• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 projetos totalmente bizarros de armas para a Segunda Guerra Mundial

POR Toni Nascimento    EM História      28/09/18 às 17h45

A história da humanidade foi permeada pela guerra. Em 2007, um arqueólogo encontrou vestígios fósseis do que seria o primeiro conflito existente entre os seres humanos de que se tem notícia. A batalha aconteceu no atual território da Síria, no século 14 a.C. Sabe-se que já houve conflitos muito sangrentos registrados há centenas de anos, cuja devastação é avassaladora. É o caso dos confrontos protagonizados pelos mongóis. Após tal acontecimento, os homens ainda se atacaram diversas vezes. A , a Guerra dos Três Reinos,  a Segunda Guerra Sino-Japonesa e a Primeira Guerra Mundial são exemplos máximos da nossa capacidade de destruição. Dentre todas as existentes, a Segunda Guerra Mundial foi a maior de toda a história.

Disputada entre 1939 e 1945, ela tem o maior número de mortos de que se tem notícia. Envolvendo mais de 30 países, ela matou cerca de 80 milhões de seres humanos. Marcada por figuras como Hitler e atrocidades como o holocausto, ela nos serve como exemplo para que não cometamos esse mesmo erro. Entre as lembranças mais fortes deixada pela Segunda Guerra está a Bomba Atômica, a arma mais destrutiva e perigosa já inventada pelo homem. Outras engenhocas e armas esquisitas foram projetadas para o conflito. Listamos 7 projetos totalmente bizarros de armas para a Segunda Guerra Mundial.

1 - Bombas terremoto

Barnes Wallis foi um dos engenheiros e inventores mais importantes da Grã-Bretanha durante a Segunda Guerra Mundial. Ele inventou a Bomba Terremoto. Além de estruturalmente bem grande, maior do que as bombas habituais, ela causava um estrago proporcional. Apesar da dificuldade de colocá-las para voar devido ao seu peso, uma vez lá e lançadas, elas caiam e causavam um impacto tão grande no terreno capaz de gerar até tremores e colapsos semelhantes a um terremoto. O projeto foi concluído e a arma foi usada, tanto para impactos em terra, como no mar.

2 - Fortalezas Marinhas da Grã-Bretanha

A Grã-Bretanha precisava se defender de qualquer forma que encontrasse. Então uma das iniciativas foi criar as "Fortalezas do Mar".  As geringonças foram instaladas no Canal da Mancha como meio de interceptar ataques aéreos. Os fortes foram construídos sobre colunas gigantescas, enquanto as estranhas estruturas em forma de caixa com janelas descansavam no topo. Idealizados para ataques aéreos, eles mais parecem obras extraterrestres sem explicação. Existiam alguns esquis no local que interceptavam as atividades de lançamento de minas, abatendo aeronaves enquanto elas voavam acima das ondas.

3 - Tanques DD

Tanto os aliados quanto os nazistas tinham tanques de guerra bizarros durante o conflito. Em 1941, os dois criaram seus projetos que foram muito usados no Dia D, em 1944. Enquanto os nazistas tinham tanques anfíbios, que funcionavam na água, os aliados possuíam os Tanques DD, que flutuavam no mar como um barco e também corriam tranquilamente na água. Os aliados precisaram modificar o motor do tanque para que ele funcionasse tanto na água, quanto na terra e também o revestiram com uma lona para quando estivesse na água, não estragasse de vez.

4 - Espelho sonoro

Se você visitar algumas partes do litoral britânico, ainda irá conseguir ver os restos dos espelhos sonoros. Elas são estruturas côncavas em formato de tigelas rasas que podem chegar a quase 5 metros de altura. Apesar da sua aparência excêntrica, eles tinham como função detectar caças e bombardeios alemães, possibilitando abrir uma vantagem a qualquer ameaça eminente. Essa função já era exercida pelos sistemas de radares, porém, eles não eram tão eficazes quanto os espelhos sonoros que coletavam os sons aéreos do perímetro e os distinguiam.

5 - Bombas de dardo venenoso

Quando você pensa em um conflito no meio de alguma floresta tropical, talvez dardos envenenados venham a sua cabeça como possível arma. Porém duvido muito que eles apareçam como mera possibilidade na sua mente quando falamos de Segunda Guerra Mundial. Pois saiba que a Grã-Bretanha projetou pequenos dardos, como micro mísseis, que seriam lançados com uma agulha na ponta molhada em toxinas mortais. Para que você tenha uma melhor ideia do conceito dessa arma, ela lembra muito uma pequena bomba química. Ela nunca saiu do projeto. Se tivesse saído, seria muito mais perigosa e mortal do que um dardo envenenado comum.

6 - Ratos Bomba

A Segunda Guerra Mundial realmente teve algumas coisas muito estranhas como o uso de carcaça de rato morto em meio ao conflito. Durante a guerra, os britânicos criaram um plano sinistro que consistia em abrir as carcaças de ratos mortos, enchê-los de explosivos e enviá-los para a Alemanha. A base da ideia é que os nazistas colocassem os ratos para queimar em suas fogueiras gigantes, causando explosões grandes em massa e eliminando uma grande quantidade de inimigos de uma só vez.

7 - Jipe voador

Os cientistas britânicos trabalharam muito em planos nada convencionais. Contudo, um deles talvez seja o vencedor no quesito bizarrice. Eles projetaram e criaram um protótipo do Jipe Voador. Um veículo capaz tanto de voar como de andar, o que seria muito útil em meio a uma guerra. Porém a arma nunca conseguiu passar dos testes, uma vez que não funcionava como planejado.

E aí, o que achou dessas ferramentas de guerra? Conhece outras tão excêntricas quanto essas? Comenta aqui com a gente a sua opinião e não deixa de compartilhar essa lista nas suas redes sociais. Aquele abraço.

Próxima Matéria
Via   TT  
Imagens QP
Toni Nascimento
Nerd, mas principalmente amante do cinema. Mais em @nascimento_toni
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+