• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Entenda como suas fotografias podem revelar se você tem depressão

POR PH Mota    EM Ciência e Tecnologia      29/08/16 às 19h06

Depois de tirar a foto ideal e vagar pelos diferentes filtros antes de publicá-lo no Instagram, provavelmente não está pensando o que ele pode dizer sobre sua personalidade ou estado de saúde. Apesar disso, a escolha de um simples filtro de imagem pode acabar tendo muito a dizer em diagnósticos de depressão.

De acordo com um estudo recente de pesquisadores da Universidade de Harvard e Universidade de Vermont, um algoritmo é capaz de analisar álbuns de fotos no Instagram e diagnosticar depressão com uma taxa de acerto de 70%. Por outro lado, os métodos tradicionais de avaliação de clínica tem uma precisão aproximada de 50%.

Estudos anteriores já haviam tentado utilizar atualizações de status em outras redes sociais, como Twitter e Facebook, mas esse foi o primeiro a utilizar imagens. Diferente da frequência de postagens, engajamento e conteúdo, o algoritmo de análise do Instagram relacionam o humor com outro aspecto: as cores das fotografias.

Realização do estudo

1

Para checar à conclusão, os pesquisadores utilizaram fotos de 170 funcionários da Amazon. Cada participante respondeu um questionário de diagnóstico sobre depressão para depois ser dividido em dois grupos. Um deles tinha os funcionários que sofriam com o problema e outro era de funcionários saudáveis, utilizado como grupo de controle.

Em seguida, cada um dos participantes teve 100 fotografias publicadas no Instagram analisadas. Cada uma delas foi classificada de acordo com coloração, saturação e número de rostos identificados nas imagens. Com base nos resultados, foi desenvolvido o algoritmo que estabelece a conexão entre a saúde mental e as imagens da rede social.

Coloração de humor

2

O que os cientistas perceberam é as postagens realizadas por indivíduos depressivos têm uma tendência a carregar tons azulados, escuros ou cinzentos. Em contraste, os participantes não diagnosticados com o transtorno apresentaram cores mais vivas em suas fotografias. Além disso, participantes considerados depressivos quase nunca realizavam fotos sem filtro algum.

O número de pessoas em cada uma das imagens também pode ajudar a definir a saúde mental dos usuários. De acordo com um programa de reconhecimento facial utilizado na pesquisa, as fotos dos participantes depressivos tinham maior tendência a mostrar pessoas, em contrapartida a paisagens, objetos ou animais nas outras imagens. Por outro lado, as fotos dos participantes saudáveis que incluíam pessoas traziam um número maior de rostos, mostrando grupos maiores.

Os pesquisadores também analisaram o engajamento de cada um dos usuários na rede social, como sua participação nas postagens de outras pessoas ou a interação de seguidores em suas imagens. Pessoas que postam com mais frequência foram mais associadas à depressão, apesar dos indícios apresentados não serem tão fortes e confiáveis como o percebido no algoritmo baseado em cores. O estudo também percebeu que quanto mais comentários uma imagem recebia, mais chances ela tinha de ter sido postada por uma pessoa com depressão, o que é completamente oposto quando se trata de curtidas.

Saber que uma máquina é capaz de determinar sua saúde mental apenas analisando suas postagens na internet pode ser um pouco preocupante, até assustador. Apesar disso, a utilização da tecnologia pode ser benéfica, se aplicada em conjunto com diagnósticos profissionais.

Próxima Matéria
Via   Fusion     Tech Tudo  
PH Mota
Jornalista que é um encontro Monty Python e A Praça É Nossa.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+