icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


Em nome da ciência, dupla de cientistas topou um baita desafio calórico

POR A redação EM Ciência e Tecnologia 15/09/15 às 17h42

capa do post Em nome da ciência, dupla de cientistas topou um baita  desafio calórico

Quer sonho mais lindo do que poder comer aquelas coisas maravilhosas que todo mundo ama, por ininterruptamente 7 dias? Seria uma semana dos deuses! Bem, digamos que, melhor seria se isso tudo não virasse uma vasta camada de gordura, no formato de capa, para o seu abdômen, não é?

Pensa só que mamata? Ficar o dia todo, comendo aquele burgerzão suculento, e aquela pizza onde o queijo se desprende fatia por fatia, assim que vão puxando as porções, até chegar na sua boca? E o melhor de tudo: DEITADO, PROSTRADO, JOGADO NA CAMA! Pra que coisa melhor coisa, do que comer e dormir?

É, não é o que dois cientistas norte-americanos acharam nas conclusões de seus testes experimentalísticos nesse cenário. Confira conosco logo abaixo, a explicação:

Em nome da ciência, Guenther Boden e Salim Merali, da Universidade de Temple, no estado norte-americano da Filadélfia, resolveram aceitar o desafio de viverem à base de pizza e hambúrguer por uma semana ininterruptamente.

Os norte-americanos ingeriram ao todo, uma média de 6.000 calorias diárias, em média 2,5 vezes a quantidade estabelecida como normal a ser consumido por cidadãos normais, sem problemas de obesidade e distúrbios alimentares.

Nos resultados obtidos pela experiência, cada um dos dois ganhou 3,5 quilos de gordura, reduziram os percentuais de massa magra em seus organismos, e acabaram adquirindo uma atípica resistência à insulina, um sinal claro de que a diabetes pode ter riscos evidentes para a saúde de pessoas que possuem hábitos alimentares similares aos deles. Pensem só, em apenas 7 dias de testes, ambos multiplicaram em 10, a probabilidade de adquirirem diabetes!

O experimento da dupla de cientistas, sentido na própria pele por eles, serviu de alerta para atrair as atenções e holofotes do mundo inteiro, para problemas como a obesidade. 


Os pesquisadores projetaram o estudo exatamente para saberem mais sobre a resistência à insulina.
"A obesidade é muito comum nos Estados Unidos e no mundo, e está associada com uma série de problemas de saúde conhecidos coletivamente como a síndrome metabólica", escreveram eles.
E você caro leitor? Acha que vale a pena se submeter a um desafio como esse? Toparia ou quá?


Próxima Matéria
avatar A redação
A redação
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest