icone menu logo logo-fatos-curiosos.png


De acordo com uma pesquisa de Harvard, esse é o método para ser um 'mestre da enrolação'

POR PH Mota    EM Entretenimento      05/07/17 às 19h17
capa do post De acordo com uma pesquisa de Harvard, esse é o método para ser um

Boas notícias para quem não gosta de se envolver muito com as outras pessoas e quer uma dica para enrolar todo tipo de conversa. Agora existe um método científico para te ajudar entrar nas batalhas que são as conversas casuais de festas ou momentos tensos em que você fica na companhia de uma pessoa que pouco conhece.

A dica é bem simples: sustente o diálogo com a outra pessoa fazendo perguntas. Faça muitas perguntas e continue seguindo com novas perguntas assim que o assunto for avançando.

Talvez você já tenha ouvido o conselho antes, mas agora a teoria foi confirmada em uma pesquisa da estudante de doutorado Karen Huang, da Escola de Administração de Harvard. A equipe da pesquisadora analisou mais de 300 conversas online e presenciais entre estranhos para entender melhor como lidamos com conversas casuais.

Aproveite para ler as 8 leis da vida de uma pessoa introvertida.

No primeiro estudo, que envolvia a parte online da pesquisa, participantes entraram em conversas com estranhos por 15 minutos. Cada pessoa foi instruída a perguntar várias (um mínimo de nove) ou poucas questões (um máximo de quatro).

Para nenhuma surpresa da equipe, os participantes gostavam muito mais de conversar com as pessoas que faziam mais perguntas. Depois que os diálogos acabavam, os envolvidos revelavam o quanto haviam gostado dos parceiros de conversa num relatório. A conclusão foi que as pessoas que perguntava mais questões, especialmente aquelas que davam continuidade ao assunto, foram consideradas mais agradáveis.

"Quando as pessoas foram instruídas a fazer mais perguntas", Huang escreveu no estudo, "elas foram percebidas por maior capacidade de resposta, melhor construção interpessoal, compreensão e preocupação."

Já na segunda parte do estudo, os participantes também deveria conversar por 15 minutos, mas os diálogos eram feitos pela internet e não havia nenhuma instrução específica sobre a quantidade de questões. Além dos relatórios comuns, uma terceira pessoa foi convidada para ler uma transcrição das conversas e declarar as opiniões sobre as pessoas que estavam conversando.

Os leitores apresentaram uma tendência de classificar pessoas que respondiam questões como mais agradáveis. "Nós suspeitamos que isso aconteceu porque as pessoas que responderam a muitas perguntas acabaram revelando mais informações sobre seus pensamentos, ideias e perspectivas", explicou Huang. "Elas pareciam mais interessantes e completas."

Assim, o objetivo das conversas casuais, de acordo com a pesquisara, é estabelecer um equilíbrio entre revelar um pouco sobre si e apresentar interesse sobre o outro a partir de perguntas. Apesar disso, as perguntas não devem criar um clima de tensão como um interrogatório ou uma entrevista de emprego. Elas devem parecer casuais e envolver a continuidade do assunto em questão.

Conheça mais 8 truques psicológicos que vão te fazer a pessoa mais encantadora do mundo.

Fazer perguntas em moderação também pode ser bom para os seus flertes e encontros. Os pesquisadores encontraram dados de uma pesquisa previamente publicada que mostrava informações sobre 110 que participaram de um evento de encontros rápidos. Com a análise do número de questões feitas por cada um dos participantes, eles perceberam que os que fizeram mais perguntas tinham mais chance de conseguir uma segunda chance num encontro mais longo.

Então, se você está buscando uma técnica para garantir o sucesso de suas conversas casuais, comece fazendo perguntas e tenha certeza que vai ter mais uma ou duas na manga para continuar o assunto.


Próxima Matéria
Via   Thrillist     HuffPost  
Imagens RD QuietRev Slate
avatar PH Mota
PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.
As categorias Terror, Sobrenatural, CreppyPasta e entretenimento têm como único objetivo de entreter. Não devem ser utilizadas como fontes de artigos científicos ou trabalhos escolares.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest