icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


Conheça o professor queniano considerado o ''melhor professor do mundo''

POR Cristyele Oliveira EM Compartilhando coisa boa 26/03/19 às 14h29

capa do post Conheça o professor queniano considerado o

O que faz um bom professor? Ensinar com qualidade os conteúdos da grade escolar? E o que faz o melhor professor do mundo? Um professor de ciências da zona rural do Quênia, que doa grande parte do seu salário para ajudar os seus alunos mais carentes, foi premiado com o título de melhor professor do mundo.

Peter Tabichi recebeu o prêmio Global Teacher Prize de 2019, entregue pela Fundação Varkey, uma organização de caridade dedicada à melhoria da educação para crianças carentes. A premiação foi anunciada em uma cerimônia em Dubai, onde foi reconhecido o compromisso excepcional do professor com os alunos de uma área remota do Vale do Rift, no Quênia.

O melhor professor do mundo

Peter Tabichi é o professor de ciências na Escola Secundária Keriko Mixed Day, no vilarejo de Pwani. Com as condições precárias dos alunos, o professor doa 80% do seu salário para ajudar nos estudos dos alunos. Se não fosse pela contribuição de Peter, algumas crianças não poderiam continuar frequentando a escola, já que não poderiam arcar com as despesas de uniforme e material escolar.

O professor queniano foi muito elogiado por suas realizações em uma escola sem infraestrutura, em meio à classes lotadas e material didático escasso. Ao ser eleito o melhor professor do mundo, ele recebeu um prêmio de US$ 1 milhão (R$ 3,9 milhões).

Para o professor, "nem tudo é sobre dinheiro", seu objetivo é que os estudantes tenham grandes ambições para promover a ciência, não só no Quênia, mas em toda a África.

Mas para alcançar o seu objetivo, ele enfrenta muitos desafios com as instalações precárias da escola, e a falta de livros e professores. "A escola fica em uma área muito retoma. A maioria dos estudantes vêm de famílias muito pobres. Até pagar o café da manhã é difícil. Eles não conseguem se concentrar, porque não se alimentaram o suficiente em casa", contou em entrevista publicada no site do prêmio.

Ele acaba lecionando para 70 ou 80 alunos, enquanto as classes deveriam ter entre 35 a 40 estudantes. A superlotação das salas acaba sendo também um problema, o que dificulta o aprendizado. A falta de internet faz com que ele improvise para conseguir baixar os materiais para usar nas aulas de ciências. Mesmo com todas as dificuldades, Peter diz estar determinado a dar aos seus alunos uma chance de aprender sobre ciência e ampliar os seus horizontes.

E o seu esforço e dedicação têm mostrando resultados, e os seus alunos tiveram um ótimo desempenho em competições científicas nacionais e internacionais, como um prêmio da Sociedade Real de Química do Reino Unido.

Além das salas de aula

E o trabalho com a sua comunidade não se limita somente às salas de aula, Peter ainda participa de um programa de conscientização da população sobre o valor da educação. Ele visita famílias cujos os filhos podem abandonar a escola, e também os pais das meninas que esperam que suas filhas se casem cedo, em uma tentativa de convencê-los as deixaram os jovens continuarem seus estudos.

Além disso, o professor ainda ensina técnicas de cultivo aos moradores da vila, que lutam contra a realidade da fome. "Insegurança alimentar é um grande problema, então ensinar novos jeitos de plantar é uma questão de vida ou morte", disse em entrevista à Fundação Varkey.

O prêmio

O prêmio recebido por Peter busca elevar o status da profissão de professor no mundo. No ano passando, o título foi entregue a uma professora de arte do norte de Londres, Andria Zafirakou.

Este ano, estavam concorrendo dez mil professores de 179 países, entre eles, a professora brasileira Debora Garofalo, que leciona matérias de tecnologia em uma área carente de São Paulo.

Sunny Varkey é o idealizador da premiação, e disse esperar que a história de Peter sirva de inspiração para outros professores. "As milhares de indicações e inscrições que recebemos de todos os cantos do planeta são testemunho das conquistas dos professores e do enorme impacto que eles têm em as nossas vidas", enfatizou.


Próxima Matéria
Via   G1  
avatar Cristyele Oliveira
Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest