• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


8 métodos de cura mais estúpidos já criados pela medicina

POR Gustavo Camargo    EM Ciência e Tecnologia      08/11/17 às 12h42

Em nosso mundo existem milhões organismos vivos. Cada um deles tem formas e tamanhos diferentes. Esquecendo um pouco as diferenças, existem certas coisas que todos compartilhamos, como a necessidade de nos alimentar, dormir, reproduzir e morrer. Bom, outro fator importante que pode levar seres vivos a não completar esse ciclo são as doenças.

Desde a nossa existência o ser humano tenta aprimorar seus conhecimentos sobre o campo da medicina. Um campo que tem visto muitas rupturas e avanços ao longo dos séculos. Não há dúvida que o tempo de vida das pessoas aumentou. Isso é graças ao trabalho incansável de médicos e das empresas farmacêuticas que conseguiram encontrar curas de tantas doenças ao longo dos anos. Mas, em uma outra época, médicos não eram tão educados como os de hoje e seus métodos eram um tanto quando questionáveis. Bom, nós da Fatos Desconhecidos trouxemos para nossos leitores 7 métodos de cura mais estúpidos já criados pela medicina. Confira:

1 - Hemigossossomia

Como em qualquer outra parte do corpo, a língua pode desenvolver algum tipo de crescimento cancerígeno. Se isso realmente acontecer, o pior tratamento criado pela medicina é conhecido como hemiglossossomia, uma operação que envolve cortar toda a língua ou apenas um parte dela.

2 - Terapia com choque de insulina

É de conhecimento mútuo que a morfina é uma medicação que ajuda a reduzir significativamente a dor aguda e crônica. O problema é que ela é um opiáceo, o que significa que pode ser altamente viciante. Em 1927, um neurofisiologista austríaco chamado Manfred Sakel desenvolver o que é conhecido como teria de choque de insulina, depois de perceber que um de seus pacientes estava curando do vício da morfina depois que ele acidentalmente lhe deu uma dose de insulina. Esta terapia foi usada durante a década de 1940 e 50 para tratar dependências e transtornos mentais como a esquizofrenia.

3 - Ferros quentes

Algumas pessoas desenvolvem estruturas vasculares conhecidas como hemorróidas. Em seu estado normal, elas realmente ajudam a pessoa com o controle de fezes. Mas, quando ficam inflamadas ou inchadas podem causar dor e hemorragia imensas. No passado se esquentava uma barra de ferro e colocava sobre a parte inchada, causando uma dor insuportável no paciente.

4 - Cheirando as próprias flatulências

Em toda sua história a humanidade sempre teve que enfrentar surtos de doenças e pragas. Uma das piores foi a Peste Negra, que ocorreu na Europa de 1346 a 1353, matando 200 milhões de pessoas. Uma das curas desenvolvidas pelos médicos da época foi que seus pacientes soltassem gases em um frasco para que eles pudessem cheirar suas próprias flatulências.

5 - Mercúrio

Ao longo dos séculos a medicina envenenou pessoas. Em defesa, a maior parte desse veneno foi usado como tratamento em um momento em que os médicos desconheciam quão tóxicas eram certas substâncias. O mercúrio é um elemento metálico que pode ser manuseado em altas temperaturas em sua forma líquida, e por muito tempo médicos usaram essa substância para tratar diversas doenças. O problema aqui é que o mercúrio é tóxico e venenoso para os seres humanos.

6 - Heroína

Assim como a cocaína, a heroína era usada para ajudar as pessoas que sofreram trauma físico grave e aqueles com dor crônica. O problema é que a heroína pode ser extremamente viciante e pode causa problemas respiratórios, abcessos, pneumonia e infecções do sangue.

7 - Ovelha

Em tempos antigos, as ovelhas eram consideradas animais sagrados e perfeitos para serem sacrificadas para obter algum tipo de favor dos deuses. Em um lugar como a Mesopotâmia, as pessoas consumiam fezes de ovelhas e cordeiros como um remédio para basicamente tudo.

 8 - Lobotomia

Esse tratamento foi usado no passado em pessoas com problemas mentais. Era uma técnica desenvolvida pelo neurologista português Antonio Egas Moniz, em sua essência, esse tratamento envolve raspagem e remoção de partes inteiras do cérebro. Mesmo que esse método tenha alguns efeitos positivos, os negativos eram bem graves, uma delas era o paciente ter fortes convulsões.

E aí, o que acharam da matéria? Comenta aí e não se esqueça de compartilhar com os amigos, lembrando que seu feedback é sempre muito importante.

Próxima Matéria
Gustavo Camargo
A verdade é que eu queria ser astronauta, mas na minha cidade ainda não tem a escolinha. Instagram: gustavoloopi
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+