• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 histórias da mitologia nórdica que são melhores que as gregas

POR Bruno Destéfano    EM Curiosidades      18/06/19 às 18h04

Sem fazer juízo de valor - mas já fazendo - é impressionante como a mitologia nórdica é rica em detalhes. Nós já conhecemos diversos enredos dentro do contexto grego, porém precisamos nos ater para além disso. Um ponto interessante de ressaltar é que as narrativas nórdicas não explicitam o cunho feliz ou "brilhante" de outras histórias, mesmo não sendo completamente triste. Existe uma aura obscura que rodeia Loki, Odin, Ymir e Signy tão palpável como a noite caótica de dias ruins. A maioria das pessoas já ouviu falar do Ragnarok (ou o grande fim de todas as coisas) e isso envolve muito fogo e sangue. Entretanto, também existem outros mitos nórdicos que são muitas vezes perturbadores, repugnantes e às vezes francamente engraçados. E sim, antes que você pergunte, Loki está envolvido na maioria deles. Conheça 7 histórias da mitologia nórdica que são melhores que os da grega.

Os deuses dos mitos nórdicos tinham uma coisa em comum com os gregos: eles eram falíveis e totalmente capazes de estragar as coisas. Eles bebiam demais, dormiam por aí, importunavam com os mortais só por diversão e acabavam matando muita gente. Estamos falando de contextos diferentes, mas nada como uma boa dose de semelhanças.

1- Significados das projeções em nuvens

Já percebeu como alguns formatos de nuvens se parecem um pouco com cérebros gigantes? Bem, os nórdicos achavam que havia uma razão para isso. De acordo com seus mitos, o mundo foi feito de enormes partes do corpo do gigante Ymir. Após sua morte, seu sangue foi transformado em oceanos. Sua carne se tornara a própria terra e seus ossos se tornaram as montanhas. Podemos continuar com a metáfora? Seus dentes se tornaram as rochas, seus cabelos se tornaram as plantas e seus cílios se tornaram o reino humano chamado Midgard.

Por sua vez, o crânio de Ymir foi lançado para a atmosfera e se tornou o espectro celestial, que é sustentado aos quatro cantos por anões (nós, inclusive, já fizemos uma matéria especial sobre essas criaturas). E o cérebro do gigante? Também foi lançado e se tornou as nuvens. Quando você vislumbra o céu, você está realmente olhando para pedaços espalhados de cérebros gigantes - pelo menos de acordo com os nórdicos. Essa é uma das histórias da mitologia nórdica que são melhores que as gregas.

2- Sinfiotli

Os mitos nórdicos não são favoráveis ao incesto, mas isso não impede que os deuses se entreguem ao tabu. Uma deusa em particular, Signy, era certamente culpada por essa conduta. Ela deveria se casar com Siggeir, a quem ela realmente não gostava. Mesmo assim, Siggeir se tornara seu marido e, para piorar o cenário, acabou matando o próprio pai de sua esposa. Além disso, todos irmãos sofreram com a ira de Siggeir - exceto por um. O sobrevivente foi nomeado Sigmund e fora o único cúmplice de Signy na missão de assassinar o seu marido descontrolado.

Para fazer aprimorar a meta, ela manteve relações sexuais com Sigmund por três noites seguidas até gerar um guerreiro mais forte. Esse filho parecia saber o que estava fazendo e acabou matando Siggeir e todas as suas proles. Seu nome? Sinfiotli.

3- A garota zumbi

Loki manteve relações sexuais com uma giganta chamada Angrboda, fazendo-a ficar grávida de três filhos. Alguém poderia pensar que essas crianças seriam metade deus e metade gigante, não é? Bom, este não foi o caso. Ao dar à luz, Angrboda viu que seus filhos se tornaram criaturas animalescas ou semi-mortas. Parece ser mais preciso: uma dessas criaturas era uma enorme cobra, sendo a outra encorporada em um lobo gigante. A última, sobretudo, era nada mais, nada menos do que uma jovem meio viva e meio morta. A garota zumbi, chamada Hel, provavelmente saiu ganhando em meio aos seus irmãos.

Isso porque os deuses raptaram os filhos de Loki e enviaram Hel para a vida após a morte. Nifilheim cuidou dela e de todos os mortos. Uma vez lá, Hel construiu um enorme salão e se tornou uma governante respeitável e gananciosa. Essa é uma das histórias da mitologia nórdica que são melhores que as gregas.

