• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 empregos bizarros que eram feitos por crianças antigamente

POR Jesus Galvão    EM História      31/01/19 às 18h46

Todos sabemos como antigamente muitos trabalhos eram difíceis. Até mesmo para os adultos. As leis trabalhistas quase não eram pauta, em alguns períodos, sequer existiam, o que abria margem para muita exploração e exposição a todos os tipos de riscos.

Entre o século XVIII e o início do século XIX, a industrialização começou a ocorrer na Grã-Bretanha, que foi o primeiro país a colocar crianças para trabalhar. Muitas vezes em condições precárias e que até mesmo que causavam doenças e até a morte. Pensando nisso, hoje listamos alguns desses trabalhos bizarros que muitas crianças tiveram que se submeter. Confira!

1 - Castrato

Nos tempos da Europa medieval, os cantores de coral eram muito valorizados. E eles utilizavam uma técnica muito peculiar para preservar as vozes dos homens. Eles cortavam os testículos de pré-adolescentes.

Isso era feito para cortar a testosterona nos jovens, preservando suas vozes agudas. A maioria deles, com cerca de 12 anos de idade e geralmente de famílias pobres, que aproveitavam da popularidade dos Castratos nos anos 1500.

2 - Ajudante médico

Muitas crianças ajudavam médicos em navios. Eles trabalhavam servindo comida para os doentes, dando fim a membros amputados, esvaziando e limpando os banheiros e os instrumentos médicos utilizados. E muitas vezes, durante cirurgias feitas sem anestesia, eles precisavam conter os pacientes.

3 - Varredores de chaminés

Esse trabalho ganhou notoriedade durante a Revolução Industrial. Crianças eram utilizadas para fazer a limpeza de chaminés em indústrias. Isso porque seus corpos pequenos viabilizavam perfeitamente o trabalho. No entanto, podemos imaginar os diversos problemas de saúde e respiratórios que essas crianças podem ter desenvolvido devido a isso. Isso se elas sobrevivessem às duras jornadas.

4 - Caçadores de ratos

Ratos podem transmitir diversas doenças e isso não novidade para ninguém. Pense nisso em áreas urbanas com uma quantidade crescente de lixo. Assim surgiu a necessidade de capturar os roedores. As crianças, principalmente aquelas na fase da pré-adolescência, eram utilizadas para tal serviço.

Para eles, era melhor do que trabalhar em minas de carvão ou limpando chaminés. Os ratos capturados não eram exterminados, para serem levados para competições onde cães da raça Terrier eram treinados para matá-los, o que acabou criando todo um esquema de apostas.

5 - Varredores

Durante o período da Inglaterra vitoriana, muitas crianças trabalhavam varrendo as ruas, à espera de gorjetas dos cidadãos mais ricos. Muitas pessoas podem pensar que este era um trabalho seguro. No entanto, essa era uma época onde quase não havia sinalizações de trânsito, logo, carroças, charretes e animais passando a todo momento, eram uma cena comum.

6 - Trabalho com fósforo

Crianças foram contratadas para trabalhar com fósforo branco, necessário para criar os palitos de fósforo (antes do fósforo vermelho o substituir no final da década de 1880). A exposição prolongada a esse produto causa necrose fosforosa da mandíbula. Tal condição interferiu no desenvolvimento ósseo das crianças e fez com que muitas delas perdessem partes de suas mandíbulas inferiores.

7 - Recarregadores de canhões

Durante algumas guerras, meninos trabalhavam como recarregadores de pólvora para os canhões. Marinheiros adultos já estavam ocupados demais apontando os canhões e navegando. Portanto, o serviço acabava sobre a responsabilidade dos pequenos. Os que sobreviviam, devido aos conflitos, geralmente acabavam entrando pra Marinha.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Próxima Matéria
Jesus Galvão
Goiano, Canceriano e Publicitário.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+