• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Aparentemente ossos de uma espécie de ''mini-humanos'' foram descobertos nas Filipinas

POR Cristyele Oliveira    EM Ciência e Tecnologia      11/04/19 às 14h21

Pelo visto ainda existe muito o que se descobrir a respeito dos nossos ancestrais. Arqueólogos fizeram uma nova descoberta que pode trazer evidências de uma nova espécie humana em nossa crescente árvore genealógica. Tudo começou quando os especialistas encontraram um pé antigo, ou pelo menos o que restou de um. Um osso do pé, chamado de terceiro metatarsal, foi localizado em uma caverna na ilha filipina de Luzon, em 2007.

Os mais antigos restos de Homo sapiens encontrados já registrados nas proximidades da ilha foram datados de 30 a 40 mil anos atrás. Mas a recente e misteriosa descoberta do pé é ainda mais antiga, já que o fóssil é datado de 67 mil anos atrás. "É o primeiro hominídeo já encontrado nas Filipinas", disse o arqueólogo Florent Detroit, do Museu Nacional de História Natural, na França, ao ScienceAlert.

A descoberta

Recentemente, uma equipe de arqueólogos encontrou doze outros pedaços de humanos antigos. Os fósseis foram localizados na mesma camada de rocha onde o primeiro osso de pé foi encontrado. Estes incluem mais ossos do pé, e também da mão, um fêmur parcial e dentes. A equipe acredita que esses ossos possam pertencer a pelo menos três indivíduos, sendo dois adultos e uma criança.

Detroit explica que os fósseis são familiares, porém muito diferentes dos nossos ossos e também de outras espécies humanas já conhecidas. Os dentes apresentam características já observadas em Australopithecus e Homo erectus. Mesmo que menores, os molares têm uma forma similar aos encontradas no Homo sapiens.

Já os ossos do pé, em particular o osso chamado de falange, é muito mais curvo do que os nosso. "Essa falange lembra muito as do Australopithecus, conhecidos apenas na África e em períodos muito mais antigos (cerca de 2 a 3 milhões de anos atrás). Um indivíduo com essas características combinadas não pode ser classificado em nenhuma das espécies conhecidas hoje", disse Detroit.

"É uma espécie completamente nova de hominídeo. Isso não acontece com muita frequência", explica o arqueólogo e bioquímico, Rainer Grün.

Um fato curioso é o tamanho dos ossos. Todos os novos fósseis são minúsculos, sugerindo que esta é mais uma espécie anã como o Homo floresiensis. Os conhecidos "hobbits" foram descobertos na Indonésia em 2004. Os pesquisadores nomearam essa nova espécie de Homo luzonensis.

A nova espécie

Até o momento, as extrações de DNA feitas nesses fósseis não chegaram a um resultado claro. Portanto, ainda não existem evidências suficientes para determinar a qual parte da árvore genealógica da família hominina, o Homo luzonensis pertence.

"Levando em conta todo o conhecimento de informação que temos hoje sobre o registro fóssil pré-histórico e hominínico da Ásia, e a idade de H. luzonensis, meu palpite é que ele pode descender de algum H. erectusasiático, talvez do chinês H. erectus, mas precisamos de mais trabalho sobre esse aspecto", explica Detroit.

Com essas novas descobertas, Détroit ainda levanta a possibilidade de que, no passado, o Homo sapiens não estava sozinho na Terra. "A evolução humana é muito mais complexa do que imaginávamos, e era normal no passado ter várias espécies humanas vivendo lado a lado. Em contraste com hoje, onde somos as únicas espécies que restam", disse Grün.

Agora os pesquisadores estão em busca de descobrir mais a respeito do recém descoberto humano. E também de como ele se encaixa na nossa árvore genealógica. Mas para isso, será necessário encontrar mais fósseis. E os membros da equipe já estão procurando nas ilhas filipinas por outros locais potenciais para escavar.

Próxima Matéria
Via   ScienceAlert  
Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+