4- Queriam um deus da sabedoria e do álcool, receberam poesia e hidromel

O nascimento de Kvasir por si só é uma história muito estranha. Os deuses tinham acabado de ganhar uma guerra e queriam comemorar. Por isso, todos eles mastigaram bagas, cuspiram e fermentaram-na. Os frutos carnudos simples, em vez de álcool, se tornaram uma pessoa denominada Kvasir. O nome basicamente se traduz em "suco de frutas fermentado" (tudo bem, pode rir).

Para completar, esse "deus do álcool" também foi o mais esperto que já existiu. Ele gostava de transmitir sabedoria a quem quer que conhecesse e viajava extensivamente para fazer isso. Certo dia, encontrou dois anões com quem tentou compartilhar seu conhecimento mundano. Em vez de ouvir, como provavelmente deveriam, os anões o mataram e drenaram seu sangue. A partir daí, eles criaram um hidromel especial que supostamente deu origem à poesia.

5- A traição de Loki

Você provavelmente conhece Thor, o filho de Odin. No entanto, outra prole foi gerada com sua esposa Frigg. Baldur era o seu nome. Todos os deuses realmente gostaram dele, com exceção de Loki. Certa noite, Baldur começou a ter sonhos terríveis sobre sua morte. Frigg ficara preocupada e usou todos os recursos possíveis para apaziguar os sentimentos negativos. Ela fez com que tudo e todos, incluindo objetos inanimados, jurassem não machucá-lo. Na mitologia nórdica, juramentos eram negócios bastante sérios.

Bom, o tempo passou e as coisas começaram a ficar estranhas. Os deuses costumavam a brincar com Baldur, jogando armas e objetos aleatórios nele. Até porque nada poderia matá-lo em razão das promessas "eternas". Loki, no entanto, não gostava que alguém ficasse no centro das atenções. Ele conseguiu descobrir que havia uma coisa que Frigg não tinha firmado um juramento: a planta chamada visco.

Imediatamente, Loki fez uma lança de visco e esperou que os deuses começassem a atirar coisas em Baldur. Quando eles fizeram, Loki se aproximou de um deus, entregou-lhe a lança e, basicamente, disse: "Jogue isso nele!". O deus assim o fez. Baldur consequentemente morreu. Os deuses ficaram horrorizados com o que haviam feito e lamentaram por muito tempo. Esta foi, talvez, a maior traição de Loki.

6- Fenrir

Vamos retomar o assunto sobre os filhos/criaturas de Loki? Por precaução, os deuses mantiveram Fenrir, o lobo gigante, em Asgard. Eles estavam preocupados que o animal fosse destruir o mundo inteiro e comer Odin. Apenas um homem poderia realmente lidar com o lobo: Tyr. Com o tempo, Fenrir ficara mais forte e o medo se alastrou por entre os deuses. Toda vez que eles colocavam correntes no lobo, ele os quebrava.

Os anões astutos, no entanto, acabaram criando uma coleira feita com os passos de um gato, a barba de uma mulher, as raízes das pedras, o sopro de um peixe e o cuspe de um pássaro (todas as coisas que não existem). Quando o lobo viu a invenção, ficou bastante relutante. Decidiu que colocaria somente se um dos deuses empunhasse a mão da espada na boca como sinal de boa-fé.

A mão da espada era basicamente o que definia você como homem, então nenhum dos deuses faria isso. Finalmente, Tyr, o mesmo homem que cuidara do lobo, disse que faria isso. Eles acorrentaram o lobo, mas este mordeu a mão e quebrou o braço de Tyr. Essa é uma das histórias da mitologia nórdica que são melhores que os da grega.

7- Ratatosk

Segundo o mito nórdico, todas as criações existem em uma árvore da vida chamada Yggdrasil. Uma águia vive nos seus ramos e um dragão, nas raízes. Essas duas criaturas se odeiam e é principalmente graças a um esquilo chamado Ratatosk, que viaja de um lado para o outro do tronco. Este esquilo adora fofoca. Sempre que pode, causa intriga entre ambas as criaturas.

Ratatosk ama tanto as fofocas que ele faz basicamente qualquer coisa para continuar disseminando boatos. Ele chega a ponto de espalhar fofocas não relacionadas aos deuses, mas seu foco principal é manter esse ódio entre a águia e o dragão. Parece que até os antigos nórdicos sabiam que os esquilos eram realmente idiotas.

Próxima Matéria
Bruno Destéfano
Escritor, fotógrafo e jornalista // Deixe que o conhecimento te revolucione de dentro para fora.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+