• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Entenda o que é e como ocorre o canibalismo galáctico, quando uma galáxia ''engole'' a outra

POR Diogo Quiareli    EM Ciência e Tecnologia      05/02/20 às 16h46

Você, provavelmente, já ouviu dizer que a nossa galáxia não está sozinha no espaço. Na verdade, muito longe disso a realidade. Fazemos parte de um grupo de 54 galáxias. Entre elas, há as duas maiores, que são a Via Láctea e a Andrômeda. Duas das menores galáxias do espaço são nossas conhecidas, e inclusive, podem ser vistas facilmente a olho nu, quando estamos longe das grandes cidades. Fernão de Magalhães, um navegante português foi um dos primeiros a descrevê-las como "duas nuvenzinhas". Segundo ele, elas apareciam todas as noites no céu. É por isso que a chamamos hoje em dia de Pequena e Grande Nuvem de Magalhães.

Na verdade, essas "nuvens" descritas por ele são as galáxias satélites da Via Láctea. Elas agem da mesma forma que a Lua orbitando ao redor da Terra. A gravidade é a grande responsável pela dança orbital de nossa vizinhança. Além disso, é também responsável pelos fenômenos mais violentos. Um desses está acontecendo entre a galáxia anã Sagitário e a Via Láctea. Esse fenômeno é conhecido como canibalismo galáctico. Você já ouviu falar sobre isso? Tem pelo menos noção do que se trata? Trouxemos mais informações sobre esse acontecimento para você. Confira conosco.

Canibalismo galáctico

O canibalismo galáctico ocorre quando uma galáxia pequena é totalmente "engolida" por uma maior. No entanto, o processo de "digestão" é bastante lento e pode levar centenas de milhões de anos. Como a distância entre as estrelas são enormes, não há uma colisão entre elas. Na verdade, as estrelas da galáxia Sagitário farão parte da Via Láctea. Elas serão companheiras das que já nasceram aqui. Além disso, a força da gravidade exercida pela nossa galáxia acaba distorcendo a menor. Isso perde completamente sua identidade e acaba virando uma faixa composta de estrelas, gás e poeira ao nosso redor.

Como resultado dessa interação, entre as galáxias, algumas estrelas acabam sendo ejetadas. No caso da Via Láctea, podemos encontrar estrelas a mais de 50 mil anos-luz de distância do local, de onde deveriam estar. Isso mostra que o ambiente extragaláctico não é um grande vazio. Ele conta a história da interação entre as galáxias do Universo. Além das pequenas galáxias, existem também os aglomerados globulares que são formados por cerca de 10 mil estrelas.

Outra galáxia dominante no espaço é Andrômeda. Ela é ainda mais massiva do que a Via Láctea e também tem galáxias anãs ao seu redor. Algo que despertou a curiosidade de vários estudiosos é que essa galáxia está vindo em nossa direção. No entanto, colisões entre galáxias gigantes acontecem com frequência no Universo. Isso faz parte da evolução das mesmas. Ainda não sabemos como isso afetará o Sistema Solar. Ainda faltam 3,5 bilhões de anos, para que isso aconteça.

E aí, o que você achou dessa matéria? Sabia sobre todas essas coisas? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos.

Próxima Matéria
Diogo Quiareli
Geminiano, 25 anos, goiano.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+