icone menu logo logo-fatos-historicos.png


7 maiores mistérios da Segunda Guerra Mundial que não foram resolvidos

POR Isabela Ferreira EM História 27/02/18 às 15h52

capa do post 7 maiores mistérios da Segunda Guerra Mundial que não foram resolvidos

Sem dúvida, o maior conflito que já ocorreu em escala global, a Segunda Guerra mundial aconteceu entre os anos de 1939 3 1945. Envolveu praticamente todas as nações de nosso planeta, mas principalmente as grandes potências. Marcada por traços de sangue e sofrimento, a guerra se estendeu bem mais do que poderia... Ainda houve tempo para colocar em prática um dos maiores genocídios que nosso planeta já presenciou.

Embora a história tenha se encarregado de ditar as diretrizes para o desfecho do conflito, podemos dizer que muitas coisas acabaram ficando sem explicação. Mortes que nunca foram esclarecidas, desaparecimentos, traições, enfim... Uma infinidade de situações. Pensando nisso, nós aqui da Fatos Desconhecidos separamos abaixo 7 maiores mistérios não resolvidos da Segunda Guerra Mundial. Dá uma olhada!

1 - Soldados britânicos de Auschwitz

No ano de 2009, historiadores faziam uma manutenção no edifício onde operou um dos mais famosos campos de concentração nazistas: Auschwitz. Durante o processo, acabaram encontrando uma estranha lista que continha o nome de 17 soldados britânicos. O que deixa as coisas ainda mais estranhas é que em frente a cada nome continha uma marca de verificação, e alguma palavra em alemão.

Haviam três termos escritos, que significavam "desde então", "nunca" e "agora"... E por incrível que pareça, não ajudaram a esclarecer do que se tratava. Mas é claro que existem algumas hipóteses para isso. A primeira delas diz que aqueles eram nomes de prisioneiros de guerra britânicos, visto que Auschwitz tinha alguns. A segunda, é que aqueles homens haviam trocado de lado durante a Segunda Guerra Mundial e haviam sido marcados para morrer.

2 - Mistério da Ness Gun Battery

A Ness Battery  foi um elemento de defesa crucial que atuava em torno das ilhas britânicas. Durante a Segunda Guerra Mundial, foi ocupada por soldados que protegiam a Scapa Flow, uma ancoragem naval. Durante a ocupação, um artista criou algo realmente impressionante em uma das paredes do salão: um mural que retratava uma aldeia rural inglesa, casas de campo e caravanas... Aparentemente uma vida feliz, muito diferente de tudo aquilo que as pessoas estavam passando naquele momento.

No entanto, ninguém sabia dizer quem era o autor da obra. Há uma assinatura que indica autoria a alguém chamado "AR Woods", mas ainda assim ninguém soube dizer quem era. Na época, intensas buscas foram feitas para encontrar o verdadeiro artista, mas não foram bem sucedidas. Houve um homem com o mesmo nome que foi considerado como suspeito, mas não conseguiu provar que era o autor.

3 - O globo perdido de Hitler

Se você é um fã das obras de Charlie Chaplin, certamente já viu o filme The Great Dictator (O Grande Ditador), que retrata um ditador maníaco e perdido. Há uma cena em que Chaplin aparece dançando com um grande globo. O que poucos sabem é que a cena foi inspirada em algo real. Hitler realmente tinha um globo bem parecido com aquele em sua sala, mas ao longo da história acabou se perdendo. Existe uma peça de demonstração no Museu de Markisches, mas não é a original.

Muitos globos começaram a aparecer, alguns grandes, outros pequenos, mas nenhum deles correspondia ao que pertencia a Hitler. As fotos mostravam que não era o original. Onde ele foi parar, ainda é um verdadeiro mistério.

4 - O que realmente aconteceu com Raoul Wallenberg?

Arquiteto, empresário e diplomata, atuou durante a Segunda Guerra Mundial tentando fazer o bem, de qualquer maneira. Uma das missões de sua vida era ajudar judeus que estivessem em risco. Fornecia comida, casas seguras e até mesmo documentos falsos para que eles pudessem ficar seguros. Estima-se que ele tenha ajudado mais de 100 mil judeus a escapar dos campos de concentração, apenas por oferecer esses documentos.

