• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Americana passou a vida inteira escondendo o corpo por causa de uma doença rara mas agora usa isso para encorajar o mundo

POR Isabela Ferreira    EM Entretenimento      30/10/17 às 17h58

Atualmente, a busca pelo corpo perfeito é algo que costumamos ver de forma bastante frequente. O termo fitness foi introduzido em nosso vocabulário de maneira até mesmo agressiva. Basta sair nas ruas e reparar em anúncios ou outdoors espalhados por aí... Certamente você encontrará uma ou outra propaganda de uma academia, prometendo que você garantirá o corpo perfeito dentro de algum tempo de treino.

E tudo isso acontece enquanto a luta pela auto aceitação também ganha força. É uma linha bastante tênue e difícil de compreender. A questão é que, de fato, precisamos estar bem com nós mesmos. Seja aceitando a forma em que nos encontramos, ou indo em busca de nossos objetivos e de um corpo mais saudável. Mas e quando você não tem esse poder de escolha sobre o próprio corpo?

Sara Geurts, a americana que tinha vergonha do corpo

Ao contrário de muitos casos que conhecemos, Sara não sentia vergonha de seu corpo por ser muito gorda ou muito magra. A mulher  de 26 anos que reside em Minneapolis, no estado norte americano de Minnesota, conta que aos 7 anos de idade foi diagnosticada com uma doença extremamente rara: A síndrome de Ehlers-Danlos.

É uma condição genética provocada por falhas no tecido conjuntivo, provocando defeitos na síntese do colágeno. Isso faz com que a pele da pessoa seja extremamente flácida, dando a aparência de uma pele envelhecida.

Apenas para que você tenha ideia do quão rara ele é, estima-se que acometa apenas 1 em cada 5 mil pessoas. Cerca de 12 casos foram confirmados em todo o mundo! A síndrome, além da pele flácida, também provoca fragilidade nos músculos e nas articulações.

Em grande parte dos casos, as pessoas tiveram a cadeira de rodas como destino, visto que não conseguiam se mover adequadamente. Felizmente, esse não foi o caso de Sara. Seu corpo é bastante flácido, mas ela nunca se viu impossibilitada  de se mover.

No entanto, conta que sempre sofreu de fortes dores: "Tenho notado que envelheço. Minha dor e meus sintomas desempenham um papel maior na minha vida. Me abstenho de usar roupas super apertadas porque quanto mais eu uso, mais isso pode machucar. Devido à pele extra, pode rasgar".

A doença ficou pior assim que ela entrou na puberdade, já que não sabia muito a respeito dos sintomas. Ela ainda conta que precisou fazer visitas a muitos médicos e passar por vários exames até que descobrissem o que ela tinha.

Durante anos ela teve vergonha do próprio corpo. Foi no ensino médio que sua condição começou a ficar ainda mais evidente, período este em que os adolescentes começam a precisar daquela aceitação perante a sociedade. Ela não se achava atraente e sempre se esquivava de assuntos que envolviam o corpo.

Finalmente ela recupera sua auto-estima e decide motivar as pessoas

Sara deu a seguinte declaração: "Eu diria que minha maior insegurança com o Ether-Danlos teria sido minha pele. De estar em público e vestir camisolas ou vestidos. À medida que envelheci, começou a ficar ainda mais evidente". Foi apenas quando fez 22 anos que percebeu que precisava tomar alguma providência. Decidiu que mudaria a forma com que enxergava a si mesma. No ano de 2015 ela criou coragem e enviou uma fota sua para o Love Your Lines.

Trata-se de um Tumblr que incentiva as mulheres a se amarem exatamente como são. Decidiram publicar sobre Sara e a resposta que ela conseguiu foi simplesmente incrível. Conta: "Eu recebi 25 mil curiosos e esse foi um momento privilegiado para mim. As pessoas clicavam e eu poderia fazer algo sobre isso! Foi incrível! Literalmente chorei por duas horas porque desacreditava [...] desde então, me dediquei a mostrar meu corpo e aumentar a conscientização".

Depois disso, Sara diz ser muito mais confiante sobre seu próprio corpo. Levou uma vida de sofrimento, angústias e inseguranças, mas naquele ponto ela se sentia linda e plena. Agora a mulher se dedica à carreira de modelo e espera que sua história seja um incentivo para alterar os padrões de beleza que conhecemos atualmente.

Ainda acrescenta: "Pessoalmente, espero que ao sair com a modelagem com minha síndrome, eu possa quase ser o rosto de Ether-Danlos. E não só, você sabe, conscientizar... Mas também divulgar a palavras, conectar-se com as pessoas".

Sara Geurts é um belo exemplo de superação. É a prova viva de que todos podemos ser felizes independente da situação. Para isso, basta aceitar a si mesmo e ver o quanto é maravilhoso viver sem a culpa do ser.

E então pessoal, o que acharam? Conhecem outros casos de superação tão bonitos quanto o de Sara? Compartilhem com a gente aí pelos comentários!

Próxima Matéria
Via   Barcrof TV  
Isabela Ferreira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
As categorias Terror, Sobrenatural, CreppyPasta e entretenimento têm como único objetivo de entreter. Não devem ser utilizadas como fontes de artigos científicos ou trabalhos escolares.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+