• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 provas dolorosas que animais também tem sentimentos

POR Natália Pereira    EM Mundo Animal      25/01/18 às 18h21

Existe uma enorme discussão sobre a existência ou não de sentimentos em outras especies de animais, que não seja a humana. Muitas pessoas parecem precisar se sobressair a outras espécies e não conseguem enxergar rastros sentimentais no comportamento animal. Por outro lado, especies domésticas como cães e gatos tem ganhado o coração das pessoas cada vez mais e alguns começaram a cogitar a ideia de haver sentimento entre eles. Se você tem ou já teve um animal em casa sabe como eles são capazes de retribuir o carinho que você dá a eles.

Atitudes animais realmente tocantes já rondaram a internet e ganharam visibilidade na matéria "12 vezes em que animais surpreenderam humanos com seus atos heróicos". Estudos tem sido feito com a intenção de cessar de uma vez por todas essa pergunta. Eles mostram que os animais, mesmo os não domésticos, tem reações como alegria e tristeza. Eles também tem a capacidade de aprender e ainda há muito o que descobrir sobre seu comportamento. Esses são alguns atos tocantes feitos por eles que provam o quão sentimental eles podem ser.

1 - Elefantes que choram

Apesar de muitos afirmarem que esse fato é causado por uma reação física o fato de que os elefantes choram tem sido cada vez mais relacionado com suas emoções. Casos como o de Raju ajudam e Zhuang-zhuang contribuem com essa afirmação. Quando o elefante Raju finalmente foi solto do cativeiro em que ficou durante anos ele chorou. Realmente comovente imaginar a sensação que ele pode ter sentido naquele momento. Além disso, depois de ser rejeitado por sua mãe enquanto estava em uma reserva natural na China Zhuang-zhuang também chorou.

2 - O reconhecimento de ovelhas

Um estudo foi feito por cientistas britânicos afim de afirmar uma observação a respeito das ovelhas. Ao final da experiência o autor dos estudos, Keith Kendrick, escreveu um relatório afirmando que o animal possui áreas no cérebro responsáveis pelo reconhecimento facial, assim como os humanos. Para confirmar o fato, várias ovelhas foram colocadas juntamente com outras 50, para que elas pudessem guardar os seus rostos. De acordo com eles as ovelhas podem guardar rostos por até dois anos.

3 - O luto das baleias

As Baleias-piloto tem um cérebro grande e apresentam comportamentos claramente emocionais. Um documentário feito pela BBCBlue Planet II, relatou o comportamento de uma baleia depois da morte de seu filho. Ela o carregou em suas costas enquanto nadava pelo mar. Além disso, toda a família do animal apresentou sinais de luto.

4 - Cavalos ansiosos

O confinamento de cavalos pode afetá-los emocionalmente. Essa afirmação foi comprovada por um estudo feito na França. Ele mostrou que aqueles que ficam fechados são mais instáveis na hora de sair e demostram mais medo quando são expostos a novos estímulos. De acordo com eles, quando se pratica esportes como equitação, é preciso demostrar confiança. Caso contrário o animal ficará ansioso e com medo. Isso faz com que seu desempenho seja afetado.

5 - Cabras entediadas

As cabras ficam entediadas e irritadas quando estão esperando por comida. Isso foi afirmado por um estudo feito em Londres pela Queen Mary University. Em geral, as cabras são considerados animais loucos. Isso se deve pela sua agitação e especialistas acreditam que essa seja uma prova da evolução emocional dos animais.

6 - A personalidade dos peixes

Sim, de acordo com um estudo feito pela Universidade do Algarve, em Portugal, os peixes possuem personalidades distintas. Quando colocados em determinada situação diferentes peixes tomaram diferentes decisões. Mais tarde, quando expostos novamente aquela situação, os mesmos peixes tomaram as mesmas escolhas de antes. Demostrando uma espécie de personalidade. Esse tipo de atitude foi mantida através da evolução e parece estar presente em todos os vertebrados.

7 - Solidariedade dos chimpanzés

Cientistas da Universidade do Texas promoveram um estudo um tanto quanto diferente. Eles deram algumas moedas para os chipanzés e os ensinaram a trocá-las por comida. Eles faziam isso de forma individual até o momento. Depois disso, como parte do experimento, eles começaram a ser chamados em pares. Depois de dar suas moedas cada um recebia comidas diferentes, uma boa e outra ruim. Ao se deparar com essa situação não somente o injustiçado negou o alimento como o beneficiado também. Eles não aceitaram a comida, mesmo tendo recebido a melhor, depois de verem que o seu parceiro seria prejudicado.

Os chipanzés se mostraram realmente altruístas e companheiros. Um exemplo a ser seguido por nós, humanos. Aceitar atos de desigualdade é permitir com que ela continue acontecendo e incrivelmente esses animais se mostraram contra esse ato. O que acharam?

Próxima Matéria
Natália Pereira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+