• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 ganhadores do Prêmio Nobel que deixaram o mundo melhor

POR Arthur Porto    EM Ciência e Tecnologia      08/10/19 às 17h30

Bilhões de seres humanos vivem, diariamente, tentando superar as barreiras impostas pelo labirinto da vida. Mesmo, em meio ao caos, alguns de nós seguimos focados, tornando-se seres disciplinados o suficiente para criar formas inteiramente novas melhorar a vida e, claro, preservar o universo. Por tal determinação, algumas dessas pessoas são agraciadas pelo famoso prêmio Nobel.

Em suma, o prêmio Nobel foi criado, em 1895, pelo filantropo sueco Alfred Nobel. Basicamente, o prêmio reconhece os melhores avanços nos campos científicos e culturais, como por exemplo, literatura, paz, economia, química, física e medicina.

Aqueles, que são agraciados por tal prêmio, recebem um diploma, uma medalha de ouro e um prêmio em dinheiro que, atualmente, ultrapassa US$ 1 milhão. O prêmio é individual e intransferível, com exceção do Prêmio da Paz, que pode ser concedido a uma organização.

Até o momento, o prêmio Nobel já foi concedido 573 vezes, a 900 pessoas e organizações. Dentre os ganhadores, alguns foram agraciados mais de uma vez. O mais importante, aqui, é que o prêmio Nobel reconhece o árduo trabalho daqueles que promovem mudanças significativas, nos campos científicos e culturais.

Conheça gora, 7 indivíduos que tiveram seus trabalhos reconhecidos e foram agraciados pelo grande prêmio Nobel.

1 - Marie Curie

Marie Curie nasceu em 1867, em Varsóvia, na Polônia. Encorajada pelo pai a se interessar pela ciência, Maria terminou os estudos aos 15 anos. Em 1883, Maria graduou-se em Física e Matemática pela Universidade de Sourbonne. Marie foi a primeira mulher a lecionar, na importante instituição de ensino europeia. Em 1894, Marie conheceu o professor de Física, Pierre Curie, com quem casou-se. Em 1896, o cientista Antoine Henri Becquerel incentivou o casal Curie, a estudar radioatividade. Após alguns anos de pesquisas ao lado de Pierre e Antoine, Marie recebeu, em 1903, o Prêmio Nobel de Física. Em 1911, Marie recebeu outro prêmio Nobel de Química. Dessa vez, por suas pesquisas com as propriedades do rádio e as características dos seus compostos. Marie tornou-se a primeira pessoa a ganhar duas vezes um prêmio Nobel.

2 - Albert Einstein

O ano de 1905 é considerado o "annus mirabili" da vida científica de Albert Einstein. Ao longo deste ano ele publicou cinco artigos, três dos quais revolucionaram a física. Entre estes encontra-se sua abordagem ao problema do efeito fotoelétrico. Einstein tem contribuições importantes em quase todas as áreas da física, mas, sem qualquer dúvida, suas contribuições mais importantes foram aquelas relacionadas com a teoria da relatividade restrita e com a teoria da relatividade geral. No entanto, ao escolher o Prêmio Nobel de 1921, o Comitê Nobel para Física da Academia Real de Ciências da Suécia deu mais importância ao trabalho sobre o efeito fotoelétrico. Literalmente, o prêmio foi concedido a Albert Einstein.

3 - O Comitê Internacional da Cruz Vermelha

A organização ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1917, 1944 e 1963 por seus serviços humanitários. Fundada em Genebra, na Suíça, em 1863, a Cruz Vermelha é uma organização, que ajudou diversas pessoas, independentemente da nacionalidade, em tempos de guerra. Além de prestar tal ajuda, a organização também busca aliviar o sofrimento de civis, que estiveram envolvidos conflitos violentos. Em suma, durante as Guerras Mundiais, a Cruz Vermelha monitorou a adesão à Convenção de Genebra e documentou quaisquer violações. Seus voluntários também visitaram campos de prisioneiros de guerra para garantir um tratamento humano. Em suma, Cruz Vermelha rastreava prisioneiros de guerra, entregava correspondência em campos de prisioneiros e geralmente servia como um elo vital entre famílias e soldados durante a guerra. Nesse ínterim, à medida que a guerra se espalhava pelo mundo, a Cruz Vermelha provou que o lado melhor da humanidade poderia persistir diante de balas e bombas.

4 - Alexander Fleming

O médico e bacteriologista escocês, Alexander Fleming, realizou uma das descobertas médicas mais importantes de todos os tempos: a penicilina. Em suma, como resultado, ganhou o Prêmio Nobel de 1945. Contudo, vale lembrar que a descoberta da penicilina se deu de forma acidental. Pesquisando substâncias capazes de combater bactérias em feridas, o médico esqueceu seu material de estudo sobre a mesa enquanto saía de férias. Ao retornar, observou que suas culturas de Staphylococcus aureus estavam contaminadas por mofo e que, nos locais onde havia o fungo, existiam halos transparentes, em torno deles, indicando que este poderia conter alguma substância bactericida.

5 - Madre Teresa

No ano de 1979, o prêmio Nobel da Paz era dedicado à Madre Teresa de Calcutá, uma freira católica de etnia albanesa que depois se naturalizou indiana. Em suma, a premiação foi um reconhecimento pelo trabalho, que realizou ao redor do mundo. Madre Teresa ajudou aqueles que eram realmente necessitados, os quais ela descrevia como encarnações de Jesus. Madre Teresa fez parte das Missioneiras da Caridade, uma congregação pontifícia sob a jurisdição de Roma. Seus membros, além dos votos de pobreza, castidade e obediência, também tinham o compromisso de servir aos pobres. Após abrir um centro em Calcutá, em 1952, Madre Teresa estendeu a ordem por todos os continentes. Inegavelmente, se comprometeu com a caridade por mais de 40 anos. Morreu em 1997, mas muitos continuam sua missão. Sua organização ainda está ativa em mais de 130 países, com milhares de irmãs atendendo às necessitadas.

6 - Ivan Pavlov

O fisiologista russo, Ivan Pavlov, desenvolveu seu conceito de reflexo condicionado através de um famoso estudo com cães. Nascido em 14 de setembro de 1849, em Ryazan, na Rússia, Ivan Pavlov abandonou a teologia para estudar ciência. Como chefe do Departamento de Fisiologia no Instituto de Medicina Experimental, seu trabalho inovador, sobre os sistemas digestivo de cães, lhe rendeu o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina, em 1904. Ivan Pavlov permaneceu um pesquisador ativo até sua morte, em 27 de fevereiro de 1936, em Leningrado, União Soviética, de causas naturais. Ele tinha 86 anos.

7 - Martin Luther King

Em 14 de outubro de 1964, o Prêmio Nobel da Paz foi concedido ao líder anti-racista, Martin Luther King, por sua defesa dos direitos civis e sua liderança na resistência pacífica, pelo fim do preconceito racial nos Estados Unidos. Com apenas 35 anos de idade, ele se tornou a pessoa mais jovem a receber o prêmio.

Próxima Matéria
Arthur Porto
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+