• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Como funciona o reator arc do Homem de Ferro?

POR Cristyele Oliveira    EM Curiosidades      16/10/19 às 15h26

Todo mundo, que já assistiu aos filmes do Universo Cinematográfico da Marvel, sabe onde tudo começou, certo? Com o Homem de Ferro. Os filmes do personagem forneceram as bases para os demais filmes da franquia. Do mesmo modo que trouxe, entre muitas coisas, uma das invenções mais futurísticas que nós, seres humanos, poderíamos pensar. Começando, é claro, pela armadura de ferro e pela tecnologia JARVIS. Mas, mais do que isso, o filme nos apresentou uma tecnologia, até então fictícia, mas que tem potencial para realmente moldar o futuro da energia. Sim, estamos falando do reator arc do Homem de Ferro.

Como todos os fãs do herói sabem, o reator arc é uma fonte de energia ilimitada que sustenta a vida de Tony Stark, além de ser a fonte de energia da armadura do Homem de Ferro. Muitos devem se perguntar como ele funciona. Mas por se tratar de um dispositivo ficcional, precisaremos unir a ciência real com uma ciência de ficção, para chegar a um entendimento melhor sobre o funcionamento desse dispositivo tão interessante. Confira a seguir, como funciona o reator arc do Homem de Ferro.

Reator arc

Para começar, é preciso entender que o reator arc é nada mais, nada mesmo do que um reator de fusão. E como se sabe, a fusão envolve uma reação entre dois núcleos mais leve para formar um único núcleo mais pesado.

Na parte circular do reator do nosso herói, existem partículas altamente energizadas que se movem em uma rota circular. Isso só é possível graças ao campo magnético que atua sobre elas. Assim, através de colisões, o reator gera energia. Bem como o Grande Colisor de Hádrons funciona na vida real.

Como mostrado nos filmes, o reator arc possui um núcleo de paládio e emite uma luz azul-branca. Os isótopos de paládio possuem propriedades nucleares distintas, assim, ele poderia ser autossustentável. Além do que, o paládio também é responsável pela fusão nuclear a frio. Isso, graças a sua capacidade única de absorver hidrogênio, como descoberto pelo químico escocês, Thomas Graham.

Dessa forma, o reator arc é capaz de funcionar até em temperaturas mais baixas, sem causar nenhum dano ao corpo humano. Sem contar que consegue produzir eletricidade através de uma quantidade mínima de calor, o que o torna ainda mais eficiente.

Funcionamento

Dessa forma, a operação do reator arc é inicializada por meio da ionização do paládio através de um arco elétrico. Assim, enquanto a radiação por raios gama é gerada e acoplada às colisões de partículas no interior do núcleo, ela produz uma enorme diferença no mesmo. Isso faz com que a corrente de energia flua por todo o reator.

Porém, nem tudo são flores, e o paládio também tem suas desvantagens. A começar pela sua toxidade e sua deterioração no ródio através da captura de elétrons. Mesmo recebendo uma dosagem segura pela Administração de Segurança e Saúde Ocupacional, a toxicidade não é completamente compreendia.

Em certo ponto nos filmes do herói, Tony passa a usar um núcleo Tesseract como fonte de energia mais limpa. E assim, consegue manter o reator arc em funcionamento sem ser afetado pela toxicidade do paládio.

Tendo isso em vista, o MIT está realizando suas próprias pesquisas sobre a produção de energia por meio de reatores de fusão. Quem sabe, no futuro, não exista mesmo um reator arc na vida real?

E você, tinha curiosidade para saber como funcionava o reator arc do Homem de Ferro? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com os seus amigos.

Próxima Matéria
Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+