• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 previsões feitas pelo escritor Júlio Verne que se tornaram reais

POR A redação    EM Ciência e Tecnologia      15/09/15 às 15h47

Júlio Verne foi um francês romancista, poeta e dramaturgo mais conhecido por seus romances de aventura e sua profunda influência sobre o gênero de ficção científica. Verne nasceu no porto de Nantes, onde foi treinado para seguir os passos de seu pai como um advogado, mas abandonou a profissão no início da vida para escrever para revistas e para o teatro.

Sua colaboração com a editora Pierre-Jules Hetzel levou à criação do Voyages Extraordinaires, uma série muito popular de romances de aventura escrupulosamente pesquisados que incluem: Viagem ao Centro da Terra, Vinte Mil Léguas Submarinas e A Volta ao Mundo em Oitenta Dias.

Verne é geralmente considerado um importante autor literário na França e na maior parte da Europa, onde ele teve uma grande influência sobre o surrealismo. Sua reputação é marcadamente diferente em regiões de língua inglesa, onde ele tem sido muitas vezes rotulado como um escritor que é referência no gênero de ficção e infantil.

Verne foi o segundo autor mais traduzido no mundo desde 1979. Ele só ficou atrás de Agatha Christie. Ele provavelmente foi o escritor mais traduzido durante os anos 1960 e 1970. Ele é chamado de pai da ficção científica.

Júlio Verne fez várias previsões sobre como seria o futuro. Muitas deles ele, inclusive, acertou. Conheça as 7 previsões de Júlio Verne que se tornaram reais:

Submarino Elétrico

1

Em seu romance mais famoso, Vinte Mil Léguas Submarinas, Capitão Nemo viaja oceanos do mundo todo em um submarino elétrico gigante, o Nautilus. O objeto não é tão diferente de alguns submarinos modernos que são alimentados por baterias de chumbo-ácido. Assim como submarinos inventados posteriormente, o Nautilus foi "totalmente alimentado por energia elétrica, que na época tinha uma espécie de aura mágica", disse Rosalind Williams, um historiador de tecnologia do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). No livro, Capitão Nemo descreve a eletricidade como "um poderoso agente, obediente, rápido e fácil."

Telejornais

ST. PAUL, MN - SEPTEMBER 05:  Host Jon Stewart (L) and correspondent Jason Jones of Comedy Central's "The Daily Show with Jon Stewart" tape "The Daily Show with Jon Stewart: Restoring Honor & Dignity to the White House" at the McNally Smith College of Music September 5, 2008 in St. Paul, Minnesota. The show is being taped in St. Paul during the week of the Republican National Convention.  (Photo by Ethan Miller/Getty Images for Comedy Central)

Em um livro de 1889 intitulado "O Dia de Um Jornalista Americano no Ano 2889", Júlio Verne descreveu sua alternativa para os jornais impressos: "Em vez de ser impresso, o Crônicas da Terra seria falado, teria assinantes e partiria de conversas interessantes dos repórteres e cientistas que contariam as notícias do dia". O primeiro noticiário de rádio foi ao ar em 1920, de acordo com a Associated Press. O de TV só apareceu 28 anos depois do de rádio, de acordo com a CBS News.

Velas solares

3

Em seu clássico de 1865 "Da Terra à Lua", Júlio Verne especulou sobre uma espaçonave que usasse uma propulsão movida através de luz. Hoje, a tecnologia tem um nome: velas solares. Hoje, Verne é amplamente considerado como um escritor profético que imaginou muitas tecnologias modernas décadas antes de suas épocas.

"Ele previu um monte de coisas que têm acontecido, mas isso é porque ele estava lendo muito e falava com as pessoas. Além disso, ele sabia o que estava acontecendo no mundo em torno dele, então por que deveríamos nos surpreender?" disse Rosalind Williams. Não foi mágica. Ele estava apenas prestando atenção às coisas."

Módulos Lunares

4

Júlio Verne escreveu também sobre o que é chamado hoje de módulos lunares. Em "Da Terra a Lua", ele descreveu "projéteis" que poderiam ser usados ??para transportar passageiros para a Lua. Verne imaginava "uma grande nave que teria força suficiente para romper a gravidade", disse Williams do MIT.

Verne se esforçou para explicar como suas invenções imaginadas trabalhavam. "Ele não é como HG Wells, que inventava uma substância que levava você para a lua", disse Williams. Verne " tinha idéias sobre como você faz as coisas de forma fundamentada em realidades materiais."

Skywriting

5

Jules Verne era um observador atento ao mundo ao seu redor e um dos campos que lhe chamou a atenção foi a publicidade. Em "O Dia de Um Jornalista Americano no Ano 2889", Verne descreveu "anúncios atmosféricos" similares ao Skywriting. Apesar de seu fascínio com gadgets e máquinas, Verne não tinha formação em engenharia, disse Williams do MIT.

Vídeo conferência

6

Em "O Dia de Um Jornalista Americano no Ano 2889" Júlio Verne descreve o "phonotelephote" um precursor das tecnologias de videoconferência de hoje, usado para conectar os pessoas distantes no Norte e Sul da Coreia em 2005. O phonotelephote permitia "a transmissão de imagens por meio de espelhos sensíveis ligados por fios", de acordo com Verne. O Phonotelephote de Verne é um dos primeiros, se não for a mais antiga referência a um videofone na ficção. A imaginação de Verne também foi fortemente influenciada por revistas científicas e técnicas, disse William, do MIT. "Ele lia vorazmente".

Pistola Taser

7

O tópico favorito de Júlio Verne eram veículos, mas ele também escreveu sobre armas que ainda não existiam. Por exemplo, em "Vinte Mil Léguas Submarinas", ele descreveu uma arma que proporcionava um forte choque elétrico. Verne não retrata todas as suas invenções como benéficas. "É um erro pensar que ele está apresentando todos esses aparelhos mirabolantes como algo desejável", disse Williams do MIT.

Próxima Matéria
A redação
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+