• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 coisas totalmente bizarras encontradas em museus

POR Bruno Destéfano    EM Curiosidades      06/05/19 às 16h46

Museus são instituições dedicadas ao armazenamento e interpretação das principais evidências concretas sobre a humanidade e do meio ambiente. Uma das principais diferenças em relação à biblioteca é que a sua matéria-prima é unica e serve para estudos/pesquisas. Os espaços podem servir como instalações recreativas, locais acadêmicos ou recursos educacionais. Também contribuem para a qualidade de vida das áreas onde estão situadas e atraem os turistas para a região. No entanto, mesmo que essas características pareçam formais demais, ainda é possível se surpreender ao visitar o museu mais próximo de onde você mora. Talvez, ele possa conter pérolas escondidas (e absolutamente bizarras) que podem te tirar de sua monotonia. Da Filadélfia a Tóquio, os museus têm aparecido com coleções tanto cômicas quanto impressionantes, dependendo do seu ponto de vista. Preparamos uma lista com 7 coisas totalmente bizarras encontradas em museus.

Não é fã de estátuas gregas? Uma parede inteira de obras de arte clássica faz você sair correndo de tédio? Você é o tipo de pessoa que se irrita com as férias quando seus amigos querem passar horas observando prateleiras de artefatos históricos? Bom, ainda há esperança para você. Esqueça tudo o que acha que sabe sobre os museus e comece a escrever o seu próximo itinerário de viagem. O mundo é totalmente estranho lá fora e, como você verá, está ficando cada vez mais... peculiar.

1. Esculturas fecais

Não importa o seu status, gênero, região ou mesmo espécie, pode-se dizer que os movimentos intestinais são o grande unificador entre todas as criaturas viventes. É nessa ideia que Museu Unko do Japão se sustenta. "Unko", como você provavelmente adivinhou, é japonês para "cocô", e de acordo com a CNN, essa atração turística de Yokohama celebra tudo relacionado ao intestino. As exposições são voltadas para coloridas artes de cocôs, vídeos de música temática e brinquedos com formato propício. Se você já quis tirar selfies com fezes enfeitadas e conceituais, esta é sua chance.

2. Exposição pontiaguda

O Museu Falológico Islandês celebra a diversidade do órgão genital masculino. Desenvolvido pelo historiador Sigurður Hjartarson, o trabalho começou com apenas um exemplar, em 1974. Depois, acrescentou alguns membros de baleias à mistura e, finalmente, abriu as portas do museu em 1997. O museu, agora, apresenta mais de 200 amostras de todos os animais que você possa imaginar. Essa é uma das coisas totalmente bizarras encontradas em museus. Tudo é bem... falocêntrico.

3. Museu cerebral

Na noite de 5 de abril de 1955, o patologista Thomas Harvey realizou a autópsia num homem que havia morrido de um aneurisma da aorta abdominal. Essa causa da morte é bastante comum, mas o corpo analisado era nada mais nada menos que o de Albert Einstein. O Dr. Harvey tinha plena consciência do quanto Einstein era brilhante e, por isso, decidiu roubar o seu cérebro. É exatamente isso o que você leu.

A família de Einstein não sabia do roubo, mas acabaram autorizando caso as amostras do cérebro fossem usadas para pesquisa científica. Desordem moral à parte, pedaços do cérebro do grande físico teórico encontraram agora um estranho lar no Museu Mütter, na Filadélfia.

A coleção inclui ossos, órgãos e instrumentos médicos. Embora tenha se tornado uma atração turística de ponta, o próprio Einstein não teria aprovado. O famoso cientista disse a um biógrafo que ele queria ser cremado para que as pessoas não pudessem adorar seus restos mortais.

Ops.

4. Museu Cupnoodles

Para você, o lámen pode ser apenas um alimento barato que traz de volta memórias de seu primeiro apartamento, mas a cultura e a história deste prato japonês vai mais fundo do que se imagina. O primeiro macarrão instantâneo, chamado "Chicken Ramen", foi inventado pelo Momofuku Ando, em 1958. Mal sabia ele que um dia estaria alimentando gerações de jovens adultos ou, que quase meio século depois, uma instituição em Ikeda, Japão, seria aberto em sua homenagem: o Museu Cupnoodles.

5. Avanos Hair Museum

Imagine uma sala em forma de caverna com incontáveis ??pedaços de cabelo presos a cada superfície. É exatamente isso que constitui o Avanos Hair Museum, na Turquia. Tudo começou quando um ceramista local pediu para que sua amiga lhe deixasse fios de cabelo como recordação. Ele colocou as mechas em sua loja para que os visitantes pudessem ver e, aparentemente, isso inspirou os futuros convidados a presenteá-lo com os seus próprios cabelos.

É uma das coisas totalmente bizarras encontradas em museus, mas eu achei a história um tanto quanto bonitinha.

6. Museu Parasitológico de Tóquio

Pode-se argumentar que seu corpo já é um tipo de museu parasita, considerando os milhões de organismos estranhos que vivem nele agora. Se você está procurando por uma coleção dentro desta perspectiva, considere visitar o Museu Parasitológico de Meguro, em Tóquio. Fundada em 1953, por um médico chamado Satoru Kamegai, este lugar permite contemplar com horror os incontáveis ??organismos parasitas que um dia encontrarão um lar dentro de você. Ao todo, o museu mantém cerca de 60.000 espécimes de parasitas.

7. "Peixe-macaco"

À primeira vista, o Museu Zwaanendael de Lewes, nos Estados Unidos, não parece um lugar estranho. A maioria das exposições mostra a história marítima da primeira colônia europeia de Delaware, Swanandael. No entanto, um sujeito assustador chamado "Fiji Merman", preso em uma caixa de vidro com uma boca escancaradamente aberta, é um dos artefatos expostos.

De acordo com a Roadside America, o suposto bicho da água foi descoberto por um antigo almirante em algum momento do século XIX. Em seguida, foi presenteado à rica família Lewes. Eles doaram a criatura para o museu em 1941, onde permaneceu por mais de 40 anos.

A cidade acabou comprando-o quando o último membro da família Lewes morreu. Desde então, faz parte do Museu Zwaanendael. Os garotos locais aparentemente se referem ao tritão como um "peixe-macaco", mas um rabo de peixe e um crânio de macaco provavelmente foram os materiais usados ??para a montagem.

Estranhos artefatos ou nada novo sob o Sol? Ficou interessado em visitar algum destes museus? Não esqueça de deixar o seu comentário.

Próxima Matéria
Bruno Destéfano
Escritor, fotógrafo e jornalista // Deixe que o conhecimento te revolucione de dentro para fora.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+