icone menu


Ele se tornou aluno da universidade que construiu

POR Jesus Galvão    EM Compartilhando coisa boa      10/10/19 às 15h28
capa do post Ele se tornou aluno da universidade que construiu

Em 2009, foi primeira vez que Elcimar Moreira da Silva, aos 22 anos, pisou na Universidade Federal Fluminense (UFF). Mas, o rapaz, na época, não foi até lá para estudar. Na verdade, a razão de sua ida até a universidade era de auxiliar seu pai a bater uma laje e ajudá-lo a concluir a expansão da unidade, localizada em Santo Antônio de Pádua, no Rio de Janeiro. Na obra, também trabalhava um dos irmãos de Elcimar e seu tio.

Devido ao trabalho árduo realizado no lugar e ao forte calor que fazia, Elcimar chegou a passar mal. "Quando cheguei, vi aquela obra enorme! Aquele monte de areia. Era muita areia, uma montanha. Fiquei impressionado. Já havia ido a outras obras com meu pai, mas nunca tinha visto uma daquela proporção", disse ele ao portal UOL Educação.

No entanto, ele precisava entregar o serviço e durante dois dias o rapaz bateu pedra e carregou carrinhos cheios de brita e areia. De acordo com ele, as diárias de seu trabalho na época lhe renderam entre R$ 30 e R$ 40. Todo o dinheiro ganho por Elcimar acabou servindo para ajudar com as despesas em sua casa.

Durante o período em que trabalhou na UFF, Elcimar sequer imaginava que um dia, cerca de 10 anos depois, retornaria para lá como aluno da instituição. Atualmente, Elcimar é aluno do curso de Física da faculdade que ele ajudou a construir. Esse momento representa para ele um grande sonho se tornando realidade. "Meu sonho sempre foi fazer Física. Eu queria muito ingressar na universidade, mas achava que não ia conseguir o que eu queria, que era Física. Até pensei em Matemática", contou ele.

Um grande sonho

"Quando pisei na UFF pela primeira vez como aluno, eu pensei: 'Cara, nem parece que foi esse lugar em que eu bati a laje'. Era um sentimento de orgulho muito grande", disse Elcimar. "(...) Minha vontade era de falar para todo o mundo: 'Sabe esse chão que a gente está pisando aqui? Eu que ajudei a construir'."

Elcimar, que se encontra desempregado, se desloca todos os dias de sua casa, no município de Miracema, para o campus da UFF, em Santo Antônio de Pádua, que fica a cerca de 14 km de distância. Na universidade, entre as muitas disciplinas de seu curso, incluindo diversos tipos de cálculos matemáticos complexos, o estudante aprende a relação entre matéria e energia, além de muitas outras coisas que configuram a complexa imensidão do Universo.

Para entrar na UFF, depois que concluiu o ensino médio, Elcimar fez o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). Com a nota que tirou ele conseguiu ingressar na universidade. "Eu tenho uma filha de seis anos e tinha que trabalhar. Achei que não ia dar certo, pois alegria de pobre dura pouco. Mas eu passei no vestibular de Física em 2018, passei pelo processo seletivo e meu nome foi um dos escolhidos", contou. "Eu não consigo nem explicar direito o sentimento, a felicidade que foi ter aquela certeza de que eu estava na universidade".

E ele não pretender parar por aí. De acordo com o estudante, depois de concluir seu curso de graduação ele pretende fazer uma pós-graduação. Dessa forma, ele terá uma melhor preparação para seguir ensinando física as pessoas.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.


Ei Fatos, não deixe de conferir:

A câmera das meninas desaparecidas revela fotos arrepiantes e sem explicação

Próxima Matéria
Via   Uol Educação  
avatar Jesus Galvão
Jesus Galvão
Goiano, Canceriano e Publicitário.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.

Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+