• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Animes de One Piece e Digimon Adventure estão suspensos por tempo indeterminado

POR Letícia Dias    EM Notícias      20/04/20 às 13h37

Há algum tempo, viemos comentando sobre o impacto do coronavírus na indústria do entretenimento. Já falamos sobre a vastidão de produções hollywoodianas adiadas ou suspensas e até chegamos a dar um enfoque na situação da Marvel Studios e de seu aclamado universo compartilhado. No entanto, o polo ocidental não foi o único afetado. Logo, não deixamos de especular os impactos que essa pandemia teria no desenvolvimento de animes. Bom, ainda no mês passado, Evan Minto, correspondente do Anime News Network, explicou que a influência do COVID-19 sobre a indústria de animações japonesas não era tão previsível assim, afinal, os impactos variariam de estúdio para estúdio. Pois bem, infelizmente, a situação acabou não sendo favorável para a Toei Animation. Recentemente o ComicBook.com anunciou que One Piece e Digimon Adventure estão suspensos por tempo indeterminado.

De acordo com uma nota divulgada pelo estúdio, "devido ao estado de emergência no Japão causado pela pandemia de COVID-19, consideramos cuidadosamente as medidas de segurança para a propagação e decidimos suspender o simulcast e a transmissão japonesa de ambos: One Piece e nossa nova série, Digimon Adventure, por enquanto. Atualizações sobre o retorno de ambas as séries serão fornecidas assim que soubermos. Agradecemos sua paciência e compreensão durante esse período. Fique seguro e saudável". Caso queira conferir a publicação oficial basta clicar aqui.

Como bem pontuado pelo CB, essa está longe de ser a última suspensão de animes no momento. No entanto, é notável que a notícia atingiu bastante os fãs que estavam ansiosos pelo segundo ato do País de Wano e para o retorno dos Digiescolhidos. Além disso, séries como Re: Zero e Sword Art Online: Alicization remarcaram suas estreias.

Como o novo coronavírus afeta a produção de animes

Segundo Minto - o correspondente do ANN citado acima - desde o dia 25 de fevereiro o governo suspendeu reuniões em larga escala e fechamento de escolas no Japão. Além disso, muitas empresas do país permitiram e incentivaram seus trabalhadores a exercerem suas funções em casa mesmo. Assim, visando a redução dos riscos de transmissão através da minimização de contato interpessoal, estúdios de anime fizeram o mesmo. Acontece que, embora muitos dos profissionais envolvidos com a produção das animações possam exercer seu trabalho perfeitamente de casa, outros precisariam de acesso remoto aos equipamentos do estúdio. Sendo assim, aqui, já é notável a primeira pedra no caminho. Em seguida, foi noticiado que diversos animes teriam o lançamento de seus episódios adiados por causa do vírus.

De acordo com um animador com quem Minto conversou, as produções mais atingidas são aquelas que dependem de animação e coloração nos estúdios chineses. Visto que foi lá onde a pandemia teve início, diversos estúdios ficaram e ainda estão fechados. Todavia, Minto reforçou que o impacto de produção varia muito de estúdio para estúdio. Porém, visto que muitas dessas empresas trabalham com freelancers, elas acabam compartilhando funcionários. Então, caso alguns sejam afetados, não apenas uma produção, mas diversas serão atrasadas, tal qual um efeito dominó. Aliás, não é apenas a área da produção que está sendo afetada, a divulgação dos animes também. Portanto, as empresas que contavam com o marketing de seus novos títulos podem ter seus números impactados por isso.

Bom, até então é isso. Não existe uma estimativa de quando a situação será estabilizada. Contudo, podemos torcer pelo melhor enquanto revisitamos alguns animes clássicos. Vale lembrar que serviços como Netflix e Amazon Prime Video contam com excelente títulos em seus catálogos.

Próxima Matéria
Letícia Dias
Trabalhando pra falar de super-heróis, filmes e séries em tempo integral | @letdiax
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+