icone menu


7 mudanças que a Warner fez em Esquadrão Suicida

POR Letícia Dias    EM Fatos Nerd      24/07/20 às 15h06
capa do post 7 mudanças que a Warner fez em Esquadrão Suicida

Após muita luta, os dcnautas conseguiram aquilo que lhes pertencia por direito, o Snyder Cut. Obviamente a luta não foi no sentido literal, já que estamos falando de levante de hashtags e assinaturas em petições como forma de protesto. Além disso, legalmente falando, o filme pertence à Warner Bros. por direito, ou seja, se ela quiser estragar Liga da Justiça de novo, ela pode. Todavia, ao que tudo indica, o povo de deus realmente terá uma vitória e ela será entregue pelo HBO Max. Visto que essa grande realização foi alcançada, você deve estar pensando que finalmente os dcnautas terão um descanso, afinal, agora é só esperar o lançamento do novo filme ou minissérie da Liga. Errado. Agora, a batalha da vez é pelo corte do diretor de Esquadrão Suicida.

Denominado Ayer Cut, o corte de David Ayer foi confirmado pelo mesmo através de seu Twitter. Aproveitando a notícia da liberação do corte de Zack Snyder, o cineasta revelou que sua versão de Esquadrão Suicida é fácil de ser completada e seria "catártico" para ele ver isso acontecendo. "É exaustivo trabalhar duro por um filme que recebeu o tratamento do Edward Mãos de Tesoura. O filme que eu fiz nunca foi visto", disse Ayer. Segundo o diretor, o Ayer Cut só precisa de alguns efeitos especiais para ser concluído, algo bem mais simples que o caso de Snyder, que teve de regravar cenas e custou alguns milhões à WarnerMedia. Pois bem, enquanto aguardamos algum pronunciamento sobre o Ayer Cut, reunimos aqui alguns detalhes que a Warner alterou no filme e acabaram contribuindo para o tão criticado resultado final.

7 - O filme era mais sério e sombrio

Provavelmente esse é o maior diferencial entre o corte do diretor de Esquadrão Suicida e o corte comercial do filme. O maior exemplo do que o filme deveria ter sido pode ser notado no primeiro trailer liberado, aquele com Bohemian Rhapsody tocando no fundo. Em suma, Ayer comparou o tom de seu filme ao Coringa de Todd Phillips. Contudo, em mais uma tentativa falha de copiar a fórmula da Marvel, a Warner acabou adicionando piadas desnecessárias e músicas com o intuito de transformar a atmosfera do longa em algo mais cômico.

6 - Coringa faria uma aliança com Magia

Uma das maiores polêmicas envolvendo o filme se deu no conflito de Jared Leto com a produção. Ao que tudo indica, o Coringa do astro teve diversas cenas cortadas e todo seu trabalho foi afetado. Embora ele tenha recebido a chance de se redimir com os fãs de quadrinhos através de Morbius, parte do público ficou revoltado com o tratamento que o ator recebeu. Como resultado disso, criaram uma petição exigindo o retorno de Leto ao papel de Coringa e que ele tenha maior liberdade criativa para mostrar todo seu potencial. Enfim, aparentemente o Coringa tinha uma função mais significativa no Ayer Cut. No terceiro ato do longa, Coringa se uniria com Magia contra a Força-Tarefa X.

5 - El Diablo não morreria

Embora a morte de El Diablo tenha contribuído para o peso do nome Esquadrão Suicida, o personagem não deveria ter morrido. De acordo com o Ayer Cut, Diablo continuaria vivo mesmo após seu confronto com Incubus, o irmão de Magia. Apesar dos detalhes envolvendo sua sobrevivência não terem sido especificados, parece que a equipe encontraria uma forma diferente de matar esse rival, evitando o sacrifício de Diablo.

4 - Katana seria possuída por Magia

Outro detalhe do terceiro ato que foi alterado pela Warner foi a possessão de Katana. Convenhamos que Karen Fukuhara foi um talento completamente desperdiçado nesse longa. Aliás, se você quiser ver mais do trabalho da atriz no universo de super-heróis, vale a pena conferir The Boys. Enfim, Katana, a personagem de Fukuhara, não tem nenhum destaque no corte que foi aos cinemas. Contudo, ela deveria ter tido seu momento de brilho no final quando, controlada por Magia, ela lutaria com o resto da Força-Tarefa X. Surpreendentemente, chegamos a ver uma prévia dessa possessão nos trailers. Realmente foi uma pena ver esse detalhe sendo cortado.

3 - O relacionamento abusivo de Coringa e Arlequina seria mostrado

Assim como já reforçamos aqui diversas vezes, o relacionamento entre Coringa e Arlequina está longe de ser saudável. Apesar de Esquadrão Suicida ter romantizado bastante a relação dos dois personagens, Ayer pretendia apresentar os abusos sofridos por Arlequina nas mãos do Príncipe Palhaço do Crime. Consequentemente, essa relação tóxica acabaria afastando Arlequina de Coringa e abrindo espaço para que ela se envolvesse em outro romance, o que nos leva ao próximo tópico.

2 - Um romance entre Arlequina e Pistoleiro ganharia vida

Embora ocorra um flerte aqui e outro ali entre Arlequina e Pistoleiro em Esquadrão Suicida, não acontece nada demais. Contudo, se você sentiu uma tensão sexual no ar, não se sinta culpado. Na verdade, a intenção de Ayer era se aprofundar em um romance entre ambos. Se você já assistiu Batman: Assault on Arkham ou leu as HQs do Esquadrão, sabe do que estamos falando.

1 - Mais história de fundo para Magia

Sem dúvidas, o maior problema de Esquadrão Suicida é a falta de aprofundamento na história da principal ameaça, Magia. Nós sabemos quem ela é mas não entendemos suas motivações. Esse problema também deve ser adicionado na conta da Warner. Segundo Ayer, sua versão do filme incluía mais histórias de fundo para Magia, resultando até em uma abertura prolongada.


Ei Fatos, não deixe de conferir:

A câmera das meninas desaparecidas revela fotos arrepiantes e sem explicação

Próxima Matéria
Via   SR  
Imagens Warner Bros.
avatar Letícia Dias
Letícia Dias
Trabalhando pra falar de super-heróis, filmes e séries em tempo integral | @letdiax
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.

Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+