• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Como era a vida das mulheres de Esparta?

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      08/07/19 às 18h42

Esparta era uma antiga cidade-Estado grega, que ficou conhecida na História como uma das civilizações mais poderosas e guerreiras do mundo. Situada às margens do rio Eurotas, em Laconia, no sudeste do Peloponeso, Esparta ficou conhecida por sua cultura militarista. A cidade-Estado foi uma potência militar dominante na Grécia clássica.

O que a tornou tão especial na Grécia clássica foram suas instituições políticas, suas sociedades únicas, e claro, a atuação de suas mulheres. Infelizmente, os espartanos não deixaram muitas informações escritas ou vestígios sobre Esparta. Mesmo assim, essa civilização não deixa de fascinar as pessoas por sua organização, disciplina e costumes.

Todos sabemos que a educação dos espartanos era voltada para guerra e para a formação de bons soldados e cidadãos leais. Esparta privilegiava a formação física e militar sob o desenvolvimento do espírito e do intelecto.

A cidade também tinham costumes bastante diferentes dos que eram habituais para a época. Um deles era com relação ao papel da mulher na sociedade. O lugar das espartanas pouco se parecia com o que era disponibilizado para qualquer outra mulher de uma cidade-Estado grega.

Diferente dos homens, que eram treinados para as batalhas, as mulheres espartanas recebiam uma educação dada pelo Estado. Desde pequenas, elas aprendiam a ler, escrever, tocar música e dançar. Além de, claro, também receberem treinamento físico, praticarem esportes e participarem de competições.

Educação

O físico e a força sempre foram os grandes pilares de Esparta. E com as mulheres, isso não era diferente. Elas recebiam treinamento para que elas ficassem mais resistentes e flexíveis para a hora do parto.

Outro ponto interessante com relação as mulheres de Esparta é que elas tinham o direito de ter bens e de os administrar. Elas chegaram até mesmo a controlar dois quintos das terras espartanas.

O casamento em Esparta também era visto de uma forma diferente. As espartanas se casavam mais tarde do que o restante das mulheres da época. Elas se casavam quando estavam entre os 18 e 20 anos.

Mas os comportamentos, que eram esperados delas, também mudavam depois do casamento. Antes de se casarem, as mulheres espartanas podiam ter cabelos longos e andar com túnicas relativamente curtas para mostrarem seus músculos. Depois que se casavam, os cabelos delas eram cortados para a noite de núpcias. Depois disso, inclusive, elas tinham que andar com a cabeça coberta.

Vida

Esse costume pode parecer meio severo, mas as espartanas tinham o direito de se divorciarem. E caso o fizessem, elas não perderiam suas riquezas e nem os seus direitos com seus filhos.

Um dos grandes fatores para as mulheres de Esparta terem direitos, e uma vida tão diferente das outras de sua época, era o fato de que os homens estavam focados no exército. E por essa razão, cabia as mulheres ficarem responsáveis pela agricultura, logística, economia e manutenção do lar.

A função mais importante para as mulheres espartanas, assim como o exército era para os homens, era a procriação. As mulheres de Esparta tinham a tarefa de darem à luz a guerreiros fortes e corajosos r que poderiam dar a vida por Esparta. E mesmo que a mulher morresse na hora do parto, ela era considerada uma heroína porque tinha cumprido o seu papel para com sua cidade-Estado.

Próxima Matéria
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+