• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Animal microscópico de 30 milhões de anos não pertence a nenhum grupo de animais

POR Renata G Pereira    EM Curiosidades      14/10/19 às 12h24

Você já ouviu falar em porco mofado? Ele é uma espécie de animal micro invertebrado que, até então, era desconhecida. E que foi descoberta presa no âmbar, na Republica Dominicana. De acordo com o especialista em âmbar, George Poinar Jr. da Oregon State University, essa espécie viveu há cerca de 30 milhões de anos atrás. Mas precisamente no período Paleogene. O animal microscópico possui características semelhantes a dos ácaros e a dos tardígrados, que também são conhecidos como ursos aquáticos. Mas, como não possui garras nas patas, ficou comprovado que não faz parte de nenhum desses grupo.

O pequeno animal microscópico foi, carinhosamente apelidado, de porco mofado. Mas, o mais curioso é que o porco mofado não se encaixa em nenhum grupo de animal conhecido.

"Não existe um grupo existente no qual os porcos se encaixem, e não temos conhecimento de nenhum de seus descendentes que vivem hoje", afirmou o professor George Poinar Jr., entomologista da Faculdade de Ciências da Universidade Estadual do Oregon.

 Porco mofado

Apesar do minúsculo tamanho, os porcos mofados, representam uma descoberta de grandes proporções e significado para a ciência. Pois, revelou a existência de uma família, gênero e espécie de micro invertebrados, que até então, eram completamente desconhecida.

Os porcos mofados foram oficialmente denominados como Sialomorpha dominicana, nome de origem grega, que quer dizer porco gordo. Eles viveram durante um período intermediário do Terciário, que começou por volta de 65 milhões de anos atrás, e durou por mais de 63 milhões de anos.

O professor e entomologista, George Poinar, pôde fazer uma análise detalhada da amostra de âmbar, onde os porcos mofados foram encontrados. E conseguiu descobrir vários aspectos da anatomia dos porcos mofados. Uma das descobertas foi que eles comiam basicamente, fungos e pequenos animais invertebrados, e o crescimento era realizado através do processo de muda, onde exoesqueleto era eliminado.

Na amostra de âmbar, ainda foi possível observar que os pequenos filhotes de porcos mofados, tinham quatro pares de pernas e cabeças flexíveis. Além disso, os porcos mofados, encontrados na amostra, mediam cerca de 100 ?m de comprimento.

A descoberta dos organismos mostra a possibilidade de que linhagens únicas possam ter sobrevivido, no período terciário.

 Outras espécies no âmbar

No período em que os porcos mofados viviam, eles compartilhavam um ambiente quente e úmido, juntamente com pseudoescorpiões, nematoides, fungos e protozoários.

E justamente essas espécies foram encontradas na companhia dos porcos mofados, na amostra do âmbar. Em suma, o que fez com que os pesquisadores chegassem à conclusão de que todos esses animais compunham o mesmo habitat.

"De vez em quando, encontramos fósseis de pequenos invertebrados, frágeis e desconhecidos em habitats especializados. E, ocasionalmente, como no presente caso, um fragmento do habitat original de milhões de anos atrás, também foi preservado. Os porcos mofados não podem ser colocados em nenhum grupo de invertebrados, atualmente, existentes - eles compartilham características com tardigrados e ácaros, mas claramente não pertencem a nenhum grupo", afirmou o professor e entomologista, George Poinar, após realizar uma rigorosa análise na amostra encontrada.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Próxima Matéria
Via   cnetnews     iflscience  
Renata G Pereira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+