• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 músicas românticas que na verdade falam sobre drogas

POR Jesus Galvão    EM Curiosidades      21/09/19 às 11h08

A música, assim como a poesia, entre outras formas de escrita, é uma forma dos artistas traduzirem aquilo que, muitas vezes, eles estão sentindo. São modos de nos contar sobre sua visão de mundo e de como eles enfrentam as dificuldades da vida. Ou, simplesmente suas artes são criadas para o puro entretenimento. Por outro lado, existem aquelas músicas que foram, especialmente, criadas para retratar os corações partidos ou para desabafar sobre a dependência de drogas.

As metáforas, muitas vezes, são utilizadas pelos músicos e compositores para deixar subentendido aquilo que eles não podem falar abertamente. Assim, muitas músicas, que fizeram bastante sucesso, e que muitas pessoas acreditavam se tratar de um tema, lá no fundo, falavam sobre outras coisas. Pensando nisso, hoje, listamos para vocês algumas das "músicas de amor" que, na realidade, são dedicadas às drogas. Confira!

 1 - Somewhere Only We Know - Keane

'Somewhere Only We Know' foi o primeiro grande hit da banda inglesa Keane. Para muitas pessoas, a balada se trata de uma canção de amor. Entretanto, segundo o que explicou o vocalista da banda, Tom Chaplin, ao The Guardian, essa canção não é sobre amor. "Na Internet, existem muitas teorias sobre o significado da canção. Para mim, é sobre fumar baseado, no pátio da escola".

2 - María - Ricky Martin

Em 1995, 'María' foi um grande hit do álbum 'A Medio Vivir', do cantor latino Ricky Martin. Na música, o astro canta "esta é Maria, branca como o dia, mas é venenosa se você quiser se apaixonar. Esta é Maria, tão quente e fria, que se você beber, certamente irá matá-lo". Muitas pessoas interpretaram isso como se o cantor estivesse fazendo uma metáfora da cocaína. Entretanto, isso foi negado pelo mesmo em 1996. Ao que parece, não convenceu muitas pessoas.

3 - Lucy in the Sky With Diamonds - Beatles

Um dos integrantes dos Beatles, Paul McCartney, reconheceu, à revista Rolling Stone, que a garota, com olhos caleidoscópicos, sobre quem eles cantam na música é, na verdade, uma viagem de ácido. McCartney disse ter provado LSD, junto com outros integrantes da banda, com ajuda de um amigo dentista, George Harrison.

4 - Wild Horses - Rolling Stones

A música, aparentemente, teria começado a ser escrita por Keith Richards, sobre seu filho Marlon. Entretanto, Mick Jagger teria mudado a letra, para falar sobre seu problemático relacionamento com Marianne Faithfull. Faithfull teria tentado cometer suicídio, causando em si mesmo uma overdose. No entanto, ela sobreviveu e depois de sair do coma, teria dito ao vocalista dos 'Stones' o seguinte: "Wild horses couldn't drag me away". Algo como: "cavalos selvagens não puderam me arrastar para longe", em tradução livre.

5 - No puedo vivir sin ti - Los Ronaldos

A canção pertence ao álbum 'La Bola Extra' (2008), da banda espanhola Los Ronaldos. Segundo Coque Malla, vocalista do grupo musical, a música, por vezes, foi interpretada como um desabafo sobre a dependência da cocaína. No entanto, isso não é bem verdade. "(...) a verdadeira inspiração da canção, que não é outra senão a relação homossexual entre dois amigos gays, que se amam muito e que ficaram realmente mal por causa da intolerância e da estupidez homofóbica". Ainda assim, não consenso sobre isso e muitos afirmam que a letra se refere às substâncias ilícitas.

6 - My Drug Buddy - The Lemonheads

Evan Dando é o líder dessa banda estadunidense. Dando sempre foi muito aberto sobre sua relação com as drogas. Em 1992, quando o álbum It's a Shame About Ray' foi lançado, o nome da música foi censurado e acabou saindo apenas como Buddy. Posteriormente, a palavra Drug foi incorporada ao nome da canção. Em um determinado momento da música, Dando é acompanhado por Juliana Hatfield, ao cantar "temos que rir para olhar um para o outro. Temos que rir porque não estamos sozinhos".

7 - Heroine - Suede

Em seu álbum 'Dog Man Star' (1994), Brett Anderson utilizou o termo "My Marilyn", para se referir a heroína. Em um determinado momento da música, Anderson canta explicitamente:  "Minha Marilyn, venha para os meus braços por horas. Estou sofrendo para ver minha heroína. Estou sofrendo, morrendo por horas e horas".

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Próxima Matéria
Jesus Galvão
Goiano, Canceriano e Publicitário.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+