixou outros tipos de herança, um tanto quanto peculiar.

O fato é que a antiga Mesopotâmia também foi o lugar de terríveis governantes, que chegaram a ser brutais. Também tiveram desastres apocalípticos e doenças totalmente surreais. A história da Mesopotâmia beira o trágico e cômico e essa lista irá te mostrar o porquê. Confira a seguir 7 coisas surreais que já aconteceram na Mesopotâmia. Se prepare, porque algumas são difíceis de acreditar.

1 - Fosso da Morte

A capital da Suméria (localizada no atual Kuwait e no sul do Iraque) era Ur. A cidade era o lar dos reis patriarcais, onde a devoção e obediência dos súditos aos monarcas era algo totalmente inacreditável. Quando os monarcas morriam, os membros de sua corte também eram obrigados a morrer. Segundo a antropóloga Janet Monge, isso era tido como "assassinatos em massa". O "Grande Poço da Morte", que é relatado na Enciclopédia da História Antiga, é o lugar onde esses cadáveres reais recebiam os seus enterros elaborados junto aos membros da sua corte. Historiadores argumentam, que os guardas e servos que morriam em nome dos monarcas, faziam isso de livre e espontânea vontade bebendo veneno.

2 - Juízes sanguinários

A cidade de Babilônia foi descrita pela National Geographic como "jóia do mundo antigo". A cidade com estruturas impressionantes, jardins suspensos e outras obras arquitetônicas logo ultrapassou Ur como a cidade mais poderosa do sul da Mesopotâmia. Lá, a lei da justiça retributiva, do tipo "olho por olho" era a vigente. Essa filosofia foi incorporada ao primeiro código legal já escrito. Pelos registros históricos, esse código de lei foi verdadeiramente brutal. Os juízes babilônicos "estavam particularmente animados" em distribuir punições severas aqueles que quebravam as regras de alguma forma. As punições mais dramáticas, incluíam cortar as mãos, cortar os narizes e arrancar corações.

3 - Sacrifício de crianças

Já deu para perceber como a vida na antiga Mesopotâmia podia ser cruel, e isso inclui crianças também. Bebês nascidos com qualquer tipo de deformidade eram sacrificados. Segundo a Enciclopédia Greenhaven da Mesopotâmia Antiga, os recém-nascidos com membros faltantes, gêmeos siameses e intersexuais eram considerados amaldiçoados e eram jogados no rio sem dó nem piedade. Segundo a Enciclopédia da Morte e da Experiência Humana, esses bebês defeituosos "eram considerados descendentes de bruxas e animas e eram deixados para morrer".

4 - Pilar de carne humana

Ashurnasirpal herdou o Império Assírio que reinou no Oriente médio por milhares de anos. Ele foi o responsável por criar um exército brutal, capaz de lançar o inferno em qualquer um que ousasse o desafiar. Um dos seus feitos mais bizarros envolve a construção de um pilar feito com partes de corpos humanos daqueles que se rebelaram contra ele. Como ele próprio deixou escrito sobre essa rebelião: "Eu construí um pilar sobre o portão da cidade e esfolei todos os chefes que se revoltaram e eu cobri o pilar com usas peles". Ele ficou conhecido por queimar, cegar e decapitar rebeldes.

5 - Doenças causadas por pecados

Na antiga Mesopotâmia, as doenças eram tratadas como atos de retribuição divina pelos pecados cometidos. Quando uma pessoa ficava doente, ao invés de haver um diagnóstico sobre a enfermidade, um médico tinha que determinar qual o pecado cometido pelo paciente, só assim para ele encontrar uma forma de recompensar a divindade ofendida e quem sabe conseguir a cura.

6 - Escravidão

A antiga Mesopotâmia está entre as primeiras civilizações a ter um rei-deus. E os Sumérios usavam da ideia de divindade para justificar a escravidão naquela época. O primeiro a se proclamar um rei-deus foi Naram-sim de Acádia.  O que era muito conveniente, já que aqueles povos acreditavam que "os seres humanos foram criados pelos deuses para manter a ordem e conter o caos". Essa ideia é a mais usada para se explicar a escravidão entre os sumérios.

7 - Vingança de Nabucodonosor 

Nabucodonosor II foi o maior rei da Babilônia. Ao conquistar Jerusalém, a capital do Reino de Judá, ele declarou Zedequias como o rei de Judá. Zedequias teve o seu reinado de nove anos acabado porque começou a planejar uma revolta contra Nabucodonosor. Como vingança pela traição, o rei da Babilônia obrigou Zedequias a ver a execução dos seus próprios filhos. O que aliás, foi a última coisa que ele viu, já que depois disso ele foi cegado e morreu como prisioneiro. Se não o suficiente, Nabucodonosor ainda destruiu Jerusalém, deixando a cidade em escombros.

E você, já de alguma outra coisa surreal que acontece uma Mesopotâmia? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com o seus amigos.

Próxima Matéria
Via   Grunge  
Imagens Grunge
Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+