• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 verdades por trás das pessoas que sangram como Cristo

POR Jesus Galvão    EM Curiosidades      18/07/18 às 16h54

Ao longo da história, muitas pessoas afirmaram ter as chagas de Jesus Cristo, devido sua devoção ou porque haviam recebido um propósito divino. Essas feridas e cortes receberam o nome de estigmas. Cientistas do mundo todo já estudaram estas feridas mas nunca entraram em um consenso sobre como, de fato, elas surgem e desaparecem como mágica.

Aqui na Fatos Desconhecidos já escrevemos sobre as 7 coisas que você sempre entendeu errado sobre a igreja católica e as 7 coisas que a Igreja Católica proibiu ao longo da história. Hoje, listamos para vocês alguns fatos sobre as pessoas que possuem esses estigmas e que vão esclarecer alguns pontos sobre esse misterioso fenômeno. Confira!

1 - O que são os estigmas

Os estigmas são chagas que surgem no corpo das pessoas, que possuem certa relação com a crucificação de Jesus Cristo. As chagas podem aparecer simultaneamente ou individualmente em vários locais do corpo, como a palma das mãos e sobre os pés. As mulheres foram as mais afetadas pelo fenômeno até hoje, e a maioria delas eram pessoas religiosas.

2 - As causas

Ao longo da história, cerca de 300 pessoas receberam os estigmas. No entanto, apenas 60 delas foram canonizadas. As marcas podem ter 3 tipos de causas, sendo elas:  origem natural (caráter histérico), origem demoníaca e origem sobrenatural.

3 - As "Almas vítimas"

As "Almas vítimas" são aquelas pessoas que por um amor tão ardente a Jesus desejam se configurar como o Cristo Crucificado. No entanto, nem todos recebem os estigmas, como é o caso de Santa Terezinha do Menino Jesus.

4 - O sofrimento

Um sinal de que os estigmas são ocasionados por uma origem sobrenatural é que eles geralmente são precedidos de muito sofrimento, o qual a pessoa se santifica. Um processo de purificação de sua alma. No entanto, a maioria dos santos estigmatizados tinham vergonha de expor seus estigmas visíveis, como aconteceu com Santo Padre Pio de Pietralcina.

5 - As feridas não saram

Segundo relatos feitos pelo Padre Pio, diversas foram as tentativas para tratar e sarar as feridas dos estigmas. Nenhum médico teria sido capaz de curá-las. Nenhum remédio ou bandagem conseguia deter os sangramentos ou melhorar seu estado. De acordo com as pessoas que acompanhavam a vida do Padre, seus estigmas desapareceram alguns dias antes dele morrer, sem deixar quaisquer sinais ou cicatrizes.

6 - O primeiro estigmatizado

A primeira pessoa que se tem registro de ter recebido as chagas de Cristo foi São Francisco de Assis que, em 1224, teria tido uma visão de um anjo e logo em seguida recebido os estigmas.

7 - A visão da Igreja Católica

A igreja admite o fenômeno como uma forma de milagre. Como uma missão que os "bem-aventurados" teriam para o próprio desenvolvimento do homem e da igreja. Ao menos é o que explica o Padre Tito Paolo Zecca, professor de Teologia Pastoral e Espiritualidade na Universidade de Latrão.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Próxima Matéria
Jesus Galvão
Goiano, Canceriano e Publicitário.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+