• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Como Lil Peep morreu?

POR Diogo Quiareli    EM Último Dia      23/10/19 às 12h07

Algumas pessoas tinham tudo para terem uma carreira longa e gloriosa. Kurt Cobain, River Phoenix, Amy Winehouse e Jim Morrison. Esses são alguns exemplos de pessoas que morreram cedo. Assim como eles, o rapper Lil Peep também tinha um futuro promissor. No entanto, o uso abusivo de drogas acabou tirando a vida do talentoso cantor americano. Hoje, como de costume, contaremos como foi o a morte dessa grande celebridade que foi Lil.

Se você o conhece, de forma superficial, deve ter se perguntado, pelo menos uma vez, como Lil morreu. Como será que foram seus últimos dias, afinal, ele tinha uma vida um tanto conturbada. Além de explicar isso, vamos mostrar um pouco mais de sua vida e carreira profissional. Confira conosco a seguir.

Lil Peep

Nascido como Gustav Elijah Åhr, Lil Peep veio ao mundo no dia 1 de novembro de 1996, na Pensilvânia. Ele foi criado em Long Island, Nova York. Um fato curioso da vida de Lil Peep é que seus pais eram graduados em Harvard, o que sempre serviu de exemplo para que ele fosse uma pessoa com um futuro acadêmico brilhante. Mas não foi exatamente isso que aconteceu.

Quando Lil Peep era adolescente, seus pais acabaram se divorciando. A partir disto, Lil Peep passou a ter pouco contato com o pai. A mãe de Lil é uma professora de escola primária e seu pai um professor universitário. Lil Peep cursou a Long Beach High School, em Lido Beach, Nova York, a qual ele raramente frequentava apesar das boas notas. Quando criança, Peep se destacava nos esportes, mas o que ele realmente gostava era de videogames e skate. Com apenas 15 anos de idade, Peep tinha feito sua primeira tatuagem, mostrando seus primeiros traços de garoto rebelde.

Lil então resolveu abandonar o ensino médio e fazer cursos on-line para conseguir obter de vez o seu diploma. Ele até chegou a se formar, mas pouco tempo depois, o interesse pela música falou mais forte. Suas influências eram bandas como Blink-182, Future, Red Hot Chili Peppers e My Chemical Romance. Com apenas 16 anos, Peep tinha desenvolvido ansiedade, algo que o fazia ter uma série de vômitos na parte da manhã. Sua mãe sabia dos seus problemas e tentava convencê-lo a consultar um psicólogo, mas ele preferia se automedicar, principalmente com maconha e um remédio chamado Xanax, um fármaco utilizado em distúrbios da ansiedade e em crises de agorafobia.

Adolescência e rebeldia

Com 17 anos de idade, ele fez a primeira tatuagem no rosto. Era um coração partido. Peep já mostrava quem ele realmente era. Nessa idade, sua mãe sabia que ele era um adolescente tatuado, que fumava maconha, amava punk rock e hip-hop e odiava ir à escola. Mas ela não sabia do envolvimento do filho com o famoso Xanax.

Depois de conseguir o diploma por ensino à distância, Lil Peep resolveu ir morar em Los Angeles com um amigo para tentar conseguir algo na carreira musical, mas logo ele voltou para Long Island. Foi então que, usando um MacBook equipado com um software chamado GarageBand e um microfone, Lil Peep começou a fazer suas próprias músicas. Ele estava empolgado com a ideia de postar músicas no SoundCloud, e poder ganhar dinheiro fazendo o que gostava.

Em 2015, ele então lançou sua primeira mixtape no mês de setembro, intitulada como Lil Peep Parte One. A mixtape alcançou cerca de quatro mil exibições na primeira semana. Pouco tempo depois, ele lançou seu primeiro EP Feelz e outra mixtape, Live Forever. Nessa época, ele se tornou amigo de Lil Tracy, Fish Narc e Coldhart, todos membros do coletivo emo-rap GothBoiClique, conhecido como "GBC". Peep era fã do grupo e ficou muito feliz quando os integrantes o convidaram para fazer parte do grupo.

Contato com grandes nomes

No verão de 2016, Lil Peep conheceu Sarah Stennett, a Ceo da Fiirst Access Entertainment, uma empresa de entretenimento. Só para vocês terem uma ideia, essa empresa ajudou a lançar as carreiras de Iggy Azalea e Ellie Goulding. Sarah ficou encantada com Peep, dizendo que ele era muito bonito e que seu visual era impressionante. No encontro de Sarah Stennett e Lil Peep, ela perguntou a ele qual era sua relação com as drogas, já que elas estavam presentes em quase todas as letras de suas músicas. Peep respondeu a ela que "gostava de fumar maconha e tomar Xanax". Sarah disse a ele que não apoiava o uso dessas drogas e que era difícil alcançar o sucesso sendo um usuário de drogas.

Depois disso, Peep conheceu um cara chamado Chase Ortega, um ex-músico punk que possui uma empresa de mercadorias chamada Hyv. Lil Peep contratou Ortega para administrar seu merchandising, mas logo ele se tornou o empresário de Peep. Várias gravadoras estavam interessadas em Peep, mas Ortega indicou que ele gravasse com a First Access.

O contrato foi assinado e a First Access pagou um adiantamento de 35 mil dólares para Peep, dedicou 300 mil dólares para gravações, suporte a turnês, marketing e desenvolvimento de marcas e lhe deu uma bolsa de 6 mil dólares por mês. Em troca, ele teria uma ligação com a empresa por cerca de três anos. Quando ele fez isso, Sarah afirmou que ele estava definitivamente assumindo que não fazia mais parte do GothBoiClique.

O sucesso

Com isso, Peep alugou sua própria casa em Los Angeles, onde as drogas podiam ser encontradas frequentemente. Mas, foi em 2016, que Lil Peep lançou os dois mixtapes que alavancaram a sua carreira: Crybaby em junho e Hellboy, em setembro. A partir disso, suas músicas começaram a bombar. No início de 2017, Peep lançou sua primeira turnê, fazendo shows na Rússia e em países da Europa e América do Norte. Os fãs deliravam com o rapper que tinha começado a fazer sucesso. Em seus shows, os fãs jogavam sacos de Xanax, cocaína e outras drogas no palco enquanto ele se apresentava.

Outros fãs gostavam de conversar com Peep para desabafar sobre seus traumas, coisa que ele gostava de fazer em suas músicas. Quando tudo isso começou, Peep ficou lisonjeado com a consideração do público. Mas, no último show dessa turnê, no dia 10 de maio, em Los Angeles, Peep chegou muito drogado. O show quase foi cancelado, mas Lil Peep conseguiu cantar as músicas, mesmo com muita dificuldade. A partir desse cenário, Sarah e Ortega tentavam aconselhar Peep a procurar um tratamento. Eles também o aconselharam a sair de Los Angeles. Por um tempo, Peep chegou a morar em Londres, onde usava bem menos drogas e parecia estar com a cabeça no lugar.

Peep gravou Come Over When You're Sober Parte 1, Come Over When You're Sober, Parte 2, um EP intitulado Goth Angel Sinner e um projeto sem título com o rapper iLoveMakonnen.]

Crescimento da turnê

Depois do sucesso, a turnê de Lil Peep trocou as vans por um ônibus. O ônibus de turnê da Peep já havia atravessado a América do Norte duas vezes em seis semanas, e o show de Tucson seria a penúltima parada da turnê. O ônibus de Peep parou no Rock, um local com capacidade para 600 pessoas na orla do centro de Tucson. Por volta das três e meia da tarde, Lil Peep encontrou Nick Dowd e Mariah Bons, dois fãs que estavam fora do ônibus. Supostamente, esses dois fãs estavam levando drogas para o ônibus de Peep. Eles começaram a conversar e Peep os convidou para entrar no ônibus. Para Nick Dowd e sua amiga Mariah Bons, os dois estavam realizando um sonho de conhecer o ídolo.

Dentro do ônibus, o ídolo e os fãs estavam em uma mesa de plástico cheia de isqueiros, canetas, papéis, tesouras e pedaços de maconha. Segundo Dowd, no tempo em que ficou dentro do ônibus, ele não viu Peep tomar pílula alguma. Mas depois de um tempo, as coisas começaram a ficar estranhas. Peep começou a cochilar do nada e pediu desculpas pois havia tomado "Roxys" antes de encontrar com eles. Provavelmente, Roxys é uma referência ao opiáceo Oxicodona.

Depois, Peep foi para um sofá e se deitou. Dowd acendeu um baseado, deu a Peep, que fumou e depois pegou no sono. Downd e Bons tentaram acordar o ídolo de todo jeito, mas sem sucesso. Eles então foram para frente do ônibus para conversar com as outras pessoas ali presentes. Eles até disseram que Peep estava desmaiado, mas todos acharam que ele estava dormindo.

A morte

Por volta das cinco e meia da tarde, do dia 15 de novembro de 2017, Lil Peep deitava no sofá do seu ônibus, para nunca mais se levantar. Horas depois, por volta das 20 e 45 da noite, um dos empresários de Peep tentou acordá-lo, para o show daquela noite. Peep estava pálido e seus lábios azuis. Quando os paramédicos chegaram, Peep já não tinha pulso e não respirava. Apesar do esforço para trazê-lo de volta, nada funcionou.

Lil Peep morreu dentro do ônibus, em que fazia suas turnês, devido a uma overdose. Em seu relatório de toxicologia, foram encontradas as seguintes substâncias: Alprazolam, cocaína, fentanil, di-hidrocodeína, hidromorfona, oxicodona, oximorfona, tramadol e cannabis.

Horas antes de morrer, Peep postou um vídeo em seu Instagram afirmando que havia ingerido alguns cogumelos e maconha. Depois, ele afirmou que tinha tomado seis pílulas de Xanax. Após isso, ele postou outro vídeo, onde engoliu uma pílula branca e balançou um frasco cheio de comprimidos. O último post vinha com a seguinte legenda: "Quando eu morrer, você me amará".

Lil Peep morreu poucos dias depois de completar 21 anos. Muitos fazem uma comparação entre Lil Peep e Kurt Cobain, afirmando que Peep era o Cobain dessa nova geração.

Confira conosco essa matéria em formato de vídeo.

Vídeo

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta pra gente aí embaixo, afinal, o seu feedback é de extrema importância para o nosso crescimento.

Próxima Matéria
Diogo Quiareli
Geminiano, 25 anos, goiano.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+