icone menu logo logo-fatosnerd.png


7 maiores diferenças entre os bruxos britânicos e os americanos de Harry Potter

POR Gabriela Tyemi EM Fatos Nerd 01/03/18 às 15h04

capa do post 7 maiores diferenças entre os bruxos britânicos e os americanos de Harry Potter

Quase tudo que conhecemos sobre o universo mágico criado por J. K. Rowling é a história britânica dos bruxos. Claro, Harry Potter é britânico, então não poderia ser diferente. Contudo, a magia vai além do território europeu. "O mundo bruxo que você acreditava conhecer é muito maior do que você imaginava", com este slogan J. K. Rowling escreveu a crônica História da Magia na América do Norte, no site oficial Pottermore.

Lá, ela conta como os bruxos descobriram a América do Norte, o processo de imigração e como a comunidade magica cresceu nos Estados Unidos. Além disso, Rowling também revela a origem da Escola de Magia e Bruxaria Ilvermorny. Ficou curioso? Separamos 7 maiores diferençar entre os bruxos britânicos e os americanos de Harry Potter. Confira:

1 - Os imigrantes europeus nos Estados Unidos

A comunidade mágica europeia descobriu os Estados Unidos bem antes de Cristóvão Colombo. Na crônica História da Magia na América do Norte, J. K. Rowling menciona brevemente a lutas dos europeus para se adaptar às terras americanas: "... Eles vieram para um país com poucas comodidades, exceto aquelas que eles mesmo fizeram". Esses emigrantes tiveram que conhecer a vegetação estrangeira e não possuíam residentes ou comunidades em que poderiam confiar.

2 - Os muggles (trouxas) são chamados de "no-majs"

No universo mágico, é usado um termo diferente para os trouxas nos Estados Unidos. Enquanto no inglês britânico os não-bruxos são popularmente chamados de "muggles" (trouxas), J. K. Rowling criou o termo "no-majs" para o inglês americano.

3 - As quatro casas de Ilvermorny

A história de Ilvermorny começou em uma pequena casa com dois jovens estudantes e sonhadores. Isolt Sayre, uma órfã humilde de origem irlandesa encontrou seu caminho para as Américas. A bruxa se casou com James Steward, com quem adotou e criou dois garotos, Chadwick e Webster Boot. Para ensinar magia a seus filhos, Isolt criou Ilvermorny (mesmo nome onde seus pais foram mortos). A família observou a escola prosperar e criaram cada uma das quatro casas. Eles resolveram nomeá-las de acordo com as criaturas magicas preferidas de cada um. Chadwick escolheu o Pássaro-Trovão, enquanto Webster escolheu Pumaruna. Como fundadora de Ilvermorny, Isolt nomeou sua casa Serpente Chifruda. James foi o que teve mais dificuldade de decidir o nome da sua casa, mas acabou escolhendo Pukwudgie.

4 - Os bruxos nativo-americanos não precisam de varinhas

A comunidade bruxa cresceu no novo mundo em grande parte devido aos nativo-americanos. Depois que chegaram nos Estados Unidos, os imigrantes europeus descobriram que os habitantes bruxos não precisavam de varinha para fazer mágica. A própria J. K. Rowling já revelou que esta habilidade de praticar magica sem o objeto é geralmente uma marca de bruxos bem-sucedidos no mundo.

5 - Trancabola é mais popular que Quadribol

Inventado no século XVIII por Abraham Peasegood, Trancabola é um esporte originado do Quadribol. Quando estava nos Estados Unidos, Peasegood queria formar um time de Quadribol e foi assim que Trancabola foi criado. No jogo, há onze jogadores de cada time que começam em um círculo no ponto de partida. Durante o jogo, eles precisam repassar a bola entre si com o objetivo de chegar do outro lado do campo e depositar a bola no caldeirão do time adversário. Contudo, a bola é encantada e depois de certo tempo, explode.

6 - Os Purgantes são a versão americana dos Comensais da Morte

Quando os europeus começaram a imigrar para os Estados Unidos, ainda não havia um governo de bruxos centralizado e muito menos leis eficazes. Por isso, alguns bruxos de várias nacionalidades formaram os Purgantes - um grupo mercenário que atuava como vigilantes e caçadores de recompensas. Contudo, eles caçavam pessoas que gerassem algum tipo de recompensa para eles (sejam criminosos ou não). Com o passar do tempo, eles foram se tornando cada vez mais cruéis e abusavam do poder. Depois que o Congresso Mágico dos Estados Unidos da América (Macusa) foi criado em 1693, muitos Purgantes foram julgados e condenados por diversos crimes.

7 - Não havia muito preconceito contra os "sangue ruim" nos Estados Unidos

De acordo com a própria J. K. Rowling, o mundo mágico na América do Norte não é tão preconceituoso como na Europa. Na história de Harry Potter, Hermione Granger sofre por não ser "sangue-puro" e famílias bruxas mais tradicionais, como os Malfoy, lutam para manter a sua árvore genealógica pura. Na América do Norte, isso não acontece por uma razão simples. Depois dos trágicos eventos em Salem, as famílias mais tradicionais da região foram embora, diminuindo drasticamente o número de bruxos em terras americanas. Com isso, houve uma "valorização" dos bruxos nascidos em famílias de trouxas, uma vez que foram eles os responsáveis por crescer a comunidade mágica.

E aí, você sabia dessas curiosidades sobre os bruxos americanos? Deixe nos comentários o que mais te surpreendeu e compartilhe a matéria.


Próxima Matéria
avatar Gabriela Tyemi
Gabriela Tyemi
Não tenho coisas preferidas.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest