• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 resultados chocantes envolvendo testes de DNA

POR Natália Pereira    EM Ciência e Tecnologia      28/02/18 às 18h13

O DNA de uma pessoa diz muito a seu respeito. Com ele é possível identificar a identidade de uma pessoa, assim como a sua ascendência e diversas outras coisas. Tornando-o extremamente importante para a ciência e sendo melhor do que qualquer registro legal que uma pessoa possa ter. A molécula, conhecida como DNA é encontrada no núcleo das células de todo e qualquer ser vivo, carregando informações complexas de sua genética.

Como você já deve saber, devido as aulas de biologia que teve no ensino médio, ela pode ser usada em testes de paternidade para comprovar se uma pessoa é ou não seu parente, nesse caso pai e filho(a). Essa "simples" matéria é capaz de esconder enormes segredos sobre os seus antepassados e até mesmo dizer de onde eles vieram. Acontece que, por mais que isso seja algo bom cientificamente falando, testes como esse já causaram muito caus por aí.

E agora, com novos estudos sobre a ascendência de DNA possibilitando a identificação de seus antepassados, tudo tem ficado ainda mais interessante. A maioria deles é, na verdade, surpreendente. Afinal, de acordo com você, de onde você acha que vieram os seus descendentes? Da Europa? Ásia? Africa? Esse teste é capaz de responder isso e a resposta dele costuma ser bem diferente do esperado. Esses casos mostram muito bem isso.

1 -Doreen Isherwood e Anne Hall (Inglesas)

Duas inglesas resolveram fazer o teste de ascendência de DNA em 2017. Doreen Isherwood de Putney e Anne Hall de Huddersfield, com 64 e 53 anos, respectivamente. A expectativa de ambas era que o resultado viesse principalmente de ingleses e de outras regiões da Europa. Ainda sim o que apareceu foi bem diferente. Apesar de incomum, elas apresentaram a ascendência de nativos americanos.

Acredita-se que, no passado, os nativos americanos tenham ido para a Grã-Bretanha no século XVI de alguma forma ou para a Inglaterra por volta dos anos 1700 e que essas garotas façam parte dessa descendência.

2 - Dick Nelson (Sueco)

Uma descoberta nada fácil pairou sobre Dick Nelson depois que ele resolveu comprar um teste de ascendência de DNA na Ancestry.com. Tudo isso aconteceu quando ele tinha 78 anos, em 2016, e ambos seus pais estavam mortos. O pai do homem se chamava Albert e era 100% sueco, enquanto sua mãe tinha descendência na Europa Ocidental. Ele tinha 4 irmãs e todas elas eram loiras e de olhos azuis, enquanto ele tinha olhos castanhos e cabelos pretos.

Talvez a desconfiança tenha começado por aí. Acontece que quando ele fez o teste o mesmo mostrou que ele era 5% escandinavo e que, portanto, Albert não era seu pai. Depois de conversar com uma prima sobre isso ela teria dito para ele que na verdade o seu pai era um homem italiano e se chamava Jim Cassioppi.

3 - Tanya (afro-americana)

Quando uma suposição foi pedida para ela, Tanya afirmou que acreditava ser 50% afro-americana, 25% de nativos americanos e 25% europeia. Depois que sua mãe disse para ela que elas pertenciam a nativos americanos a suspeita surgiu. Foi então que ela resolveu fazer parte do teste e o resultado foi; 78% africanos, 17% europeus, 2% asiáticos, 2% ocidentais asiáticos, 1% insulares do Pacífico. Pelo visto tudo que foi dito a ela não passava de uma historinha, o que a deixou mais surpresa ainda.

4 - Bernard (Europeu e africano)

Com uma mãe de pele clara e um pai de pele escura, Bernard acreditava ser 50% europeu e 50% africano até que o teste de ascendência de DNA mudou tudo. Para a sua surpresa o resultado mostrou que ele é 91% europeu, 5% do Oriente Médio, 2% hispânico; menos de 1% africano e asiático. Esse, mais do que a maioria dos outros, mostra como você pode estar enganado sobre quem eram os seus descendentes ou a qual etnia você pertence. Para quem acreditava ser 50% africano, um resultado de 1% é realmente conturbado.

5 - Érica (Multirracial)

Érica resolveu participar do teste e quando o fez acreditava ser 50% africana e 50% europeia, com talvez alguns poucos nativos americanos. Quando o resultado chegou ele mostrou que, na verdade, ela era 48% africana, 37% europeia, 14% de nativos americanos, 1% de outras nacionalidades. Ela participou do teste duas vezes, já que na primeira delas o resultado foi predominantemente latino e não era específico. O segundo apresentou o resultado que mostramos acima.

6 - Rajvee (Indiano)

De acordo com Rajvee a Índia tem dois grupos étnicos principais, dentre ele os arianos e os dravidianos. Ele é do sul da Índia, local no qual os dravidianos são predominantes. Juntamente com essa afirmação, e por acreditar que a África é o berço da humanidade, Rajvee estimava que sua ascendência fosse 90% asiática e 10% africana. Porém o resultado se mostrou bem diferente disso. Ele é, na verdade, 93% asiático e 7% dos insulares do pacífico.

7 -Hunter (Europeu)

É um pouco tendencioso acreditar que você é originalmente de uma unica nacionalidade sendo completamente "puro", mas foi exatamente isso que o nosso jovem Hunter indicou sobre ele na hora de fazer o teste. Ele afirmou de forma convicta que era 100% europeu. Apesar do resultado não ter se mostrado tão diferente como ele esperava ele é, na verdade, 99% europeu e 1% do Oriente Médio. O rastro de descendência oriente deixou, além dele, até a sua mãe surpresa.

As ascendências que carregamos são muito mais complexa do que a maioria imagina. Você provavelmente carrega rastros de origens que nem mesmo acreditaria, o que é extremamente interessante. Em algum momento, sem dúvidas, todos deveriam fazer esse teste. O que acham? Acreditam carregar quais descendências étnicas?

Próxima Matéria
Natália Pereira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+