icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


7 fatos sobre as torturas utilizadas pela CIA

POR Pietro Bottura EM Ciência e Tecnologia 16/12/14 às 21h14

capa do post 7 fatos sobre as torturas utilizadas pela CIA

Entre filmes, noticiários e tantas obras de ficção e relatos jornalísticos, geralmente fica meio difícil saber o que é verdade e o que é criação no mundo dos governos e polícias secretas, em especial da talvez mais icônica de nossos tempos, a CIA. Que, por acaso, desde 2009 recebeu do presidente Obama autorização para aplicar "métodos avançados de interrogação", que na verdade não têm nada de interrogação. Confira abaixo 7 coisas que você precisa saber sobre os programas de tortura da CIA:

"Interrogação Avançada"

Na verdade esse não passa de um eufemismo para tortura, que talvez você já tenha visto sendo descrita em outras matérias nossas: privando presos de dormir, comer, beber água, fazendo-os ouvir músicas irritantes a volumes altíssimos e colocando-os em temperaturas gélidas e ferventes, há diversos métodos desumanos para arrancar respostas de condenados, que geralmente "admitem" seus crimes apenas para pararem de sofrer, como acontecia na Inquisição e na Ditadura, entre outros exemplos. Uma das favoritas é a chamada "bandeja do lanche", que consiste em fazer alimentação forçada de comidas em forma de purê pelo ânus, algo que gera diversos problemas e lesões internas, além de ameças às famílias dos presos. Isso tudo feito pelo país que manda na ONU.

O governo se diz contra

Além de inúmeros estudos que mostram que a tortura somente faz com que inocentes admitam culpa ou encubram os reais culpados, o próprio senador John McCain, que concorreu à presidência com Obama, diz ter sido alvo da prática durante a Guerra do Vietnã, e por isso defende que o uso desse tipo de método "compromete o que nos distingue melhor de nossos inimigos, a crença de que todas as pessoas, até inimigos em cativeiro, possuem direitos humanos básicos". Pena que não passa de conversa.

Mortos e feridos

Diante do pronunciamento de McCain, o presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, disse que o país irá descobrir "os nomes e o número de afegãos sujeitos à essas técnicas e exigir seu direitos humanos", algo que deixa claro mais um início de conflito entre as nações, já que há relatos incontáveis de feridos e sequelados por essas torturas e ao menos de um morto oficialmente, Gul Rahman, que morreu de hipotermia após ser espancado e acorrentado numa sala gelada. Além dos resultados físicos, grande parte dos torturados comete suicídio, fica louca ou demente, muitos deles sendo inocentes.

Política internacional

Como se pode imaginar, o resto do mundo não está sorrindo diante do massacre realizado pelos EUA, em especial o Afeganistão, que antes era um aliado nas terras árabes e agora está criando forte animosidade com os EUA, inclusive proibindo que oficiais estadunidenses realizem prisões ou parem cidadãos nas ruas. A China, Rússia, Irã, Paquistão, França, Polônia e Coreia do Norte também já fizeram pronunciamentos oficiais colocando-se contra os abusos da CIA. Enquanto isso, a imagem de "país democrático" que os EUA tanto tentam construir só é cada vez mais subvertida.

A CIA engana até os EUA

É comum que arquivos sumam ou sejam alterados quando a CIA é investigada, e isso não é exceção para a Casa Branca, a Segurança Nacional, o Departamento de Justiça e até o Congresso, pra não falar no povo americano. Por isso, há muito ódio contra eles, apesar dos próprios americanos serem radicalmente contra esses abusos, em maioria.

Um dos mais conhecidos foi um documento onde a prisão de 20 criminosos famosos teria sido garantida apenas por causa do uso de torturas, algo que já foi desmentido por diversos estudos e também pelo fato de que, analisadas, as informações desses 20 casos foram comprovadamente obtidas de outras maneiras, mostrando que a tortura é inútil.

Não ajudou em nada a prender Bin Laden

Apesar da CIA apontar Bin Laden como um dos que foram pegos somente por causa da tortura, as informações obtidas de Hassan Ghul que levaram à captura do terrorista foram obtidas sem o uso de violência, o que inclusive gerou um relatório oficial afirmando isso - que a CIA jamais quis levar a público, é claro.

Há quem tenha lucrado com a tortura

Um caso famoso foi o de dois psicólogos da Força Aérea - aposentados e sem experiência em torturas - que foram recrutados para realizar torturas contra a Al Qaeda e receberam U$ 81 milhões para isso. Seus pseudônimos, Grayson Swigart e Hammond Dunbar, foram identificados como James E. Mitchell e Bruce Jessen, que criaram e colocaram em práticas diversos métodos antigos e novos, literalmente vendendo resultados positivos para a CIA.


Próxima Matéria
avatar Pietro Bottura
Pietro Bottura
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest