• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Como essa cidade sueca usa cocô de galinha para conter a disseminação do novo coronavírus?

POR Erik Ely    EM Curiosidades      10/05/20 às 01h24

Recentemente, a cidade sueca de Lund usou cocô de galinha para conter a disseminação do novo coronavírus. Dessa forma, a prefeitura da cidade espalhou o cocô de galinha nos gramados de seu principal parque, afastando pessoas que podiam sair de casa e assim, furar a quarentena.

Em outros tempos, Lund atrairia dezenas de milhares de visitantes em sua festa anual de Santa Valburga. Essa é uma festa tradicional de países escandinavos e um dos pontos altos do turismo na cidade. No entanto, por conta das medidas de isolamento social, nada disso foi possível esse ano.

Uma tentativa de evitar aglomerações no centro da cidade

Ao invés de realizar uma grande festa, como de costume, a cidade de Lund preferiu evitar evitar festividades por conta da quarentena. "Lund pode muito bem virar um epicentro de avanço do coronavírus", afirmou Gustav Lundblad, presidente do comitê ambiental local, ainda no mês de abril. Desse modo, com as fezes de galinha nos gramados, "temos a chance de fertilizar a grama e ao mesmo tempo deixá-la fedida, de modo que não seja agradável sentar-se ali para tomar uma cerveja", completou.

Até o momento, a Suécia tem tido uma abordagem um tanto quanto incomum, e também polêmica, na forma como vem enfrentando a pandemia. Seguindo um caminho contrário de grande parte da Europa e do mundo, o país não impôs uma quarenta "severa". Dessa forma, manteve a maioria das escolas, bares, restaurantes e comércios abertos. Com isso, apenas pediu que as pessoas evitassem aglomerações e mantivessem o distanciamento social.

Com 10,2 milhões de habitantes, a Suécia já possui 24.623 casos confirmados e 3.040 mortes pela Covid-19. Para se ter uma ideia, esse número é bem maior do que seus vizinhos nórdicos. Na Dinamarca, por exemplo, com população de 5,8 milhões, foram registrados 6.700 casos e 299 mortes por Covid-19. Contudo, o país ficou conhecido por adotar medidas muito mais rígidas do que de outros países. Sendo assim, a Dinamarca, em apenas um mês, começa a reabrir escolas e a "afrouxar" o confinamento.

Medidas menos rígidas, mas que serão sustentadas por mais tempo

Com números tão altos, o país recebeu fortes críticas de diversos cientistas e, inclusive, da própria OMS (Organização Mundial da Saúde). Dessa forma, as críticas cobravam uma quarentena mais rigorosa e afirmavam que o governo estava colocando a vida dos cidadãos em risco. Entretanto, apesar da ausência de medidas duras, o país não vivenciou o colapso sofrido por outros países europeus, como Itália ou Espanha, por exemplo.

Segundo Stefan Lofven, premiê sueco, o método serviu para o país. "Tenho confiança na estratégia", afirmou Lofven. "Uma razão pela qual escolhemos essa estratégia é que temos apoiado as agências [de combate à pandemia]. Além disso, as medidas são sustentáveis ao longo do tempo", completou. A agência Reuters também destacou que população sueca é bastante espalhada por seu território. Dessa forma, mais da metade das residência são ocupadas por apenas um morador. Assim, esse é o país com maior número com apenas uma pessoa em casa em toda a União Europeia. E, por fim, uma das justificativas foi que o país também possui um dos mais altos índices de confiança da população em seu governo.

Próxima Matéria
Via   G1     BBC Brasil     UOL  
Erik Ely
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+