icone menu logo logo-fatos-desconhecidos.png


Entenda porque a era dos aviões a jato acabou, segundo Elon Musk

POR Erik Ely    EM Ciência e Tecnologia      11/03/20 às 10h17
capa do post Entenda porque a era dos aviões a jato acabou, segundo Elon Musk

De acordo com o bilionário e CEO da Tesla e da SpaceX, Elon Musk, a era dos aviões a jato acabou. Dessa forma, as guerras do futuro serão baseadas em drones, controlados remotamente, e não mais em aviões de combate.

Em um futuro não tão distante, os aviões de caça serão substituídos por drones controlados remotamente. Ao menos, é nisso que acredita o empreendedor. "A era dos aviões de caça já passou", afirmou o empresário, a uma sala repleta de pilotos da Força Aérea dos Estados Unidos.

Drones são o futuro dos aviões de combate

Em uma conversa com o tenente-general da Força Aérea dos Estados Unidos, John Thompson, Musk levantou sua polêmica opinião. Esse encontro aconteceu no Simpósio de guerra Aérea, realizado em Orlando, na Flórida. "A guerra dos drones é onde o futuro estará", afirmou Musk. Em seguida, ele completou: "Não é onde eu quero que o futuro esteja, é isso que o futuro será". No entanto, é válido lembrar que boa parte dessa crença vem do fato dos gastos de aviões de caça. De fato, eles são extremamente caros e exigem muito treinamento.

Atualmente, o sistema de ataque aéreo mais caro do Pentágono, é o caça F-35, desenvolvido pela Lockheed Martin. Dessa forma, o jato custou ao governo norte americano, e a seus contribuintes, mais de um trilhão de dólares para ser desenvolvido. Mesmo assim, o último teste do F-35 foi repleto de problemas. Durante os testes, o avião apresentou 873 falhas de software distintas. Em poucas palavras, essa é uma notícia horrível, para um programa que custou US$ 428 bilhões.

Para se ter uma ideia, sua precisão foi considerada "inaceitável" para sua arma de 25 mm, algo absurdo dado o tamanho do investimento. Com números assim, o F-35 não possui nenhum competidor. Entretanto, para Musk, o concorrente perfeito seria um drone. "O competidor deve ser um avião de combate controlado por controle remoto por um humano. Mas com suas manobras aumentadas pela autonomia", escreveu Musk, em seu Twitter. Além disso, ele também afirmou que o F-35 "não teria chances contra ele".

Tecnologias que podem se tornar obsoletas em pouco tempo

Ainda durante o evento, Musk alertou que os Estados Unidos correm o risco de serem ultrapassados por outras nações, se não priorizarem as inovações. "Isso não era um risco no passado. Mas é um risco agora", afirmou o bilionário. "Não tenho dúvidas de que se os Estados Unidos não buscarem inovação no espaço, eles ficaram em segundo na corrida espacial", completou o empresário.

Por fim, Musk ainda citou preocupações com a economia da China, que, em breve, deve ultrapassar a dos Estados Unidos, em pelo menos o dobro. Em sua previsão, ele também imagina que também em pouco tempo, a China possa alcançar três vezes mais a economia dos Estados Unidos. "O fundamento da guerra é a economia. Se você tiver metade dos recursos da contraparte, é melhor ser realmente inovador. Se não forma inovador, você irá perder", explicou Musk. Hoje, as duas nações já são as maiores economias do mundo. Os Estados Unidos dominam US$ 21,44 trilhões em PIB nominal e constituem um quarto da economia mundial. Por outro lado, a China é a economia de trilhões de dólares que mais cresce, com um PIB de 14,14 trilhões de dólares.


Próxima Matéria
Via   Olhar Digital     Futurism     CNBC  
avatar Erik Ely
Erik Ely
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você!

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Confira nosso Pinterest