• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


A bela rainha da máfia que matou a tiros o assassino de seu marido

POR Cristyele Oliveira    EM Curiosidades      04/09/19 às 14h45

Se você é daqueles que gosta de um bom filme de máfia, como O Poderoso Chefão, por exemplo, está acostumado com caras machões nos papéis principais, certo? Sim, mas, na vida real, o mundo do crime pode ser muito diferente disso. E mais interessante, diga-se de passagem. Na década de 1950, na Itália, uma mulher, foi vista como a rainha da máfia e ficou muito popular, depois de ter matado com múltiplos tiros o assassino do seu marido.

Vinda de uma família de mafiosos, Assunta Maresca, ou Pupetta Maresca como ficou conhecida, já estava inserida nesse mundo do crime desde muito cedo. Seguindo os passos do seu pai, ela se tornou uma rainha do crime na Itália. Ela se tornou a chefe da Camorra, uma das principais organizações criminosas italiana, ligadas à Máfia Siciliana. Tudo isso, depois de sair da prisão por cumprir pena pelo assassinato do homem que matou o seu marido. Descubra quem foi Pupetta Maresca, a filha da máfia italiana.

Filha da máfia

Assunta Maresca nasceu em 1935, em uma família italiana temível, em toda a cidade de Castellammare di Stabia. Desde pequena, a beleza estonteante da menina era notada por todos. Tanto que ela foi apelidada de "Pupetta" ou "bonequinha", devido a sua boa aparência.

A menina Maresca veio de uma família de criminosos, então, desde sempre esteve inserida no meio da máfia. Seu pai, Vincenzo Maresca, foi um dos principais chefes locais da máfia. Então, desde criança, ela viu a sua família cometer crimes regularmente, o que não se tornou um problema para ela.

Os Marescas eram conhecidos como "relâmpago rápido". Isso, devido as suas incríveis habilidades com a faca, e com Pupetta não foi diferente. Nos tempos da escola, ela já tinha sido acusada de pegar uma faca para uma colega de turma. No entanto, essa reputação não a impediu de ser popular, tanto que, aos 19 anos, ela ganhou um concurso de beleza local. Na ocasião, ela conheceu Pasquale Simonetti, que viria a se tornar o seu marido e mudar a sua vida para sempre. Conhecido como o "Grande Pasquale de Nola", Simonetti também tinha negócios ilegais na época.

Logo, depois que conheceu Maresca, ele foi preso por um breve período. Quando saiu da prisão, ele então selou a sua união com a princesa da máfia, em uma grande celebração que não durou muito tempo.

Viúva da máfia

Logo, depois do casamento, Maresca ficou grávida, e o momento que era de felicidade acabou se tornando uma tristeza. Problemas com a máfia no passado voltaram a assombrar Simonetti. E ele acabou irritando alguns dos seus inimigos, entre eles, um homem chamado Antonio Esposito que, inclusive, era um ex-companheiro de máfia.

Naquele mesmo ano, Esposito contratou um assassino de aluguel para matar Simonetti e assim o fez. Sua jovem viúva, carregando o seu primeiro filho, ficou completamente abalada com o ocorrido. Segundo ela, mesmo após ter matado o seu marido, Esposito continuou a ameaçá-la. Então, ela se viu obrigada a se proteger por conta própria, já que a polícia local era ineficaz.

Foi quando ela chamou o seu irmão mais novo, para ajudá-la a matar o homem que tinha destruído a sua vida. Certo dia, Esposito visitou o túmulo de Pasquale no cemitério, e a mulher teve a chance de se vingar. Portando duas armas na mão, Maresca disparou 29 tiros em Esposito, em plena luz do dia.

Durante o seu julgamento, em 1959, Pupetta Maresca era uma verdadeira sensação da mídia e amada pelo público, tanto que ganhou o apelido de "diva do crime". Ela que estava grávida quando assassinou Esposito, disse, em julgamento, que estava apenas fazendo justiça pela morte do seu marido. E inclusive, declarou publicamente que não estava arrependida, pelo contrário, até faria de novo se fosse o caso.

"Eu matei por amor, mas também porque ele queria me matar", declarou ela, em tribunal. "E se meu marido voltasse à vida e ele o matassem novamente, eu faria a mesma coisa". O público foi à loucura com a sua declaração, e Maresca foi presa como uma celebridade instantânea amada pelo povo.

Rainha da máfia

Por fim, o júri não aceitou a sua alegação de autodefesa e Maresca foi condenada a 14 anos de prisão pelo assassinato de Esposito. No entanto, mesmo depois de receber uma sentença de uma década e meia de prisão, Pupetta só cumpriu alguns anos de reclusão.

Mas, esse tempo em que passou na prisão não fez com que ela interrompesse os seus trabalhos para a Camorra. Mesmo da cadeia, ela continuou liderando a organização. Quando saiu da cadeia, ela aumentou os seus contatos dentro da Camorra, ganhando ainda mais notoriedade dentro da organização. O fato é que Pupetta Maresca se tornou um fenômeno da cultura local e rainha da beleza. Sua história foi imortalizada em vários filmes baseados na sua vida.

E você, já conhecia a história de Pupetta Maresca? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com os seus amigos.

Próxima Matéria
Via   Ati  
Imagens Ati
Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+