icone menu logo logo-fatos-historicos.png


7 descobertas recentes que provam que entendemos a história completamente errada

POR Mateus Graff EM História 27/11/17 às 16h44

capa do post 7 descobertas recentes que provam que entendemos a história completamente errada

Muito se sabe do passado recente, coisa de 200 anos atrás. Sabe-se por que as pessoas escreveram a história, nos dando a possibilidade de termos uma noção dos acontecimentos de outras épocas. Mas e as coisas que não foram escritas, que os historiadores "deduzem" a partir de estudos? Claro que nada pode ser dado como uma certeza absoluta, mas certos argumentos nos dão uma ideia de como eram as coisas no passado.

Pois bem, o problema é que descobertas acabam desmentindo coisas que as pessoas acreditaram durante muito, mas muito tempo. Tendo isso em mente, nós resolvemos selecionar algumas dessas descobertas que acabaram nos mostrando a verdade, confiram:

1 - Algumas pessoas carregam o DNA de outras espécies humanas

Já se sabe que pessoas modernas podem ter misturas de genética com Neandertais. Novas evidências descobriram que tal mistura de diferentes espécies humanas não se limitava apenas a Neandertais e Homo sapiens. Além de nós, pelo menos outras quatro espécies de hominídeos que viviam no planeta. Os Neandertais, os Denisovans (que habitavam o sul da Sibéria), um pequeno hominídeo indonésio (apelidado de "o hobbit") e Homo Naledi, que foi descoberto em um sistemas de cavernas sul-africanas em 2015.

O DNA do Neandertal é encontrado em seres humanos que tem origens fora da África e podem representar um a dois por cento dos genomas desses indivíduos. Já o DNA do Denisovan aparece nos genomas das pessoas que vivem no Leste Asiático e Oceania. Em 2016, o geneticista estatístico Ryan Bohlender descobriu que os insulares do Pacífico podem ter o DNA de outro hominídio extinto, só que desconhecido. Então, hoje está muito claro que o nosso DNA é uma mistura maluca.

2 - Os Vikings tinham guerreiras mulheres

Se você assiste o seriado Vikings, sabe que Lagertha pode matar um homem facilmente. Agora se você não é fã de Vikings, saiba que as guerreiras desse povo eram tão temidas quanto os guerreiros. Na década de 1880, o esqueleto de um guerreiro viking foi encontrado na Suécia. Todos assumiram que tal esqueleto pertencia a um homem. O guerreiro tinha sido enterrado com suas armas, escudos e dois cavalos.

Mas o gênero desse esqueleto permaneceu incorretamente por muito tempo. Recentemente, um osteologista percebeu as maçãs finas do rosto e os ossos do quadril feminino. Ele decidiu fazer uma análise de DNA e descobriu que realmente se tratava de uma mulher. Sendo assim, caros leitores, as mulheres da cultura viking eram guerreiras e líderes militares. E quem foi que disse que mulher não pode ir a luta?

3 - George Washington não tinha dentes de madeira

Vocês já ouviram por aí que George Washington tinha dentes de madeira? Dizem que suas dentaduras eram tão nojentas que realmente pareciam ter sido feitas de madeira. O fato é que esse boato foi espalhado para o mundo inteiro. A dentadura de George Washington foi parar em um museu e pesquisadores resolveram analisá-la.

Depois de fazer exames a laser, eles descobriram que os dentes de George Washington foram feitos de marfim, ouro, chumbo e dentes reais, alguns dos quais eram humanos e outros de animais. Agora por que ele não fez de apenas um material, isso ninguém sabe responder.

4 - Sacrifícios incas davam bebidas as crianças

A civilização inca já foi o maior império das Américas. Porém, eles sofreram muito com as catástrofes naturais, e por isso eles acreditavam que precisavam tomar medidas drásticas. Enquanto nós costumamos colocar a culpa nos presidentes e ficar reclamando por longos quatro anos, os incas achavam que matar um bando de crianças poderia acalmar os deuses.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, os sacrifícios infantis não eram feitos com crianças arrancadas dos braços dos pais. Na verdade, eram filhos de famílias ricas que eram oferecidos de bom grado, pois isso era visto como prestígio. Em 2013, foi descoberto que as crianças incas que eram sacrificadas recebiam coca e cerveja milho em quantidades crescentes um ano antes do sacrifício. Na cerimônia, eles recebiam cerveja de milho até ficarem inconscientes. Nesse momento, eles eram colocados nos túmulos dos rituais e congelaram até a morte.

5 - O rei Tutankhamon não foi assassinado

Muito diferente do que as pessoas pensam, o rei Tutankhamon não morreu nas mãos de um rival político ou amante ciumento. O rei Tut, assim como é chamado, não é famoso por construir as pirâmides ou trazer o monoteísmo para o Egito, e sim por ter sido enterrado com um monte de tesouros. Bom, mas voltando ao foco desse item, não existe nada que diz como o rei Tut morreu e a causa de sua morte não passa de pura especulação.

Como ele morreu muito jovem, muitas pessoas acham que ele foi assassinado. As teorias falam sobre um golpe atrás da cabeça dado por um rival. Pesquisadores fizeram testes de DNA e tomografias, o que revelou que o rei sofria de malária grave, uma perna infectada e quebrada.

6 - A cerveja antiga provavelmente era horrível

Imaginem uma receita de cerveja mesopotâmica de 5.500 anos atrás? Uma equipe de arqueólogos da Universidade de Chicago, com a ajuda de alguns fabricantes de cerveja da Great Lakes Brewing Company, em Ohio, tentaram fazer. Tentando ser originais, eles fizeram a cerveja usando vasos de barro e uma colher de madeira. Porém, o resultado final deixou a desejar.

Os antigos sumérios não deixaram exatamente as melhores instruções. Eles recrutaram um padeiro de Cleveland para ter o fermento ideal, o que foi descrito como o mais difícil do processo. Mas o resultado final foi bem decepcionante. Como um deles relatou, "muito azedo para a língua moderna". Bom, se era boa na época nós não sabemos, mas a receita feita não foi aprovada pelos cervejeiros que participaram do experimento.

7 - O rei Richard III era concunda

Shakespeare afirmou várias vezes que o rei Richard III era corcunda, mas a verdade é que isso não passa de balela. Ele descrevia o rei como "um sapo corcunda, deformado e incompleto". Mas análises dos restos mortais do rei confirmaram que Richard III não era realmente corcunda. Ele sofria de escoliose, um problema médico que causa uma curvatura na coluna. Muitas pessoas passaram muitos anos tendo em mente que o rei era corcunda, mas a verdade veio à tona.

E aí, já sabiam que todas essas descobertas desmentiram muitas coisas da história? Comentem!


Próxima Matéria
avatar Mateus Graff
Mateus Graff
https://www.instagram.com/mateusgraff/ https://www.facebook.com/mateus.adjutomartinsgraff
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest