• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 maiores mitos sobre Chernobyl que já circularam por aí

POR Bruno Destéfano    EM Curiosidades      28/06/19 às 18h50

Os acontecimentos na cidade ucraniana de Pripyat, na manhã de 26 de abril de 1986, gravaram permanentemente na mente do público o nome Chernobyl. Com uma ironia sombria, foi um experimento de segurança mal conduzido que foi o catalisador para o pior desastre nuclear da história. Em essência, a mistura de design defeituoso com o trágico desrespeito pelo protocolo experimental caracterizaram o desastre. O resultado líquido deste teste foi uma explosão maciça de vapor por meio do teto do prédio. Apesar da força explosiva da erupção, o que se seguiu não foi uma explosão nuclear. À luz da recente produção da HBO, Chernobyl, velhos mitos sobre o desastre nuclear foram retomados. Sem dúvida, o seriado estimulou o diálogo sobre a energia nuclear, sua segurança e o próprio desastre. Preparamos uma lista com 7 maiores mitos sobre Chernobyl que já circularam por aí.

Numerosos artigos elogiaram a produção e questionaram a precisão histórica por trás. Desde histórias de animais mutantes até uma única criança nascida na zona de exclusão, os contos se espalharam pela internet.

1- O incêndio de Chernobyl produziu quase o dobro da radiação de Hiroshima

Tanto Chernobyl quanto o bombardeio de Hiroshima, no Japão, foram desastres nucleares catastróficos. No entanto, Jan Haverkamp disse que é difícil comparar a exposição à radiação dos dois eventos. Segundo o especialista sênior em energia nuclear do Greenpeace, o maior impacto foi causado pela exposição direta à radiação.

Quando uma bomba nuclear explode, a dose de radiação de uma pessoa é determinada pela distância dela ao ponto de exposição. Em Chernobyl, ele disse, "muito material radioativo foi trazido para a atmosfera". O material era "espalhado por uma área muito grande" e ingerido por pessoas durante um longo período de tempo.

2- O desastre de Chernobyl está ligado à condição semelhante do HIV

O desastre tem sido associado ao aumento do câncer de tiroide, mas também tem sido alvo de histórias médicas falsas. Um dos mais maliciosos desses mitos interliga Chernobyl com doenças semelhantes ao HIV. Como o desastre coincidiu com o auge do pânico e da ignorância em torno do HIV, a história recebeu certa força. O ex-congressista do Alabama, Glen Browder, ouviu a história enquanto visitava a área.

"A coisa mais cruel que ouvi foi o boato emergente de 'Chernobyl HIV'. Essa maldita fofoca sobre algum tipo de doença infecciosa entre vítimas e sobreviventes naquela região é infundada. Mas os traficantes de medo começaram a espalhar o boato de qualquer maneira", explicou para o Huffington Post. Esse é um dos maiores mitos sobre Chernobyl que já circularam por aí.

3- O mundo está abandonando o uso da energia nuclear depois de Chernobyl

As dez principais nações do mundo produzem mais de 80% da energia nuclear. A Rússia está ficando para trás por todos os países desenvolvidos, que já adotaram programas de desenvolvimento da indústria de energia nuclear. Os países em desenvolvimento têm programas ainda mais ambiciosos em processo.

Inclusive, o Brasil detém duas usinas nucleares em Angra dos Reis, com projeto para estabelecer o funcionamento de uma terceira.

4- Tudo foi orquestrado pelo governo soviético

Um desastre dessa magnitude geralmente atrai teorias da conspiração. De acordo com uma delas, o desastre de Chernobyl foi conduzido pelo regime soviético devido ao fracasso de uma incrível estrutura de rádio de defesa antimísseis chamada Duga-3. Suspeita de estar excessivamente acima do orçamento, a estrutura foi considerada um fracasso tão caro que, para eliminá-la, a instalação próxima de Chernobyl foi autorizada a entrar em colapso.

Outras teorias de conspiração do governo incluem que a CIA sabotou equipamentos vitais na fábrica. Ou até mesmo que o desastre era um plano de longo prazo dos russos para tirar a Europa da construção de novas usinas nucleares e depender do petróleo e gás russo. Esse é um dos maiores mitos sobre Chernobyl que já circularam por aí.

5- Mutações em animais

Imortalizada pelos peixes de três olhos em Os Simpsons, a ideia da radiação nuclear que causa mutações severas em animais e pessoas tem sido uma ideia há muito estabelecida. No entanto, com poucos fundamentos científicos. Na realidade, embora a pesquisa tenha mostrado que os animais na zona de exclusão tinham cérebros, cataratas, tumores e esterilidade menores, não há três cabeças de cães ou esquilos de olhos múltiplos.

Alguns, na verdade, classificaram a zona de exclusão de Chernobyl como um paraíso para a vida selvagem, devido principalmente à ausência de pessoas.

6- Auxílio extraterrestre

Em vez de serem acusados ??de causar o colapso nuclear, como parte de uma conspiração para dominar o mundo, mitos urbanos alegam que extraterrestres ajudaram a evitar mais desastres em Chernobyl. Até porque muitas pessoas esperavam que o evento catastrófico fosse ainda pior do que era. Uma testemunha ocular, Mikhail Varitsky, afirmou ter visto uma bola de fogo ardente pairando por alguns minutos acima do reator exposto na noite do acidente.

Esta bola de luz também foi supostamente vista em 16 de setembro de 1989, quando houve um vazamento adicional de radiação da unidade de Chernobyl. Alguns narradores imaginativos disseram ter vindo de alienígenas, que continham a radiação. Esse é um dos maiores mitos sobre Chernobyl que já circularam por aí.

7- Pássaro de olhos vermelhos

Após um desastre, histórias surgem sobre presságios de destruição. Muitas vezes, na forma de uma criatura real ou imaginária. No Ivankiv Raion, o distrito da Ucrânia onde fica Chernobyl, as pessoas contam a história do Pássaro Negro. Ela seria uma criatura humana com asas e penetrantes olhos vermelhos. Esta aparição teria sido vista pelos trabalhadores da fábrica de Chernobyl, em 26 de abril de 1986, o dia do acidente fatídico.

Também fora relatado que qualquer um que tenha visto esta criatura sofreu com pesadelos e telefonemas ameaçadores. O arqueólogo australiano Robert Maxwell, que trabalhou em Chernobyl, disse ao news.co: "Agora, tornou-se uma daquelas fábulas difíceis de acompanhar. Porque se baseia nas estatísticas de pessoas que morreram devido à contaminação radioativa".

Próxima Matéria
Bruno Destéfano
Escritor, fotógrafo e jornalista // Deixe que o conhecimento te revolucione de dentro para fora.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+