• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 fatos sobre o bizarro Sr. Cruel, um serial killer australiano

POR Cristyele Oliveira    EM Terror & Sobrenatural      27/08/19 às 12h17

A ideia de bicho papão permeia o imaginário de várias culturas. E poderia ser assim, só uma ideia, mas em todos os lugares sempre aparece algo esperando para nos pegar. Exatamente como um bicho papão faria. E a Austrália teve o seu próprio bicho papão, um serial killer tão bizarro que foi chamado de "Sr. Cruel", com esse nome você já pode imaginar o porquê. No final da década de 1980 e começo os anos 1990, essa criatura de carne, osso e sague, muito frio, diga-se de passagem, aterrorizou a cidade de Melbourne. Foram vários ataques, evasões domiciliares e sequestros.

Várias garotas foram vítimas do serial killer. E por incrível que pareça, apesar dos seus atos e das investigações à sua procura, o Sr. Cruel permanece até hoje com a sua identidade intacta. Ninguém sabe quem é o serial killer então ele nunca foi pego ou condenado pelos seus crimes. Confira a seguir, 7 fatos sobre esse serial killer que aterrorizou os australianos.

1 - Primeira vítima

O primeiro crime que foi relacionado ao Sr. Cruel aconteceu no dia 22 de agosto de 1987. Por volta das 4 horas da manhã, o serial killer invadiu a casa de uma família na cidade de Melbourne. Usando uma faca e uma arma, ele acordou todos os membros da família e os amarrou com cordas e fitas. Segundo relatos, ele disse à família para ficar calma, que ele só queria dinheiro. Mas não parecia ser esse o caso.

Ele colocou o pai e a mãe amarrados dentro de um armário, o filho de seis anos do casal foi amarrado à cama, e a filha de 11 anos que foi a verdadeira vítima. A menina foi estuprada durante duas horas. O estupro era obviamente o seu motivo, já que as únicas coisas que o criminoso levou da casa foram alguns discos de vinil e um casaco velho. Esse ataque aleatório não deixou quase nenhuma pista para trás, e os investigadores do caso nunca conseguiram localizar o estuprador de menina.

2 - Sequestro

Um ano depois do primeiro ataque, o Sr. Cruel fez outra família de vítima. Dessa vez foi a família Wills. Na madrugada do dia 27 de dezembro de 1988, o homem invadiu a casa da família. Como de costume, ele amarrou os patriarcas e foi em busca dos filhos do casal. O roubo novamente não era o foco do criminoso, que dessa vez levou 35 dólares que estava na mesa.

O casal tinha 4 filhas, Sharon de 10 anos, as gêmeas Robyn e Linda, de 8 anos, e Annette, de 5 anos. O Sr. Cruel então pegou Sharon, a amordaçou e saiu da casa, levando apenas algumas roupas da menina. Quando conseguiram se soltar das amarras, o casal não encontrou mais o criminoso nem a filha. Cerca de dezoito horas depois da invasão, a menina foi encontrada me meio a sacos de plástico próximo ao terreno da escola. A polícia levou a menina de volta a sua família.

3 - Ataque de Canterbury

Cruel deu um ano de folga a cidade e voltou a atacar em 1990. No dia 3 de julho de 1990, o criminoso invadiu a casa da família Lynas, no subúrbio de Canterbury. A família era composta pelos pais, Brian e Rosemary, e as duas filhas, Fiona de 15 anos, e Nicola, de 13. Diferentemente dos ataques anteriores, os pais não estavam em casa na hora do crime. Dessa vez ele não enfrentou nenhuma resistência e sequestrou Nicola, e a manteve como sua prisioneira por 50 horas. Durante o sequestro a menina foi agredida sexualmente a maior parte do tempo em que esteve em cativeiro.

4 - Pistas

As duas meninas sequestradas pelo Sr. Cruel, Sharon Wills e Nicola Lynas foram as primeiras a fornecerem informações sobre o criminoso à polícia. Sharon o descreveu como "doce" e gentil", apesar do sequestro, e descreveu a sua voz como "suave". As duas garotas relataram ouvir o som de aviões chegando e partindo, e logo a polícia concluiu que ele morava perto de um aeroporto. No entanto, elas não tinham muitas informações sobre ele, até porque nenhuma delas conseguiu realmente ver o rosto do Sr. Cruel. Elas descreveram a sua máscara como assustadora, sendo preta e com costuras brancas ao redor dos olhos e da boca. Essa foi a imagem que ficou dele, já que até hoje ninguém sabe quem é o Sr. Cruel.

5 - O assassinato de Karmein Chan

Em abril de 1991, o Sr. Cruel veio a cometer o que se tornou o seu crime mais infame. Segundo a polícia australiana, também o último dos seus crimes. No dia 13 de abril daquele ano, o criminoso invadiu uma casa localizada no subúrbio de Melbourne, onde estavam Karmein Chain, de 13 anos, e suas duas irmãs mais novas, Karly e Karen. Seus pais estavam fora, trabalhando nos restaurantes da família. Por volta de 21:00 o homem invadiu a casa e forçou as duas meninas mais novas a entrarem em um armário. Quando finalmente foram libertadas, Karmein e o homem mascarado já não estavam mais ali.

Algum tempo depois o FBI enviou uma carta a polícia local esboçando um perfil do Sr. Cruel, observando que "o ofensor tem um intenso interesse por crianças, pornografia caseira própria, e provavelmente moraria em uma residência unifamiliar". Mas nada disso poderia ajudar a salvar a garota. No dia 9 de maio, seu corpo foi encontrado em Thomastown. A autópsia revelou que o assassino atirou na garota diversas vezes até a morte. Os detetives suspeitaram que ele havia sido morta porquê de alguma forma conseguiu ver a identidade do criminoso.

6 - Professor?

Uma das teorias mais populares sobre o Sr. Cruel é que ele teria trabalhado como professor na época em que cometeu seus crimes. Uma das evidências que sustentam essa teoria é o fato de ele ter chamado Sharon Wills pelo seu primeiro nome durante o ataque à sua família. Isso logo indicou que havia algum tipo de intimidade com a menina. Outro detalhe interessante sobre o caso, é quanto tanto Nicola Lynas quanto Karmein Chan eram alunas do Presbyterian Ladies College. Seria o Sr. Cruel um professor presbiteriano? Isso ninguém sabe, mas é uma ideia que não pode ser descartada.

7 - Principal suspeito

Por vários anos, desde 1991, a polícia e a mídia australiana divulgam informações sobre suspeitos no caso de Cruel. Em 2016, o Jornal Herald Sun revelou que a polícia local tinha um total de 7 suspeitos no caso. Um deles era um ex-professor da Universidade de Melbourne. O homem de 75 anos também tinha um histórico de crimes sexuais. O suspeito foi divulgado pela mídia como sendo Brian Alan Elkner. Mas até hoje a polícia não conseguiu provar a sua ligação com algum crime dado ao Sr. Cruel. E o caso permanece não resolvido.

E você, já tinha ouvido falar sobre o Sr. Cruel? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com os seus amigos.

Próxima Matéria
Via   List Verse  
Imagens List Verse
Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
As categorias Terror, Sobrenatural, CreppyPasta e entretenimento têm como único objetivo de entreter. Não devem ser utilizadas como fontes de artigos científicos ou trabalhos escolares.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+