• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Entenda o caso da menina de 11 anos que chora sangue

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      22/06/20 às 15h45

O choro é um processo fisiológico dos seres vivos. Todos os seres humanos e muitos animais são capazes de chorar. Choramos por alegria, tristeza, irritação, dor e até mesmo quando bocejamos. Considerado um sinal de fraqueza, o choro acaba sendo evitado por muitas pessoas, embora muitos indivíduos choram por qualquer motivo.

Essa capacidade de derramar lágrimas é uma característica que pode ter muitos significados. Geralmente, o que sai dos nossos olhos é água. Mas uma mãe na Índia viu sair dos olhos de sua filha manchas vermelhas. E logicamente isso foi uma coisa horrível.

Esse caso raro foi estudado por oftalmologistas do Instituto de Ciências Médicas All India, em Nova Delhi. O fenômeno é conhecido como hemolacria, e que o tem é uma menina indiana de 11 anos.

Caso

De acordo com a mãe da menina, que não quis ser identificada, as ocorrências das lágrimas sangrentas eram diárias. A menina não sentia dor ou alguma emoção extrema. As lágrimas simplesmente escorriam por suas bochechas durante vários minutos. Isso acontecia de duas a três vezes ao dia.

"Estou com medo da saúde da minha filha. O sangue que sai dos olhos dela é horrível. Espero que não haja episódios semelhantes no futuro", disse a mãe.

O instituto fez vários exames para encontrar a causa, mas todas as vezes não tinham uma resposta. A menina não tinha um histórico de trauma ou doença, suas glândulas lacrimais pareciam estar intactas, e seus testes sanguíneos eram normais. Além disso, as células sanguíneas e os fluidos que saiam dos ductos lacrimais não eram incomuns.

Os especialistas não conseguiram encontrar nenhuma pista que os ajudassem a entender o caso da garota. E nos dias em que a criança continuou em observação ela continuava chorando suas lágrimas de sangue.

Registros

Os casos de hemolacria são raros, mas não faltam exemplos da doença nos registros médicos. O médico grego Aetius de Amida pode ter se referido a um caso parecido quando descreveu doenças infantis que envolviam sangue vazando pelo canto do olho.

Mais recentemente, relatos de lágrimas de sangue em jovens mulheres atraíam uma mistura de interesse médico com sensacionalismo midiático. Dez anos atrás, a National Geographic documentou um caso parecido de uma menina indiana de 14 anos chamada Twinkle Dwivedi.

Em 2019, um estudo médico mostrou um caso de hemolacria parecido em uma jovem de 16 anos que estava internada em um hospital em Bangladesh. Em algum desses casos, é possível que ops hormônios tenham um papel importante.

Um estudo de 1991, testou um sangue "escondido" nas lágrimas de 125 voluntárias saudáveis e encontrou vestígios de sangue em quase um quinto delas. Na maioria das vezes, era durante o ciclo menstrual.

Mas a hemolacria não é uma condição que afeta apenas mulheres. Em 2018, um homem de meia-idade foi até um pronto-socorro italiano com sangue jorrando de seus olhos. No caso dele uma possível causa foi encontrada. O homem tinha hiperemia conjuntival, que é um pequeno excesso de sangue na membrana que cobre o globo ocular.

Causas

Várias outras condições de saúde podem explicar algumas incidências desse fenômeno. Como por exemplo a hemofilia da doença da coagulação do sangue, ou a síndrome de Osler-Weber-Rendu, que é um distúrbio dos vasos sanguíneos. E alguns medicamentos também pode fazer com que sangue saia dos canais lacrimais.

Infelizmente, no caso da menina de 11 anos nenhuma dessas explicações é compatível. O diagnóstico da menina parece ser idiopático, ou seja, ter sua causa desconhecida. A notícia boa é que elas não são um motivo de preocupação constante. E podem desaparecer tão estranhamente quanto apareceram.

Próxima Matéria
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+