• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Blanche Monnier, a mulher que ficou 25 anos presa por causa de sua mãe

POR Natália Pereira    EM História      25/06/18 às 16h39

Relacionamentos familiares são realmente mais complexos e difíceis do que deveriam ser. Ainda assim, jamais poderíamos imaginar que uma mãe seria capaz de manter a sua própria filha em cativeiro durante quase 25 anos. Esse caso, assim como alguns outros igualmente horrendos, tem deixado as pessoas cada vez mais perplexas com a capacidade humana de ser cruel. E, dentre todos eles, a história dessa garota acabou ganhando destaque no passado e merece ser lembrada.

O fato é que a jovem, que pertencia a uma família proeminente, acabou passando por coisas realmente horríveis que foram propiciadas pela própria mãe. O que, sem dúvida, mostra como a classe social de uma pessoa não significa nada quando se trata de problemas mentais e da crueldade humana. Afinal, todos estão sujeitos a enfrentar situações trágicas como essa. E, nessa história, a vítima foi uma jovem de 23 anos chamada Blanche Monnier!

O caso de Blanche Monnier

A jovem encarcerada pertencia a uma família burguesa chamada Monnier. Ela nasceu em Poitiers, na França, no ano de 1849 e tinha apenas 23 anos quando tudo aconteceu. E, acredite ou não, toda a sua tragédia foi resultado de um amor mal compreendido entre ela e um advogado com quem ela tinha um caso. O problema foi que, apesar de estar na idade em que os pretendentes da época começavam a aparecer, aquele em específico não era o homem que a sua mãe desejava para ela.

Isso porque, apesar de ser um advogado, o homem era velho e não tinha dinheiro. Ainda sim, Blanche estava completamente apaixonada por ele e não aceitava se casar com outro homem, mesmo que sua mãe insistisse para que ela pudesse escolher um pretendente a sua altura. Depois que a menina não ouviu as suplicas da sua mãe, ela decidiu que deveria prendê-la em um quarto até que mudasse de ideia. E, quando sua mãe, Madame Monnier, percebeu que isso não estava funcionando, acabou deixando ela presa lá durante todos esses anos. Sendo encerrado apenas depois que uma denuncia anônima alertou as autoridades sobre o crime.

A família Monnier

A família Monnier era extremamente respeitada pela sociedade local e, por isso, nunca levantou nenhuma suspeita. Isso porque, enquanto Blanche era mantida em cativeiro, a família nunca deixou de passar uma boa impressão para as pessoas a sua volta. Afinal, a Madame Monnier era conhecida pelos parisienses pelas obras de caridade que fazia frequentemente para a sociedade e chegou a ganhar um prêmio comunitário. Enquanto seu filho, Marcel Monnier, se tornou um advogado respeitável depois de ser um aluno de destaque na escola.

O problema foi que essa família aparentemente notável escondia um segredo horrendo em sua própria casa. Para as pessoas que os viam do lado de fora, eles eram a personificação da família ideal e que, no passado, haviam passado por uma enorme tragédia - o desaparecimento da jovem socialite Blanche Monnier. Mas, o que ninguém esperava era que, durante todos os 25 anos desde o seu desaparecimento, ela havia ficado trancada em sua própria casa.

A descoberta

Em 1901, durante o mês de maio, o procurador-geral de Paris acabou recebendo uma carta um tanto quanto suspeita. Ela havia sido escrita a mão e não possuía nenhum remetente. Ainda assim, o seu conteúdo conseguiu chamar a atenção das autoridades e levantar suspeitas contra a família Monnier. Foi então que as investigações para averiguá-la começaram. Eles acabaram fazendo uma busca habitual na propriedade da família mas, de início, não encontraram nada suspeito além de um forte odor vindo da parte de cima da casa.

Aquela cheiro estranho acabou incitando as autoridades a retornarem ao local posteriormente. Foi então que eles encontraram uma porta trancada com cadeado na área superior da residência. Aquilo era extremamente suspeito e eles decidiram quebrar a fechadura para poder entra. E, assim que fizeram isso, acabaram se deparando com a jovem Blanche, agora com seus 47 anos, em um estado deplorável. Quando entraram no quarto, o lugar tinha um odor tão forte que os policiais mal conseguiram ficar lá dentro.

O quarto estava completamente escuro, já que a sua única janela havia sido selada, e o fedor que saia de lá era o resultado de restos de comidas apodrecidas, fezes e vermes. Além disso, ela estava acorrentada nua à sua cama. Depois que as janelas foram abertas, Blanche podê ver a luz do sol pela primeira vez depois de quase 25 anos. Ela foi levada ao hospital logo em seguida e sua mãe e irmão foram para a prisão. Quando foi examinada, a mulher estava pesando cerca de 20 kg e era extremamente esquelética. Depois disso, ela acabou sendo direcionada para um sanatório francês, devido aos danos psicológicos causados pelo encarceramento e morreu no local em 1913. Sua mãe, por outro lado, morreu de ataque cardíaco 15 dias depois que Blanche foi resgatada.

Essa história trágica realmente nos faz questionar sobre os limites da crueldade humana, concorda? É triste imaginar que ela tenha vivido todos esses anos dessa forma e perdido sua vida por conta da incompreensão de sua mãe. Além disso, eles nunca conseguiram descobrir quem teria escrito a carta, mas algumas pessoas se arriscam a especular sobre isso dizendo que uma empregada teria deixado a história escapar para o seu namorado e ele não suportou guardar aquele segredo horrível. Mas, quem quer que tenha sido, possibilitou que ela finalmente fosse libertada!

Próxima Matéria
Via   ATI     Não Acredito  
Natália Pereira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+