No entanto, Wallenberg foi preso no ano de 1945 pelos soviéticos. A partir daí, não se sabe ao certo o que aconteceu com ele. Relatórios médicos apontam que após um ataque cardíaco no ano de 1947, ele faleceu. Mas a verdade é que existem inúmeras contradições. Documentos encontrados também se referem a ele no mesmo ano, após sua suposta morte, como "prisioneiro 7", que teria sido submetido a 16 horas de intenso interrogatório. Então, uma semana depois ele teria morrido. A questão é que o caso nunca teve uma solução de fato, apenas especulações.

5 - E o que aconteceu com Heinrich Müller?

Também conhecido como "Gestapo Müller", foi o líder da polícia secreta da Alemanha Nazi, chamada Gestapo (daí vem o apelido). Responsável pelo planejamento e execução de milhares de judeus durante o Holocausto, foi um dos únicos líderes que continuaram capturando pessoas por décadas. O que ainda intriga historiadores do mundo todo, é que o destino do homem nunca foi realmente confirmado.

Há uma hipótese bastante aceita, que diz que ele faleceu em dezembro de 1945 e foi enterrado em um cemitério judeu. Existe um documento com o nome do general, alegando sua morte. Um homem também apareceu no ano de 1963, alegando ser o coveiro responsável pelo enterro, fazendo ainda o reconhecimento pela foto.

Por outro lado, especialistas do Centro Simon Wiesenthal lembram que na época, era comum que os soldados nazistas tivessem documentos falsos, incluindo o de óbito, para facilitar uma fuga. Como seu corpo supostamente foi enterrado em uma fossa, as chances de encontrar por seu DNA são praticamente nulas. Muitos ainda relataram ter visto Müller andando entre Cuba e Argentina, mas nada pôde ser confirmado.

6 - Quem foi o traidor de Jean Moulin?

Considerado como um verdadeiro herói, Moulin foi líder e um dos organizadores da resistência francesa. O grupo costumava fazer algumas reuniões e foi em uma delas, no dia 21 de junho de 1943, que a Gestapo invadiu e prendeu Moulin e seus outros líderes. Evidentemente, alguém havia praticado uma traição. Ninguém soube dizer ao certo quem foi, mas um membro novato chamado Rene Hardy foi considerado como suspeito, mas nunca conseguiram provar nada.

Isso porque assim que a Gestapo invadiu o local, Hardy foi o único a não ser algemado. No entanto, mais tarde Raymond Aubrac, um dos principais líderes da resistência, também foi apontado como culpado. Mais uma vez, nada pôde ser provado.

7 - Quem traiu Anne Frank?

Certamente você já ouviu falar sobre o Diário de Anne Frank, uma menina que se escondeu com a família de baixo de um armazém, na tentativa desesperada de sobreviver à Segunda Guerra Mundial. Enquanto vivia por ali, escrevia um diário que contava como eram seus dias, que nos permite ver toda aquela situação com outros olhos.

Depois de dois anos escondidos, a família da menina foi "descoberta" por soldados da Gestapo, no ano de 1944. As oito pessoas que permaneciam escondidas foram presas e apenas Otto Frank, o pai de Anne, conseguiu sair vivo. Na verdade, os soldados apenas conseguiram encontrá-los devido a um telefonema anônimo, que ninguém soube dizer de quem foi.

As suspeitas giravam em torno do gerente do armazém, Willem van Maaren. Os funcionários sabiam que a família vivia ali, mas aparentemente nunca falaram nada, até que alguém decidiu abrir a boa. Embora as suspeitas girem em torno do homem, nunca foi comprovado.

E então pessoal, o que acharam? Conhecem outros mistérios da Segunda Guerra Mundial que não constam em nossa lista? Compartilhem com a gente aí pelos comentários!


Próxima Matéria
avatar Isabela Ferreira
Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest