• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


A adolescente assassina que escrevia seus crimes

POR Diogo Quiareli    EM Terror & Sobrenatural      24/10/19 às 16h23

Hoje, caros amigos, vamos falar sobre uma história triste e, ao mesmo tempo, assustadora. Alyssa Bustamante é o nome de uma norte americana adolescente, que tinha alguns problemas familiares, mas que, mesmo assim, costumava ser uma pessoa adorável. Porém, ela foi de mocinha à assassina cruel. Essa é a história do Death Note da vida real. Acredite, a vida dessa garota é extremamente conturbada, por isso, trouxemos, visto que vocês, caros leitores, sempre se interessam por assuntos do tipo.

O caso envolvendo assassinatos chocou pessoas do mundo inteiro, afinal, é algo bastante sério. Vamos parar então de enrolação e contar melhor essa história. Lembre-se de comentar e nos mandar sugestões de temas desse tipo, afinal, fazemos tudo isso para você. Sem mais delongas, vamos lá.

Alyssa, a adolescente assassina

Alyssa Bustamante nasceu no dia 28 de janeiro de 1994, em Cole, Missouri. Filha de pais viciados em drogas, ela era resultado de uma gravidez na adolescência. Ambos os progenitores eram adolescentes quando ela nasceu. Sua mãe tinha várias passagens pela polícia, como roubo e porte de drogas. Seu pai deixava a situação ainda pior. Ele estava preso quando Alyssa nasceu. Como consequência, Alyssa foi levada sob custódia por seus avós, que garantiram que ela tivesse uma vida digna e longe dos seus pais biológicos.

Mas parece que, mesmo com a tentativa dos avós de fazerem de Alyssa uma pessoa normal, conforme ia crescendo, ela demonstrava ser uma jovem muito violenta e deprimida. Porém, com os amigos era diferente. Alyssa sempre mostrava ser uma pessoa doce, que era amada por todos. Assim como qualquer jovem, Alyssa adorava as redes sociais. No seu perfil do Facebook, ela postava fotos com maquiagens estranhas, como um batom vermelho borrado e muita sombra nos olhos.

Além do Facebook, ela também tinha conta no Twitter e MySpace. No youtube, ela tinha um canal chamado OkamiKage. No perfil, ela colocou que um dos seus hobbies era "matar pessoas." Alyssa já tinha tido depressão severa e chegou a tentar suicídio. Na sua conta do Twitter, ela afirmava o seguinte: "em algum lugar que eu não quero ser." Na foto em que ela aparece com o batom borrado, Alyssa coloca dois dedos na cabeça, simbolizando uma arma. Na imagem, também é possível ver alguns pequenos cortes em seu pulso. Em outro post do Twitter, ela disse o seguinte: "Isso é tudo o que eu quero na vida; uma razão para toda essa dor".

Maldade

O canal do Youtube de Alyssa tinha vídeos com ela e seus irmãos brincando. Na maioria das vezes, imitando algumas brincadeiras de Jackass, um grupo de amigos que faz brincadeiras de muito mau gosto. Ainda executam tarefas ousadas e perigosas. Mas existia um vídeo que era mais estranho que tudo isso. Intitulado como "Idiotas sendo eletrocutados por uma cerca elétrica". O vídeo mostra Alyssa e seus irmãos gêmeos, de apenas nove anos de idade, em frente a uma cerca elétrica.

Primeiro, ela olha para a câmera, dá um sorriso e agarra a cerca. Ciente da potência do choque, ela incentiva seus irmãos a pegarem na cerca elétrica. Antes de aparecer seus irmãos tomando choque, aparece na tela a seguinte frase: "aqui vem a parte boa, onde vemos meus irmãos se machucarem." Os garotos seguem as ordens da irmã, e acabam no chão. E aí, deu para entender um pouco da vida de Alyssa Bustamante? Então, agora vamos começar a contar os fatos de um crime que Alyssa cometeu. Detalhe: esse crime ocorreu quando ela tinha apenas 15 anos de idade.

Cerca de quatro casas depois da residência da família Bustamante, vivia a família Olten. Eles tinham uma filha, chamada Elizabeth Olten, de apenas nove anos, e que costumava brincar com Alyssa e seus irmãos. Um dia, a mãe de Elizabeth pediu para que ela não fosse à casa de Alyssa brincar, mas ela insistiu e acabou indo. Ela saiu de casa por volta das 17 horas da tarde e, às 18 horas, a mãe de Elizabeth sentiu que havia alguma coisa errada.

Assassinato

Alyssa chamou Elizabeth para brincar no bosque. Confiando na adolescente, as duas foram em direção à floresta. Quando elas chegaram em um ponto que ninguém poderia vê-las, Alyssa começou a colocar o seu plano em ação. Primeiro, ela agarrou Elizabeth pelo pescoço. Ela apertou o pescoço da amiga com muita força, até que ela parasse de oferecer resistência.

A partir daqui, as coisas ficam piores. Alyssa tirou de sua roupa uma faca afiada e enquanto Elizabeth estava desmaiada e imóvel, ela começou a cortar sua vítima. O primeiro golpe foi na garganta, o que provavelmente tirou a vida de Elizabeth. Mas não satisfeita com a situação, Alyssa segurou a faca com as duas mãos e, com todo a força que tinha, começou a esfaquear a pequena Elizabeth diversas vezes, como se estivesse furiosa com algo. Para garantir a morte da garota, Alyssa ainda fez cortes na região dos pulsos. Agora, Alyssa era uma assassina fria e calculista.

Depois de cometer o crime, Alyssa mostrou que era uma pessoa fria. Segundo a investigação, ela foi para uma aula de dança em sua igreja, enquanto as autoridades faziam as buscas pela criança que estava desaparecida. A menina simplesmente desapareceu. A polícia foi chamada e logo começaram a procurar pela pequena Elizabeth. A polícia procurou Elizabeth, mas não encontrava pistas. Eles localizaram o celular dela, e embora a localização mostrasse que ela estava na floresta, eles não conseguiram encontrar o seu corpo.

Encontrando o corpo

No outro dia, a polícia encontrou o corpo da garotinha de nove anos, em um túmulo, nos fundos da casa de Alyssa. Ela admitiu para a polícia que tinha cavado dois túmulos, semanas antes de cometer o assassinato, o que gerou especulação de que Alyssa pretendia matar seus dois irmãos gêmeos. A autópsia foi feita e revelou que Elizabeth tinha sido estrangulada, sua garganta e pulsos haviam sido cortados e havia marcas de facadas em outras partes do corpo.

Todos da cidade ficaram completamente chocados com o crime. Os colegas de Alyssa então, eles não sabiam porque ela tinha feito aquilo ou mesmo qual a sua motivação. Uma amiga dela disse o seguinte: "Antes disso, antes de tudo isso, ela era uma garota de 15 anos normal. Isso realmente não era ela. Esta não foi a Alyssa que eu conheci". Depois do assassinato, uma amiga de Alyssa se apresentou para a polícia, dizendo que ela tinha dito que queria saber como é cometer um assassinato. Quando elas estavam em uma festa, Alyssa disse o seguinte: "Eu imagino como seria matar alguém." Segundo Meyer, ela estava brava com uma de suas amigas, mas não imaginava que Alyssa seria capaz de matar alguém.

Mas por que diabos Alyssa matou Elizabeth? O que uma criança de apenas nove anos de idade fez para ser brutalmente assassinada? A explicação mais simples dada por Alyssa foi que ela simplesmente queria saber como era matar alguém. Bom, pessoas completamente normais podem já ter pensado sobre como é matar alguém, mas elas não vão de fato cometer o ato. Já pessoas mentalmente instáveis têm grandes chances de querer descobrir como é cometer um assassinato.

O passado e a prisão

Alyssa já havia demonstrado que era uma menina problemática. No passado, ela teve problemas psicológicos e, como eu disse, já até tinha tentado se matar. Quando a polícia entrou na casa da adolescente, eles apreenderam o diário da garota. Lá, ela descreveu o crime e qual a sensação tinha sentido na hora. No seu diário, Alyssa escreveu o seguinte:

"Eu acabei de matar alguém. Eu a estrangulei e cortei sua garganta e a esfaqueei agora que ela está morta. Eu não sei como me sentir nesse momento. Foi incrível. Assim que você superar o sentimento de 'oh meu deus eu não posso fazer isso', é bem agradável. Eu estou meio nervosa e tremendo agora. Ok, tenho que ir à igreja agora". Consequentemente, Alyssa foi presa e acusada de homicídio em primeiro grau. No seu julgamento, Alyssa declarou o seguinte: "Eu sei que palavras nunca vão ser suficientes e nunca vão conseguir descrever exatamente o quanto me sinto horrível por tudo isso. Se eu pudesse dar minha vida para ter ela de volta, eu daria. Desculpa".

Pena

Patty Preis, a mãe de Elizabeth, chegou a chamar Alyssa de monstro no primeiro julgamento. Na última audiência, Patty escutou calada o pedido de desculpas da garota. Pelo fato de ter assumido o crime, Alyssa evitou uma possível pena de prisão perpétua, em um presídio adulto, sem a possibilidade de redução de pena. Os advogados da garota haviam pedido uma pena menor para ela, já que Alyssa fazia uso do antidepressivo Prozac, o que tinha deixado-a mais propensa à violência. Eles ainda alegaram que ela tinha sofrido muitos anos com a depressão e que tinha tentado suicídio com uma overdose de analgésicos.

Mas os promotores não aceitaram essa argumentação. Para eles, o fato de que Alyssa tinha cavado duas covas antes de cometer o crime e assumido que queria saber como se sentia ao matar alguém, era o suficiente para dar a sentença de prisão perpétua para a garota.

Apesar das tentativas dos advogados de Alyssa tentarem justificar o crime com os problemas psicológicos que a garota tinha, de nada adiantou. Ela não recebeu sentença de morte, mas foi condenada à prisão perpétua.

Confira conosco em um vídeo.

Vídeo

E aí, o que você achou? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Lembrando sempre que o seu feedback é extremamente importante para nós.

Próxima Matéria
Diogo Quiareli
Geminiano, 25 anos, goiano.
As categorias Terror, Sobrenatural, CreppyPasta e entretenimento têm como único objetivo de entreter. Não devem ser utilizadas como fontes de artigos científicos ou trabalhos escolares.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+