icone menu logo logo-fatos-curiosos.png


A checagem de temperatura está cada vez mais comum, mas ela pode causar mais danos do que ajudar

POR Bruno Dias EM Curiosidades 23/07/20 às 14h33

capa do post A checagem de temperatura está cada vez mais comum, mas ela pode causar mais danos do que ajudar

pandemia do coronavírus está deixando todas as pessoas bastante assustadas e surpresas. O COVID-19 surgiu em Wuhan, na China. E  por causa de sua intensidade e capacidade de matar as pessoas, o mundo todo está passando por uma situação bastante delicada e está em estado de alerta. Governos do mundo todo tomaram medidas, para proteger seus cidadãos e evitar um contágio ainda maior.

O surto do vírus já mudou vários hábitos das pessoas. Desde que o vírus foi identificado, ele tem gerado várias dúvidas e receios nas pessoas. Por causa disso, os órgãos oficiais indicaram as medidas que são necessárias, para tentar diminuir a disseminação do vírus.

Conforme o tempo foi passando as notícias e informações sobre o novo coronavírus foram sendo compartilhadas e melhores entendidas. Agora que as regras de isolamento social estão sendo afrouxadas e estabelecimentos estão podendo reabrir suas portas algumas medidas tem que ser tomadas.

Uma coisa bastante comum é a verificação de temperatura, logo na porta dos estabelecimentos, para medir se a pessoa está com febre. Se a temperatura estiver acimad os 38º a pessoa não pode entrar no estabelecimento.

Vários decretos, tanto estaduais quanto municipais por todo país recomendaram ou obrigaram os estabelecimentos a fazer esse procedimento em todos seus clientes e funcionários.

Mas segundo alertam os pesquisadores, esse procedimento não é apoiado em nenhuma evidência científica. E, na realidade, pode ajudar o novo coronavírus a infectar mais pessoas.

"Nunca houve dados que demonstrem que isso impediu qualquer transmissão de COVID-19. A verificação da temperatura não tem valor. Deveria ser abandonada", disse Eric Topol, vice-presidente executivo do Scripps Research.

Medições

Essas medições de temperatura surgiram para barras as pessoas na epidemia de SARS, nos anos 2000. Já que a temperatura corporal era uma boa indicação de uma possível infecção pela SARS. Até porque 86% dos infectados tinham febre.

Entretanto, o SARS-CoV-2, que é o causador do COVID-19, é diferente do vírus da epidemia passada em alguns aspectos fundamentais. O que "tornam as verificações de temperatura quase inúteis agora", afirmou Mara Aspinall, professora de diagnóstico biomédico da Arizona State University e presidente de uma empresa de biotecnologia.

Não funciona

De acordo com os dados coletados até o momento sobre o COVID-19, menos de 50% dos pacientes infectados têm febre. E as pessoas que são contagiosas transmitem o vírus, antes de apresentarem uma temperatura alta.

Então é pouco provável que as pessoas que tem maior chance de transmitir o vírus de forma assintomática, geralmente jovens, e os mais vulneráveis, pessoas acima de 65 anos e com imunidade comprometida, apresentem febre.

Segundo Andrew Morris, professor de medicina da Universidade de Toronto, as pessoas mais jovens podem ter o vírus sem ter nenhum tipo de sinal. Enquanto os idosos e imunocomprometidos podem não ter uma saúde suficientes para desenvolver febre.

Parar com a prática

Outro ponto levantado por Mara foi que "há muitas outras doenças que se apresentam com febre, tornando este um teste de triagem ineficaz. Uma medida que não é sensível e nem específica não é uma boa medida. Isso também pode dar às pessoas uma falsa sensação de segurança".

Essas pessoas com a falsa sensação de segurança tendem a se arriscar mais, mesmo que inconscientemente. E acabam se descuidando de outros aspectos importantes para a prevenção do coronavírus como o uso certo de máscaras, a lavagem das mãos com frequência e outros.

Além disso, ela também diz que uma pessoa infectada com o novo coronavírus que tiver febre consegue facilmente diminuí-la apenas tomando um paracetamol e então consegue passar por essa triagem na porta dos estabelecimentos sem problema nenhum.

Por conta desses fatores, é que as medições de temperatura para o novo coronavírus não ajudam. E ainda têm um potencial de causar mais danos às pessoas.


Próxima Matéria
Via   Popsci  
Imagens Ocp news Ndmais G1
avatar Bruno Dias
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest