• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Conheça a armadura líquida que funciona como um colete a prova de balas

POR Rafael Miranda    EM Ciência e Tecnologia      12/04/15 às 16h25

Uma armadura líquida conseguiu deter balas em testes realizados pelos cientistas da empresa BAE Systems, na cidade inglesa de Bristol. O novo material mistura um líquido com a fibra sintética Kevlar, da empresa DuPont, que já é usada em vestimentas à prova de bala. Os pesquisadores estão mantendo os componentes do líquido em sigilo, mas disseram que o material absorve a força do tiro e responde a ele se tornando mais grosso e mais grudento.

Líquidos desse tipo não são novidade na pesquisa militar e o Exército americano já realizou testes com materiais similares. Mas, segundo a BAE, os recentes testes trazem as primeiras provas de que a armadura líquida poderá proteger soldados de balas ou projéteis. Os cientistas testaram 31 camadas de Kevlar e também 10 camadas de Kevlar combinado com o líquido.

Segundo eles, o líquido fez com que a fibra funcionasse mais rapidamente e que o impacto da bala não fosse tão profundo. O material poderá ser usado para fabricar coletes à prova de balas mais leves, flexíveis e eficientes para soldados.

Como funciona?

18

O principio básico por trás das armaduras corporais não mudou muito nos últimos séculos. Primeiro, a armadura impede que armas e projéteis atinjam o corpo da pessoa. Em segundo lugar, ela espalha a energia da arma, fazendo com que o impacto final cause menor dano. Embora não seja usual em toda e qualquer situação, a armadura pode ajudar a proteger contra ferimentos graves ou morte, especialmente contra armas pesadas.

Com o passar dos anos, as pessoas tiveram que desenvolver armaduras mais fortes para proteção contra armas cada vez mais sofisticadas. Todavia, apesar desses avanços, as armaduras corporais modernas ainda possuem alguns conceitos presentes em armaduras antigas. Quer seja feita de placas de metal ou camadas de tecido, a armadura é quase sempre grande e pesada. Vários tipos são rígidos, por isso não são práticos para serem usadas em braços, pernas e no pescoço. Por esta razão, as armaduras medievais, que eram de placas de metal, possuíam buracos e juntas para que as pessoas pudessem se mover, e as armaduras usadas nos dias de hoje protegem, normalmente, apenas a cabeça e o tronco.

Um dos mais novos tipos de armadura é tanto flexível, quanto leve. De forma impressionante, este aprimoramento surgiu da mistura de um líquido com materiais já usados em armaduras. Enquanto não está totalmente pronto para o uso em combate, os pesquisadores de laboratório afirmam que as armaduras líquidas possuem potencial para ser um bom substituto ou complemento para as armaduras maiores. Eventualmente, soldados, oficiais de polícia e outras pessoas poderão usá-la para proteger suas pernas e braços.

Os dois principais modelos de armadura líquida, ainda em desenvolvimento, usam o Kevlar DuPont Kevlar como base, normalmente usado em coletes à prova de balas. Quando uma bala ou um estilhaço atinge a vestimenta de Kevlar, as camadas do material amortecem o impacto para uma área de superfície maior. A bala também atinge as fibras de Kevlar, gastando energia e diminuindo a velocidade do processo. O conceito é semelhante ao que acontece quando o airbag de um carro absorve o impacto e diminui o movimento do tronco de uma pessoa durante uma colisão.

Embora o Kevlar seja um tecido, a armadura de Kevlar não se move ou dobra da mesma forma que as roupas normais fazem. São necessárias 20 a 40 camadas de Kevlar para parar uma bala, e esta quantidade de camadas é relativamente dura. Também é pesada - uma roupa feita de Kevlar pesa sozinha mais de 4,5Kg, mesmo sem os reforços de cerâmica para proteção adicional.

 

 

Próxima Matéria
Rafael Miranda
Criando forças para segurar o forninho de cada dia. Instagram: @rafaelmiranda17
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+