• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Descoberta inovadora revelou o primeiro dinossauro nadador

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      30/04/20 às 15h22

Dinossauros são um grupo de diversos animais membros do clado dinosauria. As suposições são de que eles apareceram na Terra há, pelo menos, 223 milhões de anos e foram os dominantes do planeta por mais de 167 milhões de anos em toda a era dos dinossauros.

Todos temos o conceito de dinossauro bem fixo na cabeça, seja por programas infantis como ou pelos filmes de ficção científica. O fascínio por essas criaturas e a vontade de vê-las vivas não diminuíram com o passar do tempo. Por isso, buscas e pesquisas sempre são feitas.

E novas descobertas sobre esses animais que andavam por nosso planeta são feitas. Como a dessa espécie de dinossauro que é uma das maiores e mais enigmáticas. E uma única cauda pode ter resolvido esse mistério, esclarecendo se eles realmente sabiam nadar.

Descoberta

A cauda gigante que foi descoberta pertence ao terópode Spinosaurus aegyptiacus e dá a entender que esses grandes predadores eram animais  aquáticos. E eles usavam a locomoção pela cauda para nadar e caçar nos rios, há milhões de anos.

"Essa descoberta realmente abre nossos olhos para todo esse novo mundo de possibilidades para dinossauros. Ele não se resume apenas a uma narrativa existente. Ele inicia uma narrativa totalmente nova e muda drasticamente as coisas em termos do que sabemos que os dinossauros poderiam realmente fazer", disse o paleontólogo Nizar Ibrahim, da Universidade de Detroit Mercy.

Em séculos passados, os cientistas especularam os dinossauros terrestres poderiam ter também entrado em ambientes aquáticos. Mas nas últimas décadas, essa ideia foi deixada de lado, quando a maioria dos pesquisadores dizia que os dinossauros que não eram aviários se limitavam ao ambiente terrestre.

Mas os espinossauros vieram para mudar essa visão. Isso porque alguns ossos antigos sugerem algumas possíveis evidências de adaptações semi aquáticas. Em algumas pesquisas anteriores, Ibrahim e sua equipe consideraram esse caso. Mas outros pesquisadores não tinham tanta certeza disso.

Nadadores

Mas agora, ele afirma que essa é a primeira "evidência inequívoca de uma estrutura propulsora aquática em um dinossauro". E a evidência é a cauda gigante que se parece com uma barbatana. Ela foi descoberta nos depósitos de rochas do Cretáceo do deserto do Saara, no leste de Marrocos.

A cauda é datada de entre 90 a 100 milhões de anos. E essa descoberta mostra a aparência do epinossauro e amplia a perspectiva sobre o único esqueleto existente da espécie no mundo.

"Este dinossauro tem uma cauda com uma forma inesperada e única que consiste em espinhos neurais extremamente altos e divisas alongadas, que formam um órgão grande e flexível, semelhante a uma barbatana, capaz de extensa excursão lateral", escreveram os pesquisadores em seu artigo.

Os pesquisadores estudaram a quantidade de impulso que a cauda podeira dar ao dinossauro quando ele nadava. E chegaram a conclusão que o desempenho era parecido com o dos  vertebrados aquáticos vivos que tem apêndices semelhantes.

O que quer dizer que o espinossauro é a melhor evidência de que os dinossauro, ou pelo menos essa espécie, podem ter sim nadado.

"Essa descoberta é o prego no caixão da ideia de que dinossauros não aviários nunca invadiram o reino aquático. Esse dinossauro estava perseguindo ativamente presas na coluna d'água. E não apenas permanecendo em águas rasas esperando que os peixes nadassem. Provavelmente passou a maior parte de sua vida na água", conclui Ibrahim.

Próxima Matéria
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+