icone menu logo logo-fatos-curiosos.png


Conheça a história do garoto de 17 anos que foi acusado de hackear o Twitter

POR Erik Ely    EM Curiosidades      21/08/20 às 22h00
capa do post Conheça a história do garoto de 17 anos que foi acusado de hackear o Twitter

Recentemente, a internet foi à loucura quando uma série de personalidades tiveram suas contas do Twitter invadidas por um hacker. Durante o ocorrido, as contas publicaram mensagens solicitando doações em bitcoin. No entanto, ao contrário do que se esperava, o golpe não foi feito grupos organizados ou agentes maliciosos de elite. Ao invés disso, tudo foi feito por Graham Ivan Clark, um garoto de 17 anos que foi acusado de hackear o Twitter.

Entre as contas invadidas, estão as de Kim Kardashian, Joe Biden, Barack Obama, Bill Gates e Elon Musk. Porém, o ataque as contas das redes sociais não foi muito longe. Depois do hackeamento das contas, Graham foi preso e, com isso, muitas pessoas começaram a se perguntar: como alguém tão novo conseguiu penetrar defesas em uma empresa de tecnologia tão sofisticada?

Contas como a de Barack Obama e Kim Kardashian foram invadidas

Para responder, como alguém tão jovem poderia realizar grandes ataques enquanto hackers, podemos dar uma rápida olhada na trajetória de Graham. Já aos 10 anos de idade, o rapaz aplicava pequenos golpes em pessoas comuns. Depois disso, aos 15, ele entrou em um fórum de hackers online. Assim, não demorou muito para, aos 16, se envolver no mundo das Bitcoin. Com isso, ele se envolveu em roubos de quantia gigantescas.

Por conta da invasão a rede social, a polícia norte-americana o prendeu na cidade de Tampa, na Flórida. De acordo com os promotores do caso, Graham, que possui 17 anos, foi o grande "mentor" do ataque. Além disso, outras duas pessoas trabalhavam juntamente com ele. Ainda segundo a investigação, o garoto seria responsável por outros 30 crimes virtuais.

Para além do mundo virtual, na vida real, Graham morava com sua mãe, Emiliya Clark, e com sua irmã. Segundo James Xio, que era uma pessoa próxima do jovem, ele usava bastante a internet. No entanto, o grande problema estava nas mudanças emocionais extremas e no fato de que, ele frenquentemente perdia o controle e saía do normal. "Ele ficava bravo, louco. Tinha uma paciência muito frágil", afirma Xio.

Ele possuía um canal de Minecraft no YouTube

No ano de 2016, Graham obteve milhares de seguidores em seu canal no YouTube, em que jogava uma versão violenta de Minecraft chamada "Hardcore Factions". Assim, ele era conhecido como "Open" ou "OpenHCF". Ainda nessa época, Graham ganhou muito dinheiro vendendo nomes de usuário e depois dando um golpe, em que não fornecia sua parte da negociação. Nos vídeos de seu canal, Graham costumava usar palavrões e termos racistas e sexistas. Contudo, de acordo com Abishek Patel, de 19 anos, que jogava Minecraft com Graham, no fundo, ele era uma boa pessoa. "Ele tem um bom coração e sempre cuida das pessoas com quem se importa", afirma Patel.

Fora do universo das gameplays, Graham chegou a entrar no fórum online OGUsers, que concentrar hackers. Porém, posteriormente Graham foi banido do grupo por ter deixado de pagar bitcoins a outro usuário. Depois disso, em 2019, Graham chamou a atenção por hackear o telefone de Gregg Bennett, um investidor de tecnologia da região de Seattle. Em poucos minutos, ele roubou 164 bitcoins. Na época, a quantia valia US$ 856 mil e hoje, já chegam a US$ 1,8 milhão.


Próxima Matéria
Via   CanalTech  
Imagens CanalTech
avatar Erik Ely
Erik Ely
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest