• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Cena famosa do Wolverine não faz sentido algum

POR Letícia Dias    EM Notícias      27/10/19 às 23h11

Embora a recente franquia dos mutantes não possua a melhor das reputações, é válido lembrar que no passado foi diferente. No ano de 2000 fomos surpreendidos por X-Men: O Filme, que foi para a Fox uma aposta arriscada e um sucesso inesperado. Na verdade, foi somente devido a excelente recepção da trilogia original que a companhia conseguiu seguir adiante com as produções que vemos hoje. Sendo assim, apesar do fracasso de Fênix Negra e busca da Marvel Studios pela desassociação do nome X-Men, é importante ter em mente que já houveram dias bons e que eles não devem ser esquecidos. Afinal, os primeiros filmes da equipe abriram importantes portas para as produções de super-heróis. Graças a eles, informações que antes eram restritas aos leitores dos quadrinhos, alcançaram o público geral.

Como um grande exemplo disso, podemos citar Wolverine e seus poderes. Apesar de ter sido recebido com certo receio pelos fãs do personagem, Hugh Jackman incorporou Logan de uma forma icônica. No decorrer dos anos acompanhamos a evolução do mutante e sua relação com o mundo e suas habilidades. Portanto, mesmo diante das distrativas garras de adamantium, nossa atenção também é voltada para o fator de cura do herói. De acordo com o Screen Rant, essa é uma das mutações mais valiosas da história da Marvel Comics. Ao passo que esse poder é ilimitado, acabamos lidando com um personagem imortal. Nos cinemas já vimos grandes provas disso. Contudo, uma, em especial, marcou nossa perspectiva sobre o herói e, surpreendentemente, parece que ela não está certa.

O fator de cura de Wolverine

Apesar dos limites de credibilidade precisarem ser reconsiderados sempre que falamos de ficção, ainda mais de super-heróis, existem algumas coisas que podem ser questionadas. Sendo assim, aceitamos que Wolverine é capaz de sobreviver com um esqueleto revestido de metal. Mesmo que isso contrarie leis de várias ciências naturais, sempre encontramos no fator de cura, a resposta. Porém, se uma habilidade não é bem estudada, pode ser erroneamente aplicada dentro da narrativa. Infelizmente, foi esse o caso que estamos prestes a apontar.

No segundo filme da trilogia original, nossos queridos personagens enfrentam algumas perseguições, como de costume. Todavia, durante uma cena específica, vemos Wolverine, Homem de Gelo, Vampira e Pyro em um impasse com a polícia. Após uma calorosa discussão com a família de Bobby, Logan tenta retrair suas garras para neutralizar uma situação hostil na varanda dos Drake. Porém, o tiro acabou saindo pela culatra e acertando em cheio na testa do Wolverine. Embora nosso herói tenha ido parar no chão, sabíamos que ele não estava morto. Afinal, seu ilimitado fator de cura sempre é a resposta pra tudo. Realmente seria, se não tivesse sido apresentado de forma equivocada. Assim como Vampira, os espectadores acompanham o corpo de Logan respondendo ao ferimento. A bala efetivamente é empurrada para fora da lesão através de um processo automático. Assim que o projétil é completamente removido, seus olhos se abrem e a mente desperta.

Parece algo eficaz e justificável pelo fator de cura. Porém, se observamos e refletirmos mais a fundo, acabamos percebendo que a exibição foi um tanto quanto absurda e enganosa. Sabe por que? Confira a seguir, mas tenha em mente dois questionamentos. Primeiro, como a bala entrou na cabeça do Wolverine? Segundo, por que ele perdeu a consciência?

A chave do problema

Apesar da cena, logo de início, já fazer pouco sentido segundo as leis da física, esse não vem a ser o caso. Na verdade, o que queremos apontar é que, sendo uma arma projetada para matar, a pele do Wolverine tecnicamente é mais grossa do que a de uma pessoa normal. Além disso, como se essa primeira barreira não fosse suficiente, ainda temos o crânio de adamantium do personagem. Logo, a ideia da bala ser empurrada sozinha para fora do ferimento é falha, porque, pra começar, ela não deveria sequer ter entrado. No entanto, o verdadeiro fracasso da cena está no fato de terem mostrado a bala sendo expelida, porque o fator de cura não funciona dessa forma. Veja bem, tecnicamente esse poder proporcionaria ao mutante uma rápida reconstrução de seu corpo. Porém, apesar da velocidade, essa regeneração não é inteligente. Logo, ele não seria capaz de expelir objetos estranhos.

Nos quadrinhos, a Marvel Comics chegou a apontar que o fator de cura de Wolverine pode acabar complicando a remoção de balas. Já que as feridas se curam por cima dos projéteis. Portanto, após esses dados, é praticamente impossível enxergar a cena da mesma forma. E então, o que você achou da falha? Já tinha parado pra pensar nisso? Compartilhe sua opinião com a gente.

Próxima Matéria
Via   SR  
Imagens Fox
Letícia Dias
Trabalhando pra falar de super-heróis, filmes e séries em tempo integral | @letdiax
